Segurança das crianças pauta ações da Brigada Militar e Polícia Civil de Marau

seguranca-das-criancas-pauta-acoes-da-brigada-militar-e-policia-civil-de-marau

Autoridades policiais alertam sobre orientações que podem evitar riscos de sequestros e outros crimes

Um importante alerta tem sido amplamente divulgado pelas autoridades policiais de Marau para despertar a conscientização sobre a segurança das crianças. Em casa e na escola, as crianças precisam de orientações quanto a determinados comportamentos que possam coloca-las em risco.   

O apelo dos policiais é para que pais e professores repassem informações e noções sobre os perigos aos quais as crianças estão expostas quando não há a presença de adultos por perto.

Em entrevista à Tua Rádio Alvorada, o Sargento Valcir Moreschi reforça que algumas orientações básicas podem contribuir para evitar riscos de sequestros e outros crimes que envolvam, principalmente, alunos em horários de chegada e saída da escola.

Segundo o sargento, caso a criança resida próximo à escola e não haja a necessidade de utilização de ônibus, é importante orientar para que o deslocamento, se possível, ocorra em grupo. “Também destacamos que as crianças recebam a orientação para procurar a Brigada Militar sempre que necessário, seja presencialmente ou por telefone e, claro, sempre desconfie de pessoas desconhecidas”, diz Moreschi.

Através do sistema de videomonitoramento, a guarnição de Marau monitora as escolas, sobretudo em momentos de entrada e saída de estudantes. Ações de patrulhamento, inclusive com viaturas, também são realizada com assiduidade.   

Ouça a íntegra da entrevista no player de áudio.

O assunto ganhou maior repercussão nos últimos dias por conta de fato envolvendo um aluno abordado em parada de ônibus. Um homem teria tentado convencer a criança, de dez anos, de que o local de embarque seria diferente do habitual. O menino desconfiou e após compartilhar o fato com a família, a ocorrência foi registrada na Polícia Civil. Em áudio encaminhado à imprensa, o Delegado Norberto Rodrigues dez um apelo para que as devidas orientações fossem reforçadas em casa e nas escolas.

intranet/userfiles/noticias/3241d5d654437d47446d3870c692850e.mp3