Vigilância Ambiental emite alerta para circulação de febre amarela no interior de Caxias

Risco foi detectado a partir da localização de 30 bugios mortos. Já há a confirmação de que dois animais estavam infectados pela doença.

A Vigilância Ambiental em Saúde de Caxias do Sul emitiu um comunicado com alerta para a circulação de febre amarela no interior do município. O risco foi detectado devido ao alto número de bugios encontrados mortos neste ano em Caxias do Sul.

Um total de 30 macacos foram cometidos sem vida, todos no mês de abril; destes, a Vigilância Ambiental em Saúde confirma duas mortes por febre amarela e aguarda o resultado de exames em 10 animais. Dos outros 18 macacos, não foi possível coletar material para testes. Até o momento, não há notificação da doença em humanos.

O caso mais recente de febre amarela na população de Caxias do Sul ocorreu em 2018, por uma pessoa que contraiu uma doença em outro Estado. No entanto, a morte de 30 bugios reforça a necessidade de buscar a vacina, que faz parte do calendário de vacinação: em 2020, a cobertura vacinal da população foi de 76%.

Pessoas que já fizeram a vacina contra a febre amarela não precisa mais aplicá-la, já que a imunidade é permanente. Para os que ainda não fez, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) aplicam como vacinas às quartas-feiras (devido à redução da validade do imunizante, os frascos são abertos para aplicação apenas um dia por semana).

Casos de macacos encontrados mortos podem ser informados diretamente para a Vigilância Ambiental em Saúde pelo telefone 3202 – 1438, das 8h às 17 h.