Vigilância Sanitária recolhe milha de medicamentos descartados incorretamente em Caxias do Sul

Itens foram encontrados em contêineres de lixo, na Rua Visconde de Pelotas

A Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Caxias do Sul recolheu, na última semana, números de medicamentos descartados incorretamente. Os remédios estavam em dois contêineres (um de resíduos sólidos e um de seletivos) na Rua Visconde de Pelotas, no Centro. O material foi localizado a partir de denúncia.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco o Diretor Técnico da Vigilância Sanitária, Rodrigo Zardo, explicou que, após ocorrer, os dois contêineres foram recolhidos pela Codeca e levados a um adequado local, com apoio do Setor de Gerenciamento de Resíduos de Saúde Municipal, da Secretaria do Meio Ambiente e da Guarda Municipal. Zardo também afirmou que o caso já foi reportado às autoridades para que o responsável pelo descarte acidental dos medicamentos localizado e punido. “Nós encaminhamos para a Secretaria de Segurança Pública do município um relatório com todo o ocorrido para que se iniciem como investigações, porque conversando com as pessoas dos adaptados do local, nenhuma viu quem fez o descarte. Então solicitamos o apoio da Secretaria de Segurança Pública porque eles podem pedir a análise das câmeras ”, afirmou.

Segundo Zardo, detalhes como o fato de os medicamentos são: afasta a possibilidade de terem sido descartados por farmácias e drogarias, já a grande quantidade distancia a possibilidade de serem medicamentos para uso pessoal.

Foram contabilizados 1,2mil litros de medicamentos descartados de forma inadequada. “O descarte inadequado pode gerar contaminação do solo e das águas subterrâneas, porque esses medicamentos continham hormônios e antibióticos, que são potencialmente nocivos para o meio ambiente. O problema também é que, até recebermos a denúncia e fazermos a recolhimento, relatos de que moradores de rua estavam recolhendo alguns medicamentos ”, salienteou Zardo.

Ainda conforme informações da Vigilância Sanitária, o descarte correto custar aos cofres públicos cerca de R $ 5,5 mil, já que os resíduos químicos devem ser recolhidos por empresas licenciadas pela Fepam. O descarte incorreto de medicamentos configura crime ambiental e crime contra a saúde pública.

A orientação da Vigilância Sanitária é que remédios vencidos ou fora de uso não devem ser comuns no lixo comum, tampouco no seletivo. Os itens podem ser deixados em farmácias que realizam o recolhimento e destinação correta ou deixados em Unidades Básicas de Saúde (UBSs), no caso de remédios que foram fornecidos pelo Município.

Caso a localização encontre local com descarte incorreto de medicamentos, materiais hospitalares ou outros químicos que ofereçam riscos à saúde, uma denúncia deve ser feita na Vigilância Sanitária, pelo telefone ( ) 3290. 4516 ou na Secretaria do Meio Ambiente por meio do contato (54) 3901. 1445.

intranet/userfiles/noticias/0e4481988da17627a9b35df6e2176a29.mp3