Secretaria de Saúde de Caxias alerta para aumento de internações por Síndrome Respiratória, incluindo Covid-19

Segundo a secretaria, tendência é de que os números subam nos próximos dias, como reflexo de aglomerações originadas nas últimas semanas

Dados parciais já mostrar que, nas primeiras semanas de fevereiro, o aumento foi de cerca de 50%. A tendência é de que esse índice aumente nos próximos dias, em função de aglomerações decorrentes. Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta e faz um apelo para que todos os cuidados para prevenir o contágio sejam lentos e reforçados, para que os casos possam ser controlados e os sistemas de saúde não entrem em colapso.

Outro dado que se preocupa é em relação à ocupação das UTIs no município. Há uma semana, em 11 / 02, a taxa de ocupação nas UTIs do SUS estava em 68% e, nesta quinta-feira (18 / 02), chega a 79%. Na rede privada, a ocupação em 11 de fevereiro era de 64% e hoje é de 74%. Esses dados refletem como internações em UTI em geral, não apenas por SRAG, o que torna a situação ainda mais preocupante. Na tenda montada em frente à UPA Central, a média de atendimentos diários de pessoas com síndromes gripais não baixa de 100 desde novembro e até agora, fevereiro já registra média de 108 ) ao dia.

Conforme a secretária da Saúde, Daniele Meneguzzi, com grande circulação de pessoas, consequentemente aumenta uma chance de contágio. Por isso a secretaria faz esse apelo, para que cada pessoa ajude fazendo a sua parte. Ela argumenta ainda que a cidade corre o risco de entrar em uma situação igual ou pior à final do ano passado.

A falsa sensação de segurança que pode estar sendo causada pela vacina contra a covide – 19 é outro ponto importante. Como neste momento ainda não há uma alta cobertura vacinal, uma Secretaria de Saúde reafirma que todas as medidas de prevenção devem ser mantidas rigorosamente mesmo por quem já declarada uma ou como duas doses da vacina. O imunizante oferece que, caso infectada, a pessoa desenvolva formas mais leves da doença, e não há de que ela não transmita mais o vírus. Por esse motivo, fazer o uso de máscara, realizar a higiene correta e frequente das mãos e evitar aglomerações são recomendações que seguem válidas a toda a população.