“Idosos são os alvos preferidos dos estelionatários”, aponta delegado da Polícia Civil de Marau

Delegado fala sobre alguns cuidados que uma população deve ter para não se tornar uma vitima

Golpes e crimes de estelionato seguindo preocupando os profissionais de segurança . Em entrevista que concedeu a Tua Rádio Alvorada, o delegado da Polícia Civil de Marau, Norberto Rodrigues, chamou a atenção da população para o aumento no número de estelionatos. De acordo com o delegado, existem algumas hipóteses em que a população precisa estar mais atenta:

Pedido de dinheiro ou documento por telefone

Muitas pessoas são vítimas da clonagem do whatsapp, onde o estelionatário consegue administrar o aplicativo de mensagens, se passando pelo real dono do perfil. A ação mais comum, neste caso, é entrar em contato com amigos e familiares da vítima e pedir um empréstimo em dinheiro. Muitas vezes, o pedido é aceito e como fatalam repassando o valor.

A principal orientação às pessoas que se vêem nesta situação, é tentar entrar em contato com o familiar ou amigo de outras maneiras, como ligação de voz, por exemplo, e confirmar a identidade da pessoa que está fazendo o pedido . Outro alerta, aponta Norberto, é sobre a conta em que será depositado este dinheiro. Se o pedido para feito por um amigo, o valor deve ser depositado na conta em que consta o nome deste amigo. Quando a conta está em nome de terceiros, há grande chance de se tratar de um golpe.

O delegado alerta também para o contato feito por supostas agências bancárias. Não se deve passar informações pessoais ou senhas por telefone, pois as instituições não costumam fazer esse tipo de atendimento por ligação e nem por SMS.

Idosos

“Os idosos são os alvos preferidos dos estelionatários”, comenta o delegado. Isso porque, muitos dos golpes registrados hoje estão ligados às tecnologias, e a maioria dos idosos não tem muita afinidade com aparelhos e processos eletrônicos. Uma situação comum, explica Norberto, é o roubo de senhas e cartões nas agências bancárias, o estelionatário se aproxima do idoso se oferece para ajudar nas operações do caixa eletrônico, assim como conseguir a senha da conta. Receber “ajuda” o idoso recebe um cartão falso de volta e o seu é levado pelo estelionatário.

Nestes casos, a orientação é não aceitar ajuda de estranhos e procurar por funcionários identificados para tirar dúvidas. E uma orientação geral para todos os casos é entrar em contato com a Polícia Civil, ou o delegado explica que a equipe está disponível para tirar dúvidas sobre o assunto e ajudar uma população a identificar golpes possíveis.