Vigilância Ambiental aplicação inicia de inseticida para controlar proliferação do mosquito Aedes aegypti, em Caxias do Sul

Com 37 focos e presença de insetos adultos, município é considerado infestado

resultante à infestação do mosquito Aedes aegypti em Caxias do Sul, uma iniciativa da Vigilância Ambiental, nesta sexta-feira (23), a Aplicação de um produto químico para eliminar os insetos adultos. O inseticida foi utilizado em um dos pontos estratégicos de monitoramento, por volta de 7h, horário em que é mais fácil encontrar o Aedes aegypti. Esse foi o primeiro local para receber o controle químico para combater o mosquito.

Conforme a diretiva técnica da Vigilância Ambiental, Sandra Tonet, o produto é administrado e casos extremos e segue um protocolo definido pelo Ministério da Saúde. “Esse tratamento perifocal é a base de um inseticida, que tem todo um protocolo de manuseio. Não se pode usar em todo o município, não se pode usar em todas as residências. O objetivo desse tratamento perifocal é não ter o pouso esses mosquitos adultos para estarem colocando mais ovos. Ele tem um efeito residual de cerca de dois meses, mas que pode ser diminuído com um período de chuvas intensas. Ele é usado apenas em fase adulta e não pode ser usado em larvas do mosquito, para tratar de um produto químico. Agora nós vamos fazer o monitoramento desse local de em 661 dias ”, explicou.

Os pontos estratégicos de monitoramento da Vigilância são: cemitérios, borracharias e ferros-velhos. O último boletim divulgado pelo órgão contabiliza 37 focos do mosquito Aedes aegypti neste ano em Caxias do Sul. É um aumento de 437% em comparação com 2020.

O inseto é responsável por transmitir dengue, vírus zika e febre chikungunya. Sandra destaca que para diminuir esse número é essencial que faça a limpeza frequente dos pátios de suas casas, para eliminar pontos de água parada. “Contamos muito com a ajuda da população, porque só o trabalho dos agentes, sozinhos, não vai ser suficiente para combater o mosquito. Precisamos que cada pessoa olhe o pátio de sua casa, limpe e aposente qualquer recipiente que possa acumular água parada ”, pede. Confira a entrevista em “Ouvir Notícia”.

Distribuição dos casos

– Charqueadas, Charqueadas II, Cristo Redentor, Desvio Rizzo / Jardim da Lagoa, Jardim América, Marilândia, Pio X, Santa Fé, Santa Lúcia Cohab e Vinhedos – um foco;

– Bela Vista e Colina Sorriso – dois focos;

– De Lazzer e Tijuca – quatro focos;

– Charqueadas I e Nossa Senhora de Lourdes – cinco focos;

– Petrópolis – seis focos;

– Reolon – sete focos;

– São Luiz da 6ª Légua e São Cristóvão – oito focos;

– São José – 20 focos

– Cruzeiro – 37 focos

Orientações para evitar a proliferação

– Limpar com escovação semanal o pool de água dos animais domésticos;

– Recolher o lixo do pátio;

– Colocar o lixo ensacado para ser recolhido pela Codeca;

– Recolher pneus inservíveis e armazená-los em locais secos e protegidos da chuva, ou encaminhá-los ao Ecoponto da Codeca;

– Tampar Caixas D'água;

– Colocar telas milimétricas em caixas d’água descobertas, reservatórios de captação de água da chuva e nos ralos;

– Limpar as calhas;

– Semanalmente, lavar e escovar piscinas plásticas, trocando a água;

– Eliminar os pratinhos das plantas.

intranet/userfiles/noticias/398695498983a27fbc661a04535078ce.mp3