Caxias do Sul registra aumento de 14% sem número de homicídios de janeiro a agosto de 2021

caxias-do-sul-registra-aumento-de-14%-sem-numero-de-homicidios-de-janeiro-a-agosto-de-2021

Dados são do CRPO / Serra, divulgados nesta semana. Confrontos, ocasionados por tráfico de drogas, impactaram no indicador

Caxias do Sul registrou um aumento no número de homicídios de janeiro a agosto deste ano em relação ao mesmo período de 2020. Houve um crescimento de 14%, com 74 casos. Os indicadores apresentam que 67% já passagem pela polícia e 14 foram mortos em confronto com a Brigada Militar (BM). Os índices foram expressos pela Agência Regional de Inteligência do Comando Regional de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO / Serra) nesta semana.

Para a Tua Rádio São Francisco, o major Wagner Carvalho, subcomandante do 12 º Batalhão de Polícia Militar, aponta que o tráfico de drogas foi a principal causa para o aumento deste dado. O crescente número de mortes é de usuários ou de vendedores dos entorpecentes. O aumento de confrontos entre janela de segurança e traficantes foi notado pelo CRPO / Serra. Ele afirma que há um trabalho para coibir o tráfico, mas que terá resultado em longo prazo. O major acredita que é necessário um envolvimento de todos os setores da sociedade, principalmente com investimentos na educação, a fim de evitar a entrada de menores para o crime. Há uma preocupação, pois a corporação repara no ingresso do público jovem ao tráfico, que não passou por um sistema educacional e adequado social. Em paralelo, a chegada das facções para Caxias influenciou no indicativo.

Os dados da instituição também apresentam redução em outros indicadores criminais. Roubo a pedestre caiu 30%, roubo de veículo diminuiu em 34% e roubo a estabelecimento comercial, financeiro e de ensino foi de 34%. Segundo o major, uma integração entre os órgãos de segurança do Estado, por meio do programa RS Seguro, auxiliou formados. Durante as investigações, as corporações trocam informações, o que facilita a prisão de criminosos. O apoio da população, por meio de denúncias anônimas, e o trabalho de inteligência são responsáveis ​​pela diminuição. Carvalho destaca o uso da tecnologia, essencial para a produção de provas, possibilitando uma rápida apuração policial.

O roubo a residência teve o melhor resultado, registrando uma redução de 39%. Carvalho explica que possuíam muitas quadrilhas especializadas na invasão de moradias, porém muitas cumprindo pena nos presídios do Estado e outros criminosos migraram para o tráfico de drogas por ser mais rentável.

Clique AQUI e confira uma entrevista completa.