Sinais de problemas de visão na infância

Sinais de problemas de visão na infância

Como a escola pode auxiliar no processo de descoberta de doenças oftalmológicas

Durante dois anos de ensino remoto, crianças e adolescentes precisaram se adaptar ao computador, tablet e celular, para acompanhar aulas e desenvolver atividades escolares. De acordo com o optometrista, Ivan Sciessere, a saúde visual de parte dos estudantes foi sim prejudicada nesse processo. Segundo ele, o número de crianças com problemas de visão, em consequência do uso excessivo de aparelhos tecnológicos, dobrou durante a pandemia. 

O problema não está em utilizar os equipamentos para estudar, mas sim, fazer uso por tempo demais e principalmente nas últimas horas do dia. Sciessere explica que aparelhos como o celular produzem uma reação química no olho, que além de prejudicar a visão, pode atrapalhar o sono.  Isso acontece porque a pessoa continua recebendo estímulos neurológicos mesmo depois de dormir, momento em que o cérebro trabalha para armazenar as informações do dia e fixar na memória acontecimentos importantes.  Esse processo, explica o optometrista, implica em perda de memória e baixo desempenho do estudante. Para evitar o problema, destaca ele, o ideal é ficar distante do celular por pelo menos uma hora antes de dormir.  

De acordo com Ivan, a escola é um local importante para a detecção de problemas visuais, principalmente para as crianças que apresentam dificuldade em acompanhar os colegas ou algum déficit de desempenho. Isso reforça a ideia de que o problema de visão, vai além da dificuldade de enxergar e pode refletir no comportamento e no emocional da criança. 

A hipermetropia, por exemplo, é caracterizada pela dificuldade de visão para perto e pode desenvolver maior distração e hiperatividade no paciente. Já a miopia, que dificulta a visão para longe, é observada em crianças mais quietas, introvertidas e com dificuldade de socialização. De acordo com Sciessere, é possível observar também alguns comportamentos gerais nas crianças, como: se aproximar muito do caderno ou fugir das linhas para escrever, coçar muito os olhos e sentir algum desconforto com a iluminação do local. 

A recomendação principal, destaca o optometrista, é que a criança seja submetida a pelo menos três consultas oftalmológicas até os 14 anos de idade. A primeira é feita logo após o nascimento e busca a prevenção ou diagnóstico precoce de doenças oculares; a segunda deve ser feita até os 8 anos, idade em que o olho está “amadurecendo” e a terceira aos 14 anos, momento de desenvolvimento que segue o curso da adolescência. 


Tenha as informações de Marau e região mais perto de você, fazendo parte do nosso grupo de notícias no Whatsapp, recebendo em primeira mão as notícias  produzidas pela nossa central de conteúdos. Para isso é só clicar na palavra AQUI. Aproveite para nos seguir nas redes sociais Facebook (CLIQUE AQUI) e Instagram (CLIQUE AQUI). E não deixe de se inscrever no nosso canal do Youtube (CLICANDO AQUI). Tua Rádio Alvorada, a rádio do teu tempo!

intranet/userfiles/noticias/d17c62612f99519eade861100d3dc494.mp3