Caxias do Sul chega a 10,2 mil casos da Covid-19

São 115 novos diagnósticos da doença em um dia
A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta segunda-feira (26) informando que o município chegou a 10.231 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 1.037 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 9.027 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 990 estão em isolamento domiciliar, 21 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 100 pessoas aguardando resultado e 61.129 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 167 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 10.231 casos confirmados, 4.817 são homens e 5.414 mulheres. Do total, 1.115 são profissionais da saúde e 61 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 71%, com 52 vagas utilizadas. Já na rede particular, 71 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 84% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

São 115 novos diagnósticos da doença em um dia

A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta segunda-feira (26) informando que o município chegou a 10.231 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 1.037 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 9.027 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 990 estão em isolamento domiciliar, 21 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 100 pessoas aguardando resultado e 61.129 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 167 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 10.231 casos confirmados, 4.817 são homens e 5.414 mulheres. Do total, 1.115 são profissionais da saúde e 61 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 71%, com 52 vagas utilizadas. Já na rede particular, 71 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 84% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul registra óbito de três idosos por Covid-19

Até o momento, cidade chega a 167 mortes pela doença nesta segunda-feira (26/10)
Caxias do Sul registrou mais três óbitos por complicações do coronavírus nesta segunda-feira (26/10). Agora, a cidade contabiliza 167 mortes pela doença.

Um deles é um homem, de 67 anos, cardiopata, diabético e obeso. Ele internou na UTI do Hospital Geral no dia 9 de outubro e faleceu no sábado, dia 24. O outro é um homem, de 70 anos, com doença cardiovascular crônica. Ele internou na UTI do Hospital do Círculo no dia 2 de outubro e faleceu no último dia 20.

O último é um idoso, de 89 anos, com doença pulmonar obstrutiva crônica. Ele internou na UTI do Hospital Virvi Ramos dia 24 de agosto e faleceu na última segunda-feira, dia 19.

Dessa forma, Caxias do Sul possui 99 óbitos masculinos, entre 28 e 94 anos, e 68 femininos, entre 33 e 97 anos.

Até o momento, cidade chega a 167 mortes pela doença nesta segunda-feira (26/10)

Caxias do Sul registrou mais três óbitos por complicações do coronavírus nesta segunda-feira (26/10). Agora, a cidade contabiliza 167 mortes pela doença.

Um deles é um homem, de 67 anos, cardiopata, diabético e obeso. Ele internou na UTI do Hospital Geral no dia 9 de outubro e faleceu no sábado, dia 24. O outro é um homem, de 70 anos, com doença cardiovascular crônica. Ele internou na UTI do Hospital do Círculo no dia 2 de outubro e faleceu no último dia 20.

O último é um idoso, de 89 anos, com doença pulmonar obstrutiva crônica. Ele internou na UTI do Hospital Virvi Ramos dia 24 de agosto e faleceu na última segunda-feira, dia 19.

Dessa forma, Caxias do Sul possui 99 óbitos masculinos, entre 28 e 94 anos, e 68 femininos, entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Hospital do Círculo irá ofertar consultas e exames em parceria com a prefeitura no programa Fila Zero

Serão mais de 477 atendimentos em diversas especialidades por mês, na instituição
O programa Fila Zero, promovido pela Prefeitura de Caxias do Sul com o intuito de diminuir filas de espera para consultas e exames em especialidade médicas, iniciou neste sábado (24). Nada data, também foi anunciada a parceria com o Hospital do Círculo que vai oferecer mais 477 consultas/exames à população caxiense.

Serão ofertadas 100 vagas para psicoterapia, 20 para fonoterapia, 100 consultas cardiológicas, 100 consultas psiquiátricas, 100 atendimentos de fisioterapia, dois exames de polissonografia, 10 exames de ultrassonografia de mama bilateral, 40 exames de ultrassonografia e 5 exames de ressonância magnética. Conforme a prefeitura, os procedimentos não terão custos para o Município.

Conforme o prefeito Flávio Cassina, a ação já estava planejada há alguns meses e a parceria deve ajudar a acelerar o atendimento. “O Fila Zero era uma ação que tínhamos previsto no início da nossa administração, porque a demanda reprimida na saúde é histórica. Entretanto, veio a pandemia, e tivemos que segurar essa questão. Agora com a dedicação dos nossos servidores da saúde, vamos intensificar esse atendimento e agilizar a fila até zerá-la. Para que isso aconteça, temos a alegria de anunciar também uma parceria muito importante com o Hospital do Círculo, sem custo algum para o município”.

No primeiro dia do programa, realizado neste sábado, 168 pacientes foram agendados para reumatologia, neurologia adulto, cardiologia, ortopedia, dermatologia, otorrinolaringologia e gastroenterologia, além dos exames de eletrocardiograma e espirometria. A próxima etapa será em 7 de novembro, quando serão agendados pacientes para reumatologia, neurologia adulto, cardiologia, ortopedia, dermatologia, otorrinolaringologia e gastroenterologia.

Serão mais de 477 atendimentos em diversas especialidades por mês, na instituição

O programa Fila Zero, promovido pela Prefeitura de Caxias do Sul com o intuito de diminuir filas de espera para consultas e exames em especialidade médicas, iniciou neste sábado (24). Nada data, também foi anunciada a parceria com o Hospital do Círculo que vai oferecer mais 477 consultas/exames à população caxiense.

Serão ofertadas 100 vagas para psicoterapia, 20 para fonoterapia, 100 consultas cardiológicas, 100 consultas psiquiátricas, 100 atendimentos de fisioterapia, dois exames de polissonografia, 10 exames de ultrassonografia de mama bilateral, 40 exames de ultrassonografia e 5 exames de ressonância magnética. Conforme a prefeitura, os procedimentos não terão custos para o Município.

Conforme o prefeito Flávio Cassina, a ação já estava planejada há alguns meses e a parceria deve ajudar a acelerar o atendimento. “O Fila Zero era uma ação que tínhamos previsto no início da nossa administração, porque a demanda reprimida na saúde é histórica. Entretanto, veio a pandemia, e tivemos que segurar essa questão. Agora com a dedicação dos nossos servidores da saúde, vamos intensificar esse atendimento e agilizar a fila até zerá-la. Para que isso aconteça, temos a alegria de anunciar também uma parceria muito importante com o Hospital do Círculo, sem custo algum para o município”.

No primeiro dia do programa, realizado neste sábado, 168 pacientes foram agendados para reumatologia, neurologia adulto, cardiologia, ortopedia, dermatologia, otorrinolaringologia e gastroenterologia, além dos exames de eletrocardiograma e espirometria. A próxima etapa será em 7 de novembro, quando serão agendados pacientes para reumatologia, neurologia adulto, cardiologia, ortopedia, dermatologia, otorrinolaringologia e gastroenterologia.

Link para notícia no site Tua Rádio

Campanha de vacinação contra a pólio e multivacinação entra na última semana

Ação segue até sexta-feira, 30 de outubro
A campanha de vacinação contra a poliomielite e multivacinação segue até esta sexta-feira, 30 de outubro. Portanto, esses são os últimos dias para pais e responsáveis levarem crianças de 1 a cinco anos incompletos para se vacinar contra a poliomielite. Já a multivacinação é destinada a crianças e adolescentes menores de 15 anos que estejam com o esquema vacinal incompleto.

A diretora da Vigilância Epidemiológica de Caxias do Sul, Mônica Renosto, salienta a importância de colocar a caderneta de vacinação em dia e afirma que as equipes estão preparadas, aplicando os imunizantes segundo os cuidados sanitários necessários por conta da pandemia. “A vacina é considerada uma das principais formas de prevenção de doenças e uma das principais intervenções de saúde pública. Então, é muito importante que os pais levem as crianças e adolescentes para se imunizar. As equipes estão preparadas pra receber essa população e estão tomando todos os cuidados frente à pandemia da Covid, com o isolamento social, de cuidado pra distanciamento, tudo feito de forma segura”, explicou.

Todas as Unidades Básicas de Saúde de Caxias do Sul estão realizando a aplicação das doses, das 8h às 16h. Conforme dados da Secretaria Municipal da Saúde, até o momento, 10.440 crianças foram imunizadas contra a paralisia infantil (poliomielite) e 9.219 receberam doses atrasadas contra outras doenças durante a atualização da caderneta.

A meta é atingir 95% das crianças da faixa etária de 1 a 4 anos incompletos na vacinação contra a pólio, a qual, segundo o IBGE, é de 22.127 mil em Caxias. Já a campanha de multivacinação tem o objetivo de colocar em dia o esquema vacinal de crianças e adolescentes (0 a 14 anos completos) sem um quantitativo de público específico.

Ação segue até sexta-feira, 30 de outubro

A campanha de vacinação contra a poliomielite e multivacinação segue até esta sexta-feira, 30 de outubro. Portanto, esses são os últimos dias para pais e responsáveis levarem crianças de 1 a cinco anos incompletos para se vacinar contra a poliomielite. Já a multivacinação é destinada a crianças e adolescentes menores de 15 anos que estejam com o esquema vacinal incompleto.

A diretora da Vigilância Epidemiológica de Caxias do Sul, Mônica Renosto, salienta a importância de colocar a caderneta de vacinação em dia e afirma que as equipes estão preparadas, aplicando os imunizantes segundo os cuidados sanitários necessários por conta da pandemia. "A vacina é considerada uma das principais formas de prevenção de doenças e uma das principais intervenções de saúde pública. Então, é muito importante que os pais levem as crianças e adolescentes para se imunizar. As equipes estão preparadas pra receber essa população e estão tomando todos os cuidados frente à pandemia da Covid, com o isolamento social, de cuidado pra distanciamento, tudo feito de forma segura", explicou.

Todas as Unidades Básicas de Saúde de Caxias do Sul estão realizando a aplicação das doses, das 8h às 16h. Conforme dados da Secretaria Municipal da Saúde, até o momento, 10.440 crianças foram imunizadas contra a paralisia infantil (poliomielite) e 9.219 receberam doses atrasadas contra outras doenças durante a atualização da caderneta.

A meta é atingir 95% das crianças da faixa etária de 1 a 4 anos incompletos na vacinação contra a pólio, a qual, segundo o IBGE, é de 22.127 mil em Caxias. Já a campanha de multivacinação tem o objetivo de colocar em dia o esquema vacinal de crianças e adolescentes (0 a 14 anos completos) sem um quantitativo de público específico.

Link para notícia no site Tua Rádio

Regional Passo Fundo segue com risco médio para Covid-19

Classificação preliminar, divulgada nesta sexta, indica bandeira laranja para a região
A Região de Passo Fundo segue em bandeira laranja com risco epidemiológico médio, por mais uma semana, no mapa do Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Porém, depois de duas rodadas sem regiões classificadas como risco epidemiológico alto, o mapa preliminar da 25ª semana, divulgado nesta sexta-feira, 23/10, voltou a apresentar bandeira vermelha. Foi para as Regionais Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo. As outras 15 regiões Covid seguem em bandeira laranja.

Veja o mapa preliminar da 25ª rodada: https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br.

O número de novas hospitalizações (clínicas e UTI) confirmadas por Covid-19 chamou a atenção da equipe que monitora os indicadores de propagação do coronavírus. Entre as duas últimas semanas, o aumento foi de 21% – de 739 para 897. Esse aumento repercutiu sobre a elevação de 13% de internados em leitos clínicos confirmados com Covid-19. Para internados em UTI com a doença, a situação ficou relativamente estável, com leve aumento de 533 para 539. O indicador óbitos cresceu 11% entre as duas últimas semanas, de 213 para 236.

O monitoramento diário desses indicadores permite ao governo identificar se essas oscilações são situações pontuais ou alguma tendência mais consistente ao longo do tempo. De qualquer maneira, há a necessidade de a população reforçar os cuidados pessoais, como o uso de máscara e a higienização das mãos, e o distanciamento pessoal, além de evitar ao máximo as aglomerações.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados à Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (Saam). A Associação dos Municípios do Planalto optou por seguir a bandeira laranja por enquanto. Os planos regionais aprovados estão disponíveis em https://planejamento.rs.gov.br/cogestao-regional. As classificações desta rodada passam a valer a partir de terça, dia 27/10.

Classificação preliminar, divulgada nesta sexta, indica bandeira laranja para a região

A Região de Passo Fundo segue em bandeira laranja com risco epidemiológico médio, por mais uma semana, no mapa do Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Porém, depois de duas rodadas sem regiões classificadas como risco epidemiológico alto, o mapa preliminar da 25ª semana, divulgado nesta sexta-feira, 23/10, voltou a apresentar bandeira vermelha. Foi para as Regionais Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo. As outras 15 regiões Covid seguem em bandeira laranja.

Veja o mapa preliminar da 25ª rodada: https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br.

O número de novas hospitalizações (clínicas e UTI) confirmadas por Covid-19 chamou a atenção da equipe que monitora os indicadores de propagação do coronavírus. Entre as duas últimas semanas, o aumento foi de 21% – de 739 para 897. Esse aumento repercutiu sobre a elevação de 13% de internados em leitos clínicos confirmados com Covid-19. Para internados em UTI com a doença, a situação ficou relativamente estável, com leve aumento de 533 para 539. O indicador óbitos cresceu 11% entre as duas últimas semanas, de 213 para 236.

O monitoramento diário desses indicadores permite ao governo identificar se essas oscilações são situações pontuais ou alguma tendência mais consistente ao longo do tempo. De qualquer maneira, há a necessidade de a população reforçar os cuidados pessoais, como o uso de máscara e a higienização das mãos, e o distanciamento pessoal, além de evitar ao máximo as aglomerações.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados à Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (Saam). A Associação dos Municípios do Planalto optou por seguir a bandeira laranja por enquanto. Os planos regionais aprovados estão disponíveis em https://planejamento.rs.gov.br/cogestao-regional. As classificações desta rodada passam a valer a partir de terça, dia 27/10.

Link para notícia no site Tua Rádio

Com mais 91 registros, Caxias do Sul chega a 10 mil casos confirmados da Covid-19

Segundo Secretaria da Saúde, 8.754 pessoas estão recuperadas
A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta sexta-feira (23) informando que o município chegou a 10.051 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 1.133 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.754 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 1.079 estão em isolamento domiciliar, 28 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 100 pessoas aguardando resultado e 61.012 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 164 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 10.051 casos confirmados, 4.727 são homens e 5.324 mulheres. Do total, 1.108 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 77%, com 56 vagas utilizadas. Já na rede particular, 64 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 75% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Segundo Secretaria da Saúde, 8.754 pessoas estão recuperadas

A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta sexta-feira (23) informando que o município chegou a 10.051 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 1.133 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.754 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 1.079 estão em isolamento domiciliar, 28 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 100 pessoas aguardando resultado e 61.012 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 164 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 10.051 casos confirmados, 4.727 são homens e 5.324 mulheres. Do total, 1.108 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 77%, com 56 vagas utilizadas. Já na rede particular, 64 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 75% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul se aproxima dos 10 mil casos da Covid-19

São mais de mil casos ativos
A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta quinta-feira (22) informando que o município chegou a 9.960 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 1.070 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.726 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 1.018 estão em isolamento domiciliar, 26 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 80 pessoas aguardando resultado e 60.914 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 164 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.960 casos confirmados, 4.682 são homens e 5.278 mulheres. Do total, 1.105 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 77%, com 56 vagas utilizadas. Já na rede particular, 60 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 71% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

São mais de mil casos ativos

A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta quinta-feira (22) informando que o município chegou a 9.960 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 1.070 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.726 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 1.018 estão em isolamento domiciliar, 26 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 80 pessoas aguardando resultado e 60.914 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 164 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.960 casos confirmados, 4.682 são homens e 5.278 mulheres. Do total, 1.105 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 77%, com 56 vagas utilizadas. Já na rede particular, 60 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 71% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Link para notícia no site Tua Rádio

Homem de 28 anos é o óbito mais jovem por coronavírus em Caxias

Vítima tinha hipertensão e obesidade.
Caxias do Sul registrou o 164º óbito por coronavírus. A vítima é um homem de 28 anos, hipertenso e obeso. Ele internou na UTI do Hospital Geral no dia 13 de outubro e faleceu nesta quinta-feira (22). Esse é o óbito mais jovem do município.

Portanto, Caxias do Sul registra 164 óbitos, sendo 96 masculinos entre 28 e 94 anos e 68 femininos entre 33 e 97 anos.

Vítima tinha hipertensão e obesidade.

Caxias do Sul registrou o 164º óbito por coronavírus. A vítima é um homem de 28 anos, hipertenso e obeso. Ele internou na UTI do Hospital Geral no dia 13 de outubro e faleceu nesta quinta-feira (22). Esse é o óbito mais jovem do município.

Portanto, Caxias do Sul registra 164 óbitos, sendo 96 masculinos entre 28 e 94 anos e 68 femininos entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul contabiliza mais 92 casos positivos de Covid-19

Cidade está com os leitos adulto SUS em 75% de ocupação
Caxias do Sul apresentou mais 92 casos positivos de covid-19 nesta quarta-feira (21/10). Agora, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) afirma que a cidade possui 9.877 infectados, com 8.675 recuperados e 1.039 que estão com a doença no organismo. Dos ativos, 988 estão em isolamento domiciliar, 25 em enfermaria e 26 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O Município registra ainda 163 óbitos por coronavírus.

Caxias do Sul tem 159 leitos de UTI utilizados dos 228 disponíveis, apresentando 70% de ocupação. Dos leitos de UTI Adulto do Sistema Único de Saúde (SUS), 75% estão ocupados, com 55 usados dos 73 ofertados. Os leitos privados chegam 78% de ocupação (66 ocupados dos 85 disponibilizados).

Dos casos positivos totais, 5.236 são mulheres e 4.641 são homens, com a maioria em uma faixa etária de 30 a 39 anos. Desses, 1.101 são profissionais da saúde e 60 da segurança. O Executivo ainda mostra que 6.133 pessoas procuraram os postos de saúde por síndrome gripal, mas não foram testadas.

A cidade também possui 150 casos suspeitos e 60.811 casos negativos. Para mais informações, acesse a plataforma covid.caxias.rs.gov.br.

Cidade está com os leitos adulto SUS em 75% de ocupação

Caxias do Sul apresentou mais 92 casos positivos de covid-19 nesta quarta-feira (21/10). Agora, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) afirma que a cidade possui 9.877 infectados, com 8.675 recuperados e 1.039 que estão com a doença no organismo. Dos ativos, 988 estão em isolamento domiciliar, 25 em enfermaria e 26 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O Município registra ainda 163 óbitos por coronavírus.

Caxias do Sul tem 159 leitos de UTI utilizados dos 228 disponíveis, apresentando 70% de ocupação. Dos leitos de UTI Adulto do Sistema Único de Saúde (SUS), 75% estão ocupados, com 55 usados dos 73 ofertados. Os leitos privados chegam 78% de ocupação (66 ocupados dos 85 disponibilizados).

Dos casos positivos totais, 5.236 são mulheres e 4.641 são homens, com a maioria em uma faixa etária de 30 a 39 anos. Desses, 1.101 são profissionais da saúde e 60 da segurança. O Executivo ainda mostra que 6.133 pessoas procuraram os postos de saúde por síndrome gripal, mas não foram testadas.

A cidade também possui 150 casos suspeitos e 60.811 casos negativos. Para mais informações, acesse a plataforma covid.caxias.rs.gov.br.

Link para notícia no site Tua Rádio

Em cinco meses, 100 pacientes são beneficiados com plasma convalescente coletado no Hemocs

Cinco hospitais do Estado solicitaram o componente utilizado como terapia alternativa na recuperação de pacientes da Covid-19
A utilização do plasma convalescente (porção do sangue que contém anticorpos) como tratamento experimental de pacientes com complicações da Covid-19 ganhou adesão ao longo dos meses. Com o crescimento da demanda, a necessidade de doações também cresceu. Nesta quarta-feira (21), Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs) alcançou a marca de 100 pacientes beneficiados com plasma convalescente. A unidade foi a primeira no Estado a iniciar a captação do material.

A primeira coleta foi realizada em 22 de maio. De lá para cá, já foram 59 pacientes beneficiados no Hospital Virvi Ramos, pioneiro no Estado no tratamento, 31 no Hospital Tacchini (Bento Gonçalves), seis no Hospital Schlatter (Feliz), um no Hospital de Clínicas (Passo Fundo) e três no N.S. da Oliveira (Vacaria).

Dessas, foram 139 bolsas coletadas por meio de aférese e 39 por meio de sangue total, as quais beneficiaram 58 homens e 42 mulheres. Até o momento, 244 candidatos se inscreveram para doar, sendo 151 homens e 93 mulheres. Desses, após entrevista e triagem, 114 foram considerados aptos para realizar o procedimento.

O diretor geral da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Mário Taddeucci, disse em entrevista à Tua Rádio São Francisco que a utilização da técnica é promissora: “É muito gratificante porque os relatos são que vários pacientes tiveram uma ajuda muito grande com esse tratamento do plasma convalescente. Fomos pioneiros no Sul do Brasil com a produção e tratamento com o plasma convalescente. A partir do momento que começamos vários municípios, até mesmo de fora do Estado, nos contataram para ter mais informações ou até mesmo conseguir o plasma para realizar os tratamentos nos seus hospitais”, relatou. Ouça a entrevista AQUI

A captação das doações continua. Os interessados agendar a coleta pelos telefones (54) 3290-4543 e (54) 3290-4580 ou por meio do whatsapp (54) 9929-7491. O Hemocs atende de segunda a quarta-feira, das 8h às 19h, sem fechar ao meio dia. Quinta e sexta-feira, das 8h às 17h, também sem fechar ao meio dia e, aos sábados, das 8h até 12h, na rua Ernesto Alves,2260, ao lado da UPA Central.

Plasma por doação de sangue convencional

Para doação de plasma por meio do chamado sangue total, é necessário seguir as mesmas diretrizes da doação normal, isto é: ser homem ou mulher entre 16 e 69, 11 meses e 29 dias, estar em bom estado de saúde e ser aprovado na pré-triagem e triagem médica do Hemocs. Os procedimentos técnicos são todos a cargo do Hemocentro e internos, no qual as amostras serão testadas para buscar anticorpos IgG contra o coronavírus. Os plasmas identificados como convalescente serão rotulados e destinados como tal, para uso compassivo.

Plasma por doação por aférese

Na doação por aférese, alguns pontos divergem do método através do sangue total. Antes da coleta é necessário ter testado positivo para Covid-19, pelo exame PCR ou teste sorológico, e estar recuperado e sem sintomas há, no mínimo, 28 dias.

No caso dos homens, podem doar aqueles entre 18 e 59 anos, 11 meses e 29 dias. Há uma realização prévia de teste sorológico para detecção dos anticorpos e bloco sorológico. O plasma é destinado para o projeto de pesquisa junto ao Hospital Virvi Ramos (o projeto de estudo aprovado contempla apenas plasma originado de homens).

Para as mulheres, a idade é de 18 até 59 anos, 11 meses e 29 dias. Também serão aceitas mulheres que tiveram até duas gestações ou abortos. Ocorre, igualmente, a realização prévia do teste sorológico para detecção dos anticorpos e bloco sorológico. O plasma é destinado para uso compassivo.

Cinco hospitais do Estado solicitaram o componente utilizado como terapia alternativa na recuperação de pacientes da Covid-19

A utilização do plasma convalescente (porção do sangue que contém anticorpos) como tratamento experimental de pacientes com complicações da Covid-19 ganhou adesão ao longo dos meses. Com o crescimento da demanda, a necessidade de doações também cresceu. Nesta quarta-feira (21), Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs) alcançou a marca de 100 pacientes beneficiados com plasma convalescente. A unidade foi a primeira no Estado a iniciar a captação do material.

A primeira coleta foi realizada em 22 de maio. De lá para cá, já foram 59 pacientes beneficiados no Hospital Virvi Ramos, pioneiro no Estado no tratamento, 31 no Hospital Tacchini (Bento Gonçalves), seis no Hospital Schlatter (Feliz), um no Hospital de Clínicas (Passo Fundo) e três no N.S. da Oliveira (Vacaria).

Dessas, foram 139 bolsas coletadas por meio de aférese e 39 por meio de sangue total, as quais beneficiaram 58 homens e 42 mulheres. Até o momento, 244 candidatos se inscreveram para doar, sendo 151 homens e 93 mulheres. Desses, após entrevista e triagem, 114 foram considerados aptos para realizar o procedimento.

O diretor geral da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Mário Taddeucci, disse em entrevista à Tua Rádio São Francisco que a utilização da técnica é promissora: “É muito gratificante porque os relatos são que vários pacientes tiveram uma ajuda muito grande com esse tratamento do plasma convalescente. Fomos pioneiros no Sul do Brasil com a produção e tratamento com o plasma convalescente. A partir do momento que começamos vários municípios, até mesmo de fora do Estado, nos contataram para ter mais informações ou até mesmo conseguir o plasma para realizar os tratamentos nos seus hospitais”, relatou. Ouça a entrevista AQUI

A captação das doações continua. Os interessados agendar a coleta pelos telefones (54) 3290-4543 e (54) 3290-4580 ou por meio do whatsapp (54) 9929-7491. O Hemocs atende de segunda a quarta-feira, das 8h às 19h, sem fechar ao meio dia. Quinta e sexta-feira, das 8h às 17h, também sem fechar ao meio dia e, aos sábados, das 8h até 12h, na rua Ernesto Alves,2260, ao lado da UPA Central.

Plasma por doação de sangue convencional

Para doação de plasma por meio do chamado sangue total, é necessário seguir as mesmas diretrizes da doação normal, isto é: ser homem ou mulher entre 16 e 69, 11 meses e 29 dias, estar em bom estado de saúde e ser aprovado na pré-triagem e triagem médica do Hemocs. Os procedimentos técnicos são todos a cargo do Hemocentro e internos, no qual as amostras serão testadas para buscar anticorpos IgG contra o coronavírus. Os plasmas identificados como convalescente serão rotulados e destinados como tal, para uso compassivo.

Plasma por doação por aférese

Na doação por aférese, alguns pontos divergem do método através do sangue total. Antes da coleta é necessário ter testado positivo para Covid-19, pelo exame PCR ou teste sorológico, e estar recuperado e sem sintomas há, no mínimo, 28 dias.

No caso dos homens, podem doar aqueles entre 18 e 59 anos, 11 meses e 29 dias. Há uma realização prévia de teste sorológico para detecção dos anticorpos e bloco sorológico. O plasma é destinado para o projeto de pesquisa junto ao Hospital Virvi Ramos (o projeto de estudo aprovado contempla apenas plasma originado de homens).

Para as mulheres, a idade é de 18 até 59 anos, 11 meses e 29 dias. Também serão aceitas mulheres que tiveram até duas gestações ou abortos. Ocorre, igualmente, a realização prévia do teste sorológico para detecção dos anticorpos e bloco sorológico. O plasma é destinado para uso compassivo.

Link para notícia no site Tua Rádio

Hospital do Círculo adquire nova tecnologia para suporte respiratório

O cateter nasal de alto fluxo é menos invasivo, e pode ser utilizado para tratamento de pacientes com a covid-19.
O aparelho é um recurso intermediário entre a ventilação não invasiva e o suporte de oxigênio convencional. O cateter nasal de alto fluxo (CNAF) pode ser utilizado em pacientes adultos, pediátricos e neonatais com sintomas de desconforto respiratório.

O coordenador do serviço de fisioterapia do hospital, Ney Ricardo Stedile, explicou os detalhes da nova tecnologia em entrevista ao No Ponto desta quarta-feira (21).

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

O cateter nasal de alto fluxo é menos invasivo, e pode ser utilizado para tratamento de pacientes com a covid-19.

O aparelho é um recurso intermediário entre a ventilação não invasiva e o suporte de oxigênio convencional. O cateter nasal de alto fluxo (CNAF) pode ser utilizado em pacientes adultos, pediátricos e neonatais com sintomas de desconforto respiratório.

O coordenador do serviço de fisioterapia do hospital, Ney Ricardo Stedile, explicou os detalhes da nova tecnologia em entrevista ao No Ponto desta quarta-feira (21).

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul registra mais três mortes por coronavírus

São 163 mortes em decorrência da Covid-19 na cidade
Mais três óbitos por complicações do coronavírus foram registrados em Caxias do Sul, de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

A 161ª morte é um idoso de 73 anos, hipertenso. Ele internou no Hospital do Círculo dia 14 de outubro e faleceu dia 18. O óbito de número 162 é uma mulher de 54 anos, acamada por sequela de acidente vascular. Ela faleceu em casa no dia 12 de outubro. Já a 163ª morte é uma idosa de 79 anos, com doença neurológica crônica. Ela internou na UTI do Hospital da Unimed dia 24 de setembro e faleceu nesta terça-feira (20/10).

Dessa forma, Caxias do Sul registra 163 óbitos, sendo 95 homens entre 31 e 94 anos e 68 mulheres entre 33 e 97 anos.

São 163 mortes em decorrência da Covid-19 na cidade

Mais três óbitos por complicações do coronavírus foram registrados em Caxias do Sul, de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

A 161ª morte é um idoso de 73 anos, hipertenso. Ele internou no Hospital do Círculo dia 14 de outubro e faleceu dia 18. O óbito de número 162 é uma mulher de 54 anos, acamada por sequela de acidente vascular. Ela faleceu em casa no dia 12 de outubro. Já a 163ª morte é uma idosa de 79 anos, com doença neurológica crônica. Ela internou na UTI do Hospital da Unimed dia 24 de setembro e faleceu nesta terça-feira (20/10).

Dessa forma, Caxias do Sul registra 163 óbitos, sendo 95 homens entre 31 e 94 anos e 68 mulheres entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Tua Rádio Alvorada é parceira em live voltada ao Outubro Rosa

Evento é promovido pelo Hospital Cristo Redentor e pela Secretaria Municipal da Saúde
Câncer de mama não faz quarentena. Com este tema o Hospital Cristo Redentor e a Secretaria Municipal de Saúde realizam na próxima quinta-feira, 22/10, a partir das 19h30, live sobre o Outubro Rosa, mês de conscientização sobre a prevenção à saúde da mulher, de forma mais específica, um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama.

O evento on-line será transmitido pelas duas plataformas digitais do HCR: Instagram e Facebook, além da Página da Tua Rádio Alvorada no Facebook. Nestes quatro espaços virtuais, a comunidade poderá interagir ao vivo com perguntas e considerações através do chat. Os profissonais que irão participar são Carolina Rosa, médica ginecologista e mastologista; Cleiton Alam, médico cirurgião plástico; Henrique Biavatti, médico cirurgião plástico; Tomás Bergonsi, também médico cirurgião plástico; Júlia Pastorello, médica oncologista; Leila Antunes Riggo, enfermeira especialista em saúde da família e Jaqueline Moreira, psicóloga clínica e organizacional.

Na oportunidade, a empresária Soriana Timbola Perin vai contar sua experiência de tratamento e superação do câncer de mama. De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), somente no Brasil em 2020, existe o registro de 66.280 novos casos da doença, o que representa um aumento de quase 30%. Ainda a partir de dados do Instituto IMAMA, só no Rio Grande do Sul, 5.210 novos casos da doença serão registrados até o fim deste ano.

Evento é promovido pelo Hospital Cristo Redentor e pela Secretaria Municipal da Saúde

Câncer de mama não faz quarentena. Com este tema o Hospital Cristo Redentor e a Secretaria Municipal de Saúde realizam na próxima quinta-feira, 22/10, a partir das 19h30, live sobre o Outubro Rosa, mês de conscientização sobre a prevenção à saúde da mulher, de forma mais específica, um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama.

O evento on-line será transmitido pelas duas plataformas digitais do HCR: Instagram e Facebook, além da Página da Tua Rádio Alvorada no Facebook. Nestes quatro espaços virtuais, a comunidade poderá interagir ao vivo com perguntas e considerações através do chat. Os profissonais que irão participar são Carolina Rosa, médica ginecologista e mastologista; Cleiton Alam, médico cirurgião plástico; Henrique Biavatti, médico cirurgião plástico; Tomás Bergonsi, também médico cirurgião plástico; Júlia Pastorello, médica oncologista; Leila Antunes Riggo, enfermeira especialista em saúde da família e Jaqueline Moreira, psicóloga clínica e organizacional.

Na oportunidade, a empresária Soriana Timbola Perin vai contar sua experiência de tratamento e superação do câncer de mama. De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), somente no Brasil em 2020, existe o registro de 66.280 novos casos da doença, o que representa um aumento de quase 30%. Ainda a partir de dados do Instituto IMAMA, só no Rio Grande do Sul, 5.210 novos casos da doença serão registrados até o fim deste ano.

Link para notícia no site Tua Rádio

Desde o início da pandemia, Caxias já registrou 64 surtos da Covid-19

Desses, 47 já foram encerrados e 17 seguem ativos e em monitoramento
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), informa que desde o início da pandemia da Covid-19, 64 surtos da doença foram registrados na cidade. Desses, 47 já foram encerrados e 17 seguem ativos e em monitoramento. O primeiro caso de surto da doença foi notificado em 10 de março, em uma empresa de fabricação de produtos alimentícios, com dois trabalhadores atingidos. A maior parte dos surtos ocorreu em serviços diversos (49,2%), seguido por instituições de longa permanência de idosos (ILPIs) com 34,9% e serviços de saúde (15,9%). Dentre os serviços de saúde, as UBSs representam a maior parte dos casos com 10 surtos, seguido dos hospitais com 6. Dentre os serviços diversos, destaca-se o setor de fabricação de máquinas e equipamentos (19,4%), seguidos dos setores de produtos não metálicos (13%) e de produtos alimentícios e de bebidas (13%).

Até o dia 10 de outubro, haviam dez surtos em ILPIs, sendo dois ativos ainda, 19 em outros serviços, sendo 12 ativos e 20 na área da saúde, estando três ativos.

Desses, 47 já foram encerrados e 17 seguem ativos e em monitoramento

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), informa que desde o início da pandemia da Covid-19, 64 surtos da doença foram registrados na cidade. Desses, 47 já foram encerrados e 17 seguem ativos e em monitoramento. O primeiro caso de surto da doença foi notificado em 10 de março, em uma empresa de fabricação de produtos alimentícios, com dois trabalhadores atingidos. A maior parte dos surtos ocorreu em serviços diversos (49,2%), seguido por instituições de longa permanência de idosos (ILPIs) com 34,9% e serviços de saúde (15,9%). Dentre os serviços de saúde, as UBSs representam a maior parte dos casos com 10 surtos, seguido dos hospitais com 6. Dentre os serviços diversos, destaca-se o setor de fabricação de máquinas e equipamentos (19,4%), seguidos dos setores de produtos não metálicos (13%) e de produtos alimentícios e de bebidas (13%).

Até o dia 10 de outubro, haviam dez surtos em ILPIs, sendo dois ativos ainda, 19 em outros serviços, sendo 12 ativos e 20 na área da saúde, estando três ativos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Estado publica regras para realização de eventos e festas infantis

a reA realização deste eventos só poderá ocorrer em cidades que autorizaram e que estão no processo de retomada escolar
Diante da redução dos indicadores de propagação do coronavírus no Rio Grande do Sul, o governo do Estado, depois de ampla debate com representantes do setor e análise do Gabinete de Crise, liberou, a partir de decreto, a realização de eventos infantis em buffet, casas de festas ou similares. O decreto que detalha os protocolos a serem seguidos foi publicado no Diário Oficial do Estado de segunda-feira, 19/10.

Esses eventos só poderão ser realizados em regiões que estejam há pelo menos 14 dias seguidos em bandeira laranja ou amarela. Em regiões Covid em bandeira amarela, o número máximo de participantes, entre público e trabalhadores, é de 100 pessoas. Na bandeira laranja, o número máximo permitido é de 70 pessoas. Em ambas as classificações de risco, a duração das festas deve ser de até quatro horas.

Assim como os demais eventos já liberados pelo Estado, a realização só poderá ocorrer em cidades que autorizaram e que estão no processo de retomada escolar. A condição foi estabelecida como forma de elencar uma prioridade na retomada de atividades.

Além disso, em ambas as bandeiras, os organizadores dos eventos devem seguir as normas estabelecidas pelas portarias 319 e 617 da Secretaria da Saúde, sobre serviços de alimentação e eventos, e o Decreto Estadual 55.240.

• Clique aqui e acesse o Decreto Nº 55.548, de 19 de outubro de 2020

Confira as regras que devem ser seguidas para realização de festas infantis em regiões de bandeira amarela e bandeira laranja:

BANDEIRA AMARELA
• Máximo de 100 pessoas (trabalhadores e público), respeitando o teto de ocupação e o distanciamento estabelecido no Modo de Atendimento
• Duração máxima do evento (para o público): 4 horas

BANDEIRA LARANJA
• Máximo de 70 pessoas (trabalhadores e público), respeitando o teto de ocupação e o distanciamento estabelecido no Modo de Atendimento
• Duração máxima do evento (para o público): 4 horas

PARA AMBAS AS BANDEIRAS
• Modo de operação: teletrabalho/presencial restrito
• Elaboração de projeto (croqui e protocolos), disponível para fiscalização e/ou autorização, quando couber
• Circulação de ar cruzada, com manutenção de janelas e portas abertas, independentemente do uso de equipamento de climatização
• Adesivagem do piso demarcando o devido distanciamento social nas filas
• Distanciamento mínimo de dois metros entre mesas, organizadas de modo a evitar cruzamento e/ou aglomeração entre clientes e entre trabalhadores
• Higienização de todas as áreas comuns (corredores, portas, elevadores, banheiros, vestiários, grades, mesas e assentos das instalações e superfícies de contato) com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar, antes da abertura do evento e após o término
• Higienização a cada uma hora de superfícies de contato (brinquedos, mesas, maçanetas, corrimão, balcões etc.) e a cada duas horas de banheiro e áreas comuns de maior circulação, com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar
• Higienização de brinquedos a cada uso, com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar
• Dispor de kit completo nos banheiros (álcool gel 70% e/ou sanitizantes de efeito similar, sabonete líquido, toalhas de papel e lixeira com tampa com acionamento sem uso das mãos)
• Fluxo único para entrada e saída do local, bem como de entrada e saída dos brinquedos
• Alimentação e bebidas conforme Portaria SES nº 319
• Alimentos, talheres e guardanapos embalados individualmente/
• Vedado alimentos expostos (mesa de doces e salgados) e bebedouros verticais

MODO DE ATENDIMENTO EM REGIÕES DE BANDEIRA AMARELA OU LARANJA
• Máscara de uso obrigatório sempre, com exceção do momento do consumo de alimentos ou bebidas, repondo imediatamente depois
• Registro dos contatos de todos os presentes (trabalhadores e público), para rastreabilidade em caso de posterior confirmação ou suspeita de Covid-19
• Reforço constante na comunicação visual e sonora dos protocolos (cartazes, vídeos, áudios e monitores)
• Distanciamento de dois metros na interação de artistas com público, vedado o contato físico
• Disponibilização de álcool em gel em diferentes locais, para uso de trabalhadores e público
• Disponibilizar álcool gel e monitor orientando sobre o uso da máscara e a correta higienização das mãos antes e depois de acessar os brinquedos

a reA realização deste eventos só poderá ocorrer em cidades que autorizaram e que estão no processo de retomada escolar

Diante da redução dos indicadores de propagação do coronavírus no Rio Grande do Sul, o governo do Estado, depois de ampla debate com representantes do setor e análise do Gabinete de Crise, liberou, a partir de decreto, a realização de eventos infantis em buffet, casas de festas ou similares. O decreto que detalha os protocolos a serem seguidos foi publicado no Diário Oficial do Estado de segunda-feira, 19/10.

Esses eventos só poderão ser realizados em regiões que estejam há pelo menos 14 dias seguidos em bandeira laranja ou amarela. Em regiões Covid em bandeira amarela, o número máximo de participantes, entre público e trabalhadores, é de 100 pessoas. Na bandeira laranja, o número máximo permitido é de 70 pessoas. Em ambas as classificações de risco, a duração das festas deve ser de até quatro horas.

Assim como os demais eventos já liberados pelo Estado, a realização só poderá ocorrer em cidades que autorizaram e que estão no processo de retomada escolar. A condição foi estabelecida como forma de elencar uma prioridade na retomada de atividades.

Além disso, em ambas as bandeiras, os organizadores dos eventos devem seguir as normas estabelecidas pelas portarias 319 e 617 da Secretaria da Saúde, sobre serviços de alimentação e eventos, e o Decreto Estadual 55.240.

• Clique aqui e acesse o Decreto Nº 55.548, de 19 de outubro de 2020

Confira as regras que devem ser seguidas para realização de festas infantis em regiões de bandeira amarela e bandeira laranja:

BANDEIRA AMARELA
• Máximo de 100 pessoas (trabalhadores e público), respeitando o teto de ocupação e o distanciamento estabelecido no Modo de Atendimento
• Duração máxima do evento (para o público): 4 horas

BANDEIRA LARANJA
• Máximo de 70 pessoas (trabalhadores e público), respeitando o teto de ocupação e o distanciamento estabelecido no Modo de Atendimento
• Duração máxima do evento (para o público): 4 horas

PARA AMBAS AS BANDEIRAS
• Modo de operação: teletrabalho/presencial restrito
• Elaboração de projeto (croqui e protocolos), disponível para fiscalização e/ou autorização, quando couber
• Circulação de ar cruzada, com manutenção de janelas e portas abertas, independentemente do uso de equipamento de climatização
• Adesivagem do piso demarcando o devido distanciamento social nas filas
• Distanciamento mínimo de dois metros entre mesas, organizadas de modo a evitar cruzamento e/ou aglomeração entre clientes e entre trabalhadores
• Higienização de todas as áreas comuns (corredores, portas, elevadores, banheiros, vestiários, grades, mesas e assentos das instalações e superfícies de contato) com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar, antes da abertura do evento e após o término
• Higienização a cada uma hora de superfícies de contato (brinquedos, mesas, maçanetas, corrimão, balcões etc.) e a cada duas horas de banheiro e áreas comuns de maior circulação, com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar
• Higienização de brinquedos a cada uso, com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar
• Dispor de kit completo nos banheiros (álcool gel 70% e/ou sanitizantes de efeito similar, sabonete líquido, toalhas de papel e lixeira com tampa com acionamento sem uso das mãos)
• Fluxo único para entrada e saída do local, bem como de entrada e saída dos brinquedos
• Alimentação e bebidas conforme Portaria SES nº 319
• Alimentos, talheres e guardanapos embalados individualmente/
• Vedado alimentos expostos (mesa de doces e salgados) e bebedouros verticais

MODO DE ATENDIMENTO EM REGIÕES DE BANDEIRA AMARELA OU LARANJA
• Máscara de uso obrigatório sempre, com exceção do momento do consumo de alimentos ou bebidas, repondo imediatamente depois
• Registro dos contatos de todos os presentes (trabalhadores e público), para rastreabilidade em caso de posterior confirmação ou suspeita de Covid-19
• Reforço constante na comunicação visual e sonora dos protocolos (cartazes, vídeos, áudios e monitores)
• Distanciamento de dois metros na interação de artistas com público, vedado o contato físico
• Disponibilização de álcool em gel em diferentes locais, para uso de trabalhadores e público
• Disponibilizar álcool gel e monitor orientando sobre o uso da máscara e a correta higienização das mãos antes e depois de acessar os brinquedos

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul chega ao 159º óbito por Covid-19

Vítima é um homem, de 59 anos, com complicações de saúde
Caxias do Sul contabilizou mais um óbito por complicações do coronavírus nesta terça-feira (20/10). Trata-se de um homem, de 59 anos, hipertenso e obeso. Ele internou na UTI do Hospital Virvi Ramos dia 29 de setembro e faleceu ontem (19/10).

Dessa forma, Caxias do Sul registra 159 óbitos, sendo 93 masculinos entre 31 e 94 anos e 66 femininos entre 33 e 97 anos.

Vítima é um homem, de 59 anos, com complicações de saúde

Caxias do Sul contabilizou mais um óbito por complicações do coronavírus nesta terça-feira (20/10). Trata-se de um homem, de 59 anos, hipertenso e obeso. Ele internou na UTI do Hospital Virvi Ramos dia 29 de setembro e faleceu ontem (19/10).

Dessa forma, Caxias do Sul registra 159 óbitos, sendo 93 masculinos entre 31 e 94 anos e 66 femininos entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Dia Mundial e Nacional da Osteoporose: como identificar sintomas e prevenir

Alimentação adequada e exercícios físicos colaboram para evitar avanço da doença.
Doença que atinge principalmente mulheres e idosos, a osteoporose se desenvolve de maneira silenciosa. No Brasil, cerca de 15 milhões de pessoas possuem a enfermidade. O ortopedista Marcus Bianchi explicou, em entrevista ao No Ponto, algumas maneiras para evitar o avanço da doença.

Entre as recomendações, está uma alimentação adequada, prática de exercícios e evitar o tabagismo.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Alimentação adequada e exercícios físicos colaboram para evitar avanço da doença.

Doença que atinge principalmente mulheres e idosos, a osteoporose se desenvolve de maneira silenciosa. No Brasil, cerca de 15 milhões de pessoas possuem a enfermidade. O ortopedista Marcus Bianchi explicou, em entrevista ao No Ponto, algumas maneiras para evitar o avanço da doença.

Entre as recomendações, está uma alimentação adequada, prática de exercícios e evitar o tabagismo.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Saúde bucal: como uma consulta ao dentista pode ajudar na identificação de doenças como a diabetes

Cirurgião dentista explica como é realizado este processo
Você sabia que a “saúde bucal” vai além do cuidado com os dentes, lábios e gengiva? Como explica o cirurgião dentista, Victor Angelo Mezzomo, através da cavidade bucal é possível observar sinais e identificar doenças que não estão necessariamente localizadas neste local do corpo. Estas descobertas acontecem com a junção de alguns procedimentos realizados pelo dentista que vão desde observar características da boca do paciente, até o pedido de exames complementares.

Segundo Vitor, diversas doenças acabam “modificando” características da boca, a diabetes por exemplo, deixa a cavidade bucal mais seca, provoca problemas nos tecidos e sustentação dos dentes, deixa o hálito mais forte, deixa a língua e a gengiva com tons mais avermelhados, entre outras características. É através destes aspectos que o dentista percebe que algo não está bem e parte para o pedido de exames complementares e quando necessário faz o encaminhamento do paciente para um médico especialista.

A entrevista completa com Vitor Angelo Mezzomo está disponível no áudio da matéria.

Cirurgião dentista explica como é realizado este processo

Você sabia que a “saúde bucal” vai além do cuidado com os dentes, lábios e gengiva? Como explica o cirurgião dentista, Victor Angelo Mezzomo, através da cavidade bucal é possível observar sinais e identificar doenças que não estão necessariamente localizadas neste local do corpo. Estas descobertas acontecem com a junção de alguns procedimentos realizados pelo dentista que vão desde observar características da boca do paciente, até o pedido de exames complementares.

Segundo Vitor, diversas doenças acabam “modificando” características da boca, a diabetes por exemplo, deixa a cavidade bucal mais seca, provoca problemas nos tecidos e sustentação dos dentes, deixa o hálito mais forte, deixa a língua e a gengiva com tons mais avermelhados, entre outras características. É através destes aspectos que o dentista percebe que algo não está bem e parte para o pedido de exames complementares e quando necessário faz o encaminhamento do paciente para um médico especialista.

A entrevista completa com Vitor Angelo Mezzomo está disponível no áudio da matéria.

Link para notícia no site Tua Rádio

BRF lança campanha interna relativa ao Outubro Rosa

Companhia oferece iniciativas para sensibilizar colaboradores sobre a importância da prevenção e do autocuidado
A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, adere à campanha Outubro Rosa, com a intenção de alertar sobre o câncer de mama e de colo do útero. Ao longo do mês, a Companhia vem trazendo, por meio de campanha interna, vídeos, dicas e depoimentos com mensagens de apoio e incentivo às mulheres, além de uma série de webinars com médicos especialistas em saúde da mulher.

O objetivo da BRF é encorajar as colaboradoras a realizarem seus exames, a fim de prevenir a doença, já que o autocuidado e o diagnóstico precoce podem salvar vidas. A Companhia também oferece apoio médico e emocional às funcionárias que já foram diagnosticadas e que estejam em tratamento. Orientações sobre autoexame, prevenção e sintomas estão na agenda de saúde da BRF para que as mulheres tenham hábitos de vida saudáveis e fiquem atentas a qualquer sinal de alterações suspeitas em seus corpos.

O movimento Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. O mês é celebrado anualmente e tem como propósito difundir informações e promover a conscientização sobre o câncer de mama e colo do útero. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), medidas preventivas como alimentação saudável, redução no consumo de álcool e prática de atividades físicas regulares podem evitar até 28% de prognósticos positivos.

Companhia oferece iniciativas para sensibilizar colaboradores sobre a importância da prevenção e do autocuidado

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, adere à campanha Outubro Rosa, com a intenção de alertar sobre o câncer de mama e de colo do útero. Ao longo do mês, a Companhia vem trazendo, por meio de campanha interna, vídeos, dicas e depoimentos com mensagens de apoio e incentivo às mulheres, além de uma série de webinars com médicos especialistas em saúde da mulher.

O objetivo da BRF é encorajar as colaboradoras a realizarem seus exames, a fim de prevenir a doença, já que o autocuidado e o diagnóstico precoce podem salvar vidas. A Companhia também oferece apoio médico e emocional às funcionárias que já foram diagnosticadas e que estejam em tratamento. Orientações sobre autoexame, prevenção e sintomas estão na agenda de saúde da BRF para que as mulheres tenham hábitos de vida saudáveis e fiquem atentas a qualquer sinal de alterações suspeitas em seus corpos.

O movimento Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. O mês é celebrado anualmente e tem como propósito difundir informações e promover a conscientização sobre o câncer de mama e colo do útero. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), medidas preventivas como alimentação saudável, redução no consumo de álcool e prática de atividades físicas regulares podem evitar até 28% de prognósticos positivos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul tem quase mil casos ativos da Covid-19

Total de registros da doença é de 9.720
A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta segunda-feira (19) informando que o município chegou a 9.720 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 977 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.585 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 929 estão em isolamento domiciliar, 22 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 150 pessoas aguardando resultado e 60.601 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 158 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.720 casos confirmados, 4.554 são homens e 5.166 mulheres. Do total, 1.083 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 70%, com 51 vagas utilizadas. Já na rede particular, 61 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 72% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Total de registros da doença é de 9.720

A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta segunda-feira (19) informando que o município chegou a 9.720 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 977 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.585 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 929 estão em isolamento domiciliar, 22 em enfermaria e 26 em UTI.

Também há 150 pessoas aguardando resultado e 60.601 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 158 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.720 casos confirmados, 4.554 são homens e 5.166 mulheres. Do total, 1.083 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 70%, com 51 vagas utilizadas. Já na rede particular, 61 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 72% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Link para notícia no site Tua Rádio

Sociedade de Pediatria reforça pedido para que pais mantenham em dia calendário de vacinação

Queda de cobertura começou nos últimos anos, mas aumentou durante a pandemia.
A preocupação da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS) aumentou com a baixa procura da vacinação infantil ao longo da pandemia. Juarez Cunha, integrante do Comitê de Infectologia da SPRS, revela que a meta de imunização para algumas doenças caiu nos últimos anos. Entretanto, aumentou ao longo de 2020.

O médico explicou a evolução do calendário vacinal brasileiro em entrevista ao No Ponto, desta segunda-feira (19).

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Queda de cobertura começou nos últimos anos, mas aumentou durante a pandemia.

A preocupação da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS) aumentou com a baixa procura da vacinação infantil ao longo da pandemia. Juarez Cunha, integrante do Comitê de Infectologia da SPRS, revela que a meta de imunização para algumas doenças caiu nos últimos anos. Entretanto, aumentou ao longo de 2020.

O médico explicou a evolução do calendário vacinal brasileiro em entrevista ao No Ponto, desta segunda-feira (19).

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul registra mais duas mortes por Covid-19

Agora, cidade possui 158 óbitos pela doença
Caxias do Sul contabilizou mais dois óbitos por complicações do coronavírus nesta segunda-feira (19/10). O primeiro trata-se de um homem, de 45 anos, com epilepsia. Ele internou na UTI do Hospital Virvi Ramos dia 5 de outubro e faleceu no último sábado (17).

O outro é um idoso, de 86 anos, com neoplasia maligna de estômago. Ele internou na enfermaria do Hospital Pompeia na última sexta-feira (16/10) e faleceu no dia seguinte.

Dessa forma, Caxias do Sul registra 158 óbitos, sendo 92 masculinos entre 31 e 94 anos e 66 femininos entre 33 e 97 anos.

Agora, cidade possui 158 óbitos pela doença

Caxias do Sul contabilizou mais dois óbitos por complicações do coronavírus nesta segunda-feira (19/10). O primeiro trata-se de um homem, de 45 anos, com epilepsia. Ele internou na UTI do Hospital Virvi Ramos dia 5 de outubro e faleceu no último sábado (17).

O outro é um idoso, de 86 anos, com neoplasia maligna de estômago. Ele internou na enfermaria do Hospital Pompeia na última sexta-feira (16/10) e faleceu no dia seguinte.

Dessa forma, Caxias do Sul registra 158 óbitos, sendo 92 masculinos entre 31 e 94 anos e 66 femininos entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

6.910 crianças e adolescentes comparecem ao Dia “D” de vacinação

Ação ocorreu no sábado com foco na imunização contra a poliomielite e na multivacinação
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), promoveu o Dia “D” de vacinação contra a poliomielite e multivacinação nesse sábado (17). Das 8h às 17h, as 48 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município receberam 6.910 crianças e adolescentes. Desses, 3.962 foram imunizadas contra a paralisia infantil e 2.764 receberam doses atrasadas contra outras doenças. As Unidades que mais receberam pessoas foram a do Jardim Eldorado (478), Desvio Rizzo (420) e Vila Ipê (332).

Até o momento, 6.626 crianças já foram imunizadas contra a pólio e 6.682 crianças e adolescentes receberam outras doses durante a atualização da caderneta. A campanha da vacina da poliomielite é para crianças de 1 ano até 4 anos 11 meses e 29 dias. A meta é atingir 95% das crianças dessa faixa etária, a qual, segundo o IBGE, é de 22.127 mil. Já a campanha de multivacinação tem o objetivo de colocar em dia o esquema vacinal de crianças e adolescentes (0 a 14 anos completos).

A campanha começou no último dia 5 e segue até 30 de outubro.

Ação ocorreu no sábado com foco na imunização contra a poliomielite e na multivacinação

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), promoveu o Dia "D" de vacinação contra a poliomielite e multivacinação nesse sábado (17). Das 8h às 17h, as 48 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município receberam 6.910 crianças e adolescentes. Desses, 3.962 foram imunizadas contra a paralisia infantil e 2.764 receberam doses atrasadas contra outras doenças. As Unidades que mais receberam pessoas foram a do Jardim Eldorado (478), Desvio Rizzo (420) e Vila Ipê (332).

Até o momento, 6.626 crianças já foram imunizadas contra a pólio e 6.682 crianças e adolescentes receberam outras doses durante a atualização da caderneta. A campanha da vacina da poliomielite é para crianças de 1 ano até 4 anos 11 meses e 29 dias. A meta é atingir 95% das crianças dessa faixa etária, a qual, segundo o IBGE, é de 22.127 mil. Já a campanha de multivacinação tem o objetivo de colocar em dia o esquema vacinal de crianças e adolescentes (0 a 14 anos completos).

A campanha começou no último dia 5 e segue até 30 de outubro.

Link para notícia no site Tua Rádio

Dia Nacional de Combate à Sífilis é celebrado neste sábado

Número de casos em Caxias do Sul subiu consideravelmente entre 2011 e 2019.
Segundo o Serviço de Infectologia e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) de Caxias do Sul, entre os anos de 2011 e 2019, 7.669 casos de sífilis foram registrados em pessoas residentes no município. Com isso, a taxa de detecção passou de 13,4 para 320 casos para cada 100 mil habitantes.

Entre os registros, chama atenção o aumento entre pessoas na faixa dos 20 a 29 anos. A médica infectologista Andre Dal Bó ressalta que esses números são preocupantes. Ela explicou sobre os sintomas da doença e o tratamento, que está disponível no SUS.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Número de casos em Caxias do Sul subiu consideravelmente entre 2011 e 2019.

Segundo o Serviço de Infectologia e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) de Caxias do Sul, entre os anos de 2011 e 2019, 7.669 casos de sífilis foram registrados em pessoas residentes no município. Com isso, a taxa de detecção passou de 13,4 para 320 casos para cada 100 mil habitantes.

Entre os registros, chama atenção o aumento entre pessoas na faixa dos 20 a 29 anos. A médica infectologista Andre Dal Bó ressalta que esses números são preocupantes. Ela explicou sobre os sintomas da doença e o tratamento, que está disponível no SUS.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Tua Rádio Alvorada é parceira em live voltada ao Outubro Rosa

Evento é promovido pelo Hospital Cristo Redentor e pela Secretaria Municipal da Saúde
Câncer de mama não faz quarentena. Com este tema o Hospital Cristo Redentor e a Secretaria Municipal de Saúde realizam na próxima quinta-feira, 22/10, a partir das 19h30, live sobre o Outubro Rosa, mês de conscientização sobre a prevenção à saúde da mulher, de forma mais específica, um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama.

O evento on-line será transmitido pelas duas plataformas digitais do HCR: Instagram e Facebook, além da Página da Tua Rádio Alvorada no Facebook. Nestes quatro espaços virtuais, a comunidade poderá interagir ao vivo com perguntas e considerações através do chat. Os profissonais que irão participar são Carolina Rosa, médica ginecologista e mastologista; Cleiton Alam, médico cirurgião plástico; Henrique Biavatti, médico cirurgião plástico; Tomás Bergonsi, também médico cirurgião plástico; Júlia Pastorello, médica oncologista; Leila Antunes Riggo, enfermeira especialista em saúde da família e Jaqueline Moreira, psicóloga clínica e organizacional.

Na oportunidade, a empresária Soriana Timbola Perin vai contar sua experiência de tratamento e superação do câncer de mama. De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), somente no Brasil em 2020, existe o registro de 66.280 novos casos da doença, o que representa um aumento de quase 30%. Ainda a partir de dados do Instituto IMAMA, só no Rio Grande do Sul, 5.210 novos casos da doença serão registrados até o fim deste ano.

Evento é promovido pelo Hospital Cristo Redentor e pela Secretaria Municipal da Saúde

Câncer de mama não faz quarentena. Com este tema o Hospital Cristo Redentor e a Secretaria Municipal de Saúde realizam na próxima quinta-feira, 22/10, a partir das 19h30, live sobre o Outubro Rosa, mês de conscientização sobre a prevenção à saúde da mulher, de forma mais específica, um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama.

O evento on-line será transmitido pelas duas plataformas digitais do HCR: Instagram e Facebook, além da Página da Tua Rádio Alvorada no Facebook. Nestes quatro espaços virtuais, a comunidade poderá interagir ao vivo com perguntas e considerações através do chat. Os profissonais que irão participar são Carolina Rosa, médica ginecologista e mastologista; Cleiton Alam, médico cirurgião plástico; Henrique Biavatti, médico cirurgião plástico; Tomás Bergonsi, também médico cirurgião plástico; Júlia Pastorello, médica oncologista; Leila Antunes Riggo, enfermeira especialista em saúde da família e Jaqueline Moreira, psicóloga clínica e organizacional.

Na oportunidade, a empresária Soriana Timbola Perin vai contar sua experiência de tratamento e superação do câncer de mama. De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), somente no Brasil em 2020, existe o registro de 66.280 novos casos da doença, o que representa um aumento de quase 30%. Ainda a partir de dados do Instituto IMAMA, só no Rio Grande do Sul, 5.210 novos casos da doença serão registrados até o fim deste ano.

Link para notícia no site Tua Rádio

Hospitais da região recebem recursos de emendas parlamentares

Nesta sexta-feira (16/10), mais R$ 36,1 milhões repassados pela bancada federal gaúcha foram distribuídos pelo governo do Estado a 101 hospitais.

Mesmo com a gradativa melhora nos indicadores de saúde e capacidade de atendimento, os recursos são necessários para que os hospitais mantenham os serviços. Pelas regras da Portaria da Secretaria da Saúde (SES) 618/2020, o valor deverá ser usado exclusivamente no combate à Covid-19, para aquisições de medicamentos e insumos, locação e manutenção de equipamentos, reforma para adequação de espaços, contratação temporária de pessoal e de serviços de apoio diagnóstico e tratamento, entre outras despesas de custeio necessárias durante a pandemia.

Em cerimônia restrita no Palácio Piratini e transmitida pelas redes sociais, na manhã desta sexta-feira, o governador Eduardo Leite, o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior e a secretária da Saúde, Arita Bergmann, anunciaram a destinação tanto dos recursos para a saúde

ERECHIM FUNCACAO HOSPITALAR SANTA TEREZINHA R$ 800.000,00

GETULIO VARGAS HOSPITAL SAO ROQUE R$ 50.000,00

LAGOA VERMELHA HOSPITAL SAO PAULO R$ 150.000,00

PASSO FUNDO HOSPITAL DE CLINICAS 9 R$ 2.160.000,00

PASSO FUNDO HOSPITAL SAO VICENTE DE PAULO R$ 2.999.500,00

SANANDUVA HOSPITAL SAO JOAO R$ 215.000,00

SAO JOSE DO OURO HOSPITAL SAO JOSE R$ 237.500,00

TAPEJARA HOSPITAL SANTO ANTONIO R$ 100.000,00

Nesta sexta-feira (16/10), mais R$ 36,1 milhões repassados pela bancada federal gaúcha foram distribuídos pelo governo do Estado a 101 hospitais.

Mesmo com a gradativa melhora nos indicadores de saúde e capacidade de atendimento, os recursos são necessários para que os hospitais mantenham os serviços. Pelas regras da Portaria da Secretaria da Saúde (SES) 618/2020, o valor deverá ser usado exclusivamente no combate à Covid-19, para aquisições de medicamentos e insumos, locação e manutenção de equipamentos, reforma para adequação de espaços, contratação temporária de pessoal e de serviços de apoio diagnóstico e tratamento, entre outras despesas de custeio necessárias durante a pandemia.

Em cerimônia restrita no Palácio Piratini e transmitida pelas redes sociais, na manhã desta sexta-feira, o governador Eduardo Leite, o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior e a secretária da Saúde, Arita Bergmann, anunciaram a destinação tanto dos recursos para a saúde

ERECHIM FUNCACAO HOSPITALAR SANTA TEREZINHA R$ 800.000,00

GETULIO VARGAS HOSPITAL SAO ROQUE R$ 50.000,00

LAGOA VERMELHA HOSPITAL SAO PAULO R$ 150.000,00

PASSO FUNDO HOSPITAL DE CLINICAS 9 R$ 2.160.000,00

PASSO FUNDO HOSPITAL SAO VICENTE DE PAULO R$ 2.999.500,00

SANANDUVA HOSPITAL SAO JOAO R$ 215.000,00

SAO JOSE DO OURO HOSPITAL SAO JOSE R$ 237.500,00

TAPEJARA HOSPITAL SANTO ANTONIO R$ 100.000,00

Link para notícia no site Tua Rádio

Chamar 192 amplia cobertura do Samu para 93% da população do RS

Buscando ampliar a cobertura do 192, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no interior do Estado, a Secretaria da Saúde (SES) treinou mais de 100 profissionais socorristas nesta sexta-feira (16/10). São condutores de veículos, enfermeiros, técnicos, bombeiros voluntários e outros profissionais socorristas de pequenos municípios gaúchos que ainda não faziam parte da Rede Estadual das Urgências.

Entre os 221 municípios sem cobertura do Samu, 37 já aderiram ao programa batizado de Chamar 192 (veja lista abaixo), ampliando para mais cerca de 200 mil habitantes a cobertura do telefone 192 e o serviço de atendimento pré-hospitalar de urgência. Com a adesão desses municípios, o atendimento por meio do 192 chega a 93,36% da população do Rio Grande do Sul.

A expectativa do Estado, nos próximos meses, é de alcançar 100% da população gaúcha, com a adesão voluntária de municípios. “As cidades que não têm habitantes suficientes para justificar a implantação de uma base própria do Samu se viam por conta própria na questão da urgência e emergência pré-hospitalar, descolados do serviço de urgência do Estado”, explicou o diretor do Departamento de Regulação Estadual, Eduardo Elsade.

A partir de agora, as equipes que já faziam este serviço anteriormente no município, como as chamadas “ambulâncias brancas municipais” e bombeiros, passarão a receber todo o apoio de comunicação e logística da Central de Regulação Estadual, sem tirar autonomia da gestão municipal na contratação de profissionais. O projeto é uma parceria entre governo do Estado e Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS).

De acordo com a coordenadora estadual de enfermagem do Samu, Andréa Cristiane da Silva Pinheiro, o projeto não vai beneficiar apenas os cidadãos que moram nesses municípios, mas também a todos que passarem pela região. “Uma pessoa que está viajando, por exemplo, e presencia um acidente na estrada em alguma das cidades que antes não tinha cobertura Samu agora pode ligar para o 192 e será atendida”, informou.

Secretária da Saúde, Arita Bergmann saudou a equipe da Central Estadual de Regulação e disse que a iniciativa é fundamental para proteger e salvar a vida dos cidadãos gaúchos. “Este é um projeto inovador e pioneiro. Nenhum Estado conseguiu atingir 100% da população abrangida pelo Samu”, ressaltou Elsade.

Antes do Chamar 192, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência abrangia população estimada de 10,3 milhões de habitantes, o que corresponde a 91,4% dos gaúchos. Ao aderirem ao projeto, os municípios deverão manter uma equipe com, no mínimo, um motorista e um técnico de enfermagem ou socorrista, e mantê-las por, pelo menos, 12 horas ao dia. Em contrapartida, a SES oferecerá regulação médica primária e secundária aos municípios, com orientação médica às equipes.

Novas turmas já estão agendadas para serem treinadas ainda neste ano, e a estimativa é de que cerca de 500 profissionais, no total, recebam esse primeiro treinamento para compor as equipes socorristas no Estado. A capacitação abrange questões de logística e operacionalização do sistema de regulação, ética e biossegurança, e os tipos mais comuns de acidentes como afogamento, choque elétrico, quedas, engasgos e outros.

Veja os municípios que aderiram ao Chamar 192:
Almirante Tamandaré do Sul
Alpestre
Alto Alegre
Amaral Ferrador
Ametista do Sul
Barracão
Boa Vista do Incra
Brochier
Cacique Doble
Caiçara
Campo Novo
Caseiros
Cerrito
Colorado
Fortaleza dos Valos
Igrejinha
Jari
Machadinho
Mato Castelhano
Monte Belo do Sul
Não-Me-Toque
Quinze de Novembro
Rolante
Sagrada Família
Saldanha Marinho
Santa Bárbara do Sul
Santo Antônio do Planalto
São José das Missões
São José do Ouro
Selbach
Tapera
Tio Hugo
Toropi
Ubiretama
Vicente Dutra
Victor Graeff
Vila Maria

Buscando ampliar a cobertura do 192, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no interior do Estado, a Secretaria da Saúde (SES) treinou mais de 100 profissionais socorristas nesta sexta-feira (16/10). São condutores de veículos, enfermeiros, técnicos, bombeiros voluntários e outros profissionais socorristas de pequenos municípios gaúchos que ainda não faziam parte da Rede Estadual das Urgências.

Entre os 221 municípios sem cobertura do Samu, 37 já aderiram ao programa batizado de Chamar 192 (veja lista abaixo), ampliando para mais cerca de 200 mil habitantes a cobertura do telefone 192 e o serviço de atendimento pré-hospitalar de urgência. Com a adesão desses municípios, o atendimento por meio do 192 chega a 93,36% da população do Rio Grande do Sul.

A expectativa do Estado, nos próximos meses, é de alcançar 100% da população gaúcha, com a adesão voluntária de municípios. “As cidades que não têm habitantes suficientes para justificar a implantação de uma base própria do Samu se viam por conta própria na questão da urgência e emergência pré-hospitalar, descolados do serviço de urgência do Estado", explicou o diretor do Departamento de Regulação Estadual, Eduardo Elsade.

A partir de agora, as equipes que já faziam este serviço anteriormente no município, como as chamadas “ambulâncias brancas municipais” e bombeiros, passarão a receber todo o apoio de comunicação e logística da Central de Regulação Estadual, sem tirar autonomia da gestão municipal na contratação de profissionais. O projeto é uma parceria entre governo do Estado e Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS).

De acordo com a coordenadora estadual de enfermagem do Samu, Andréa Cristiane da Silva Pinheiro, o projeto não vai beneficiar apenas os cidadãos que moram nesses municípios, mas também a todos que passarem pela região. “Uma pessoa que está viajando, por exemplo, e presencia um acidente na estrada em alguma das cidades que antes não tinha cobertura Samu agora pode ligar para o 192 e será atendida”, informou.

Secretária da Saúde, Arita Bergmann saudou a equipe da Central Estadual de Regulação e disse que a iniciativa é fundamental para proteger e salvar a vida dos cidadãos gaúchos. “Este é um projeto inovador e pioneiro. Nenhum Estado conseguiu atingir 100% da população abrangida pelo Samu”, ressaltou Elsade.

Antes do Chamar 192, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência abrangia população estimada de 10,3 milhões de habitantes, o que corresponde a 91,4% dos gaúchos. Ao aderirem ao projeto, os municípios deverão manter uma equipe com, no mínimo, um motorista e um técnico de enfermagem ou socorrista, e mantê-las por, pelo menos, 12 horas ao dia. Em contrapartida, a SES oferecerá regulação médica primária e secundária aos municípios, com orientação médica às equipes.

Novas turmas já estão agendadas para serem treinadas ainda neste ano, e a estimativa é de que cerca de 500 profissionais, no total, recebam esse primeiro treinamento para compor as equipes socorristas no Estado. A capacitação abrange questões de logística e operacionalização do sistema de regulação, ética e biossegurança, e os tipos mais comuns de acidentes como afogamento, choque elétrico, quedas, engasgos e outros.

Veja os municípios que aderiram ao Chamar 192:
Almirante Tamandaré do Sul
Alpestre
Alto Alegre
Amaral Ferrador
Ametista do Sul
Barracão
Boa Vista do Incra
Brochier
Cacique Doble
Caiçara
Campo Novo
Caseiros
Cerrito
Colorado
Fortaleza dos Valos
Igrejinha
Jari
Machadinho
Mato Castelhano
Monte Belo do Sul
Não-Me-Toque
Quinze de Novembro
Rolante
Sagrada Família
Saldanha Marinho
Santa Bárbara do Sul
Santo Antônio do Planalto
São José das Missões
São José do Ouro
Selbach
Tapera
Tio Hugo
Toropi
Ubiretama
Vicente Dutra
Victor Graeff
Vila Maria

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul contabiliza 9.639 casos positivos de Covid-19

Cidade está com os leitos adulto SUS em 65% de ocupação
Caxias do Sul apresentou mais 56 casos positivos de covid-19 nesta sexta-feira (16/10). Agora, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) afirma que a cidade possui 9.639 infectados, com 8.569 recuperados e 914 que estão com a doença no organismo. Dos ativos, 868 estão em isolamento domiciliar, 20 em enfermaria e 26 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O Município registra ainda 156 óbitos por coronavírus.

Caxias do Sul tem 149 leitos de UTI utilizados dos 228 disponíveis, apresentando 65 % de ocupação. Dos leitos de UTI Adulto do Sistema Único de Saúde (SUS), 73% estão ocupados, com 53 usados dos 73 ofertados. Os leitos privados chegam 68% de ocupação (58 ocupados dos 85 disponibilizados).

Dos casos positivos totais, 5.126 são mulheres e 4.513 são homens, com a maioria em uma faixa etária de 30 a 39 anos. Desses, 1.077 são profissionais da saúde e 60 da segurança. O Executivo ainda mostra que 6.109 pessoas procuraram os postos de saúde por síndrome gripal, mas não foram testadas.

A cidade também possui 122 casos suspeitos e 60.402 casos negativos. Para mais informações, acesse a plataforma covid.caxias.rs.gov.br.

Cidade está com os leitos adulto SUS em 65% de ocupação

Caxias do Sul apresentou mais 56 casos positivos de covid-19 nesta sexta-feira (16/10). Agora, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) afirma que a cidade possui 9.639 infectados, com 8.569 recuperados e 914 que estão com a doença no organismo. Dos ativos, 868 estão em isolamento domiciliar, 20 em enfermaria e 26 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O Município registra ainda 156 óbitos por coronavírus.

Caxias do Sul tem 149 leitos de UTI utilizados dos 228 disponíveis, apresentando 65 % de ocupação. Dos leitos de UTI Adulto do Sistema Único de Saúde (SUS), 73% estão ocupados, com 53 usados dos 73 ofertados. Os leitos privados chegam 68% de ocupação (58 ocupados dos 85 disponibilizados).

Dos casos positivos totais, 5.126 são mulheres e 4.513 são homens, com a maioria em uma faixa etária de 30 a 39 anos. Desses, 1.077 são profissionais da saúde e 60 da segurança. O Executivo ainda mostra que 6.109 pessoas procuraram os postos de saúde por síndrome gripal, mas não foram testadas.

A cidade também possui 122 casos suspeitos e 60.402 casos negativos. Para mais informações, acesse a plataforma covid.caxias.rs.gov.br.

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul registra 115 casos da Covid-19 em um dia

Total de pessoas infectadas pela doença sobe para 9.583
A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta terça-feira (13) informando que o município chegou a 9.583 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 928 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.500 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 886 estão em isolamento domiciliar, 17 em enfermaria e 25 em UTI.

Também há 80 pessoas aguardando resultado e 60.308 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 155 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.583 casos confirmados, 4.489 são homens e 5.094 mulheres. Do total, 1.072 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 84%, com 61 vagas utilizadas. Já na rede particular, 61 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 72% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Total de pessoas infectadas pela doença sobe para 9.583

A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta terça-feira (13) informando que o município chegou a 9.583 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 928 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.500 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 886 estão em isolamento domiciliar, 17 em enfermaria e 25 em UTI.

Também há 80 pessoas aguardando resultado e 60.308 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 155 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.583 casos confirmados, 4.489 são homens e 5.094 mulheres. Do total, 1.072 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 84%, com 61 vagas utilizadas. Já na rede particular, 61 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 72% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul contabiliza a 155ª morte por Covid-19

Trata-se de uma idosa, de 73 anos, com comorbidades
Caxias do Sul registrou mais uma morte por Covid-19 nesta quinta-feira (15/10). Trata-se de uma idosa, de 73 anos, hipertensa. Ela internou na UTI do Hospital Geral no dia 10 de outubro e faleceu no dia seguinte.

Dessa forma, Caxias do Sul registra 155 óbitos, sendo 89 masculinos entre 31 e 94 anos e 66 femininos entre 33 e 97 anos.

Trata-se de uma idosa, de 73 anos, com comorbidades

Caxias do Sul registrou mais uma morte por Covid-19 nesta quinta-feira (15/10). Trata-se de uma idosa, de 73 anos, hipertensa. Ela internou na UTI do Hospital Geral no dia 10 de outubro e faleceu no dia seguinte.

Dessa forma, Caxias do Sul registra 155 óbitos, sendo 89 masculinos entre 31 e 94 anos e 66 femininos entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Com mais 110 novos casos, Caxias do Sul passa a 9.468 registros da Covid-19

Segundo Secretaria da Saúde, 8.470 pessoas estão recuperadas
A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta quarta-feira (14) informando que o município chegou a 9.468 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 844 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.470 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 808 estão em isolamento domiciliar, 16 em enfermaria e 20 em UTI.

Também há 115 pessoas aguardando resultado e 60.116 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 154 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.468 casos confirmados, 4.431 são homens e 5.037 mulheres. Do total, 1.060 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 79%, com 58 vagas utilizadas. Já na rede particular, 64 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 75% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Segundo Secretaria da Saúde, 8.470 pessoas estão recuperadas

A Secretaria Municipal da Saúde de Caxias do Sul divulgou o último boletim epidemiológico nesta quarta-feira (14) informando que o município chegou a 9.468 casos confirmados da Covid-19.

O documento também aponta que 844 pessoas estão com o vírus ativo enquanto 8.470 estão recuperadas. Dos pacientes em tratamento, 808 estão em isolamento domiciliar, 16 em enfermaria e 20 em UTI.

Também há 115 pessoas aguardando resultado e 60.116 testaram negativo para Covid-19. Até o momento, o município registrou 154 mortes ocasionadas por complicações da doença.

Dos 9.468 casos confirmados, 4.431 são homens e 5.037 mulheres. Do total, 1.060 são profissionais da saúde e 60 da segurança.

Na rede pública de saúde do município a ocupação de leitos de UTI está em 79%, com 58 vagas utilizadas. Já na rede particular, 64 leitos de UTI estão em utilização, o que corresponde a 75% da capacidade total.

Para mais informações, acesse https://covid.caxias.rs.gov.br

Link para notícia no site Tua Rádio

Idoso de 81 anos é o 154º óbito por Covid-19 em Caxias do Sul

Ele internou no Hospital Pompéia no dia 8 de outubro e faleceu hoje
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) confirma o 154º óbito por Covid-19 nesta quarta-feira (14/10), em Caxias do Sul. Trata-se de um idoso, de 81 anos, com Alzheimer. Ele internou no Hospital Pompéia dia 8 de outubro e faleceu hoje (14/10).

Dessa forma, Caxias do Sul registra 89 mortes masculinas, entre 31 e 94 anos, e 65 femininas, entre 33 e 97 anos.

Ele internou no Hospital Pompéia no dia 8 de outubro e faleceu hoje

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) confirma o 154º óbito por Covid-19 nesta quarta-feira (14/10), em Caxias do Sul. Trata-se de um idoso, de 81 anos, com Alzheimer. Ele internou no Hospital Pompéia dia 8 de outubro e faleceu hoje (14/10).

Dessa forma, Caxias do Sul registra 89 mortes masculinas, entre 31 e 94 anos, e 65 femininas, entre 33 e 97 anos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Trombose pode matar uma em quatro pessoas, alerta especialista

Ações preventivas como hábitos saudáveis, acompanhamento e tratamento dos fatores de risco são indicados
De acordo com a Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia, uma em cada quatro pessoas morre por condições causadas pela trombose no mundo. Para chamar a atenção e orientar sobre os riscos e cuidados, a organização promove o Dia Internacional de Prevenção da Trombose, lembrado em 13 de outubro. O evento global propõe uma série de atividades informativas de prevenção e diagnóstico precoce que envolvem a comunidade médica e a população em geral.

O cirurgião vascular do Hospital Moinhos de Vento, Marcelo Teruchkin, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular e da Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia, falou sobre o assunto em entrevista ao programa Temática na manhã de ontem (13). Acompanhe na íntegra.

Ações preventivas como hábitos saudáveis, acompanhamento e tratamento dos fatores de risco são indicados

De acordo com a Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia, uma em cada quatro pessoas morre por condições causadas pela trombose no mundo. Para chamar a atenção e orientar sobre os riscos e cuidados, a organização promove o Dia Internacional de Prevenção da Trombose, lembrado em 13 de outubro. O evento global propõe uma série de atividades informativas de prevenção e diagnóstico precoce que envolvem a comunidade médica e a população em geral.

O cirurgião vascular do Hospital Moinhos de Vento, Marcelo Teruchkin, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular e da Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia, falou sobre o assunto em entrevista ao programa Temática na manhã de ontem (13). Acompanhe na íntegra.

Link para notícia no site Tua Rádio