Ano letivo da rede municipal de Marau inicia em 1º de março em formato híbrido

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

O ano letivo para a rede municipal de ensino de Marau vai iniciar no dia 1º de março. A data é próxima do calendário das escolas estaduais, considerando a logística do transporte escolar. Da mesma forma, se aproxima das datas estabelecidas pela rede particular, buscando a uniformidade que vem sendo característica nos últimos anos. Conforme a titular da Secretaria Municipal de Educação, Simone Costenaro Ribeiro, cerca de cinco mil estudantes – pouco mais de 50% na Educação Infantil e o restante no Ensino Fundamental, estão matriculados e devem iniciar as atividades em formato híbrido e respeitando aos protocolos sanitários de uso de máscara, distanciamento de segurança e higienização pessoal. Os educandários, explica ela, já possuem os equipamentos necessários.

Para os estudantes cujos pais não permitirem o retorno às atividades presenciais, os conteúdos seguirão sendo repassados de forma virtual. Em relação ao quadro de professores, a secretária reforça que há um decreto estadual, datado do início desta semana, que estabelece o retorno das atividades presenciais para funcionário com mais de 60 anos – até então afastados por serem grupos de risco. Professores que têm comorbidades, conforme ela, precisam buscar a orientação de seus médicos. Acesse a entrevista, na íntegra, clicando aqui.

Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Simone revelou que ao contrário dos anos anteriores, as escolas estão fechadas neste período, mas, a partir de fevereiro os diretores estarão articulados para atender as dúvidas da comunidade. O cronograma de revezamento e escalonamento das turmas – necessário para o início das aulas, também será organizado pelas equipes diretivas já que as regras estabelecem a presença de estudantes em até 50% da capacidade de cada sala. Simone antecipa que as escolas Frei Wilson João e Pedro Rigo estão passando por ampliação, visando atender todos os protocolos e manter uma margem na capacidade, caso surjam novas matrículas.

intranet/userfiles/noticias/ff204ffe9a65d03912997a471d76ad15.mp3