Residências são principais pontos de proliferação do mosquito da dengue, aponta Vigilância Ambiental

Caxias do Sul já tem 34 focos do inseto neste ano, superando o número de todo o ano passado.

A proliferação do Aedes aegypti em Caxias do Sul ocorre de forma acelerada. A titular da Vigilância Ambiental, Sandra Tonet, o maior número de focos, dos 38 já identificada neste ano, foi em residências (26). No comércio foram quatro criadouros e oito estavam em Pontos Estratégicos de monitoramento como ferros-velhos e cemitérios.

Sandra ainda saliente que a Vigilância Ambiental tem feito o trabalho de recolhimento de pneus descartados incorretamente pela população, para evitar aumento de casos. Os objetos devem ser tratados ao Ecoponto da Codeca, que dá a destinação adequada ao material.

Sobre o descarte incorreto de lixo e outros resíduos, principalmente em terrenos baldios, Sandra explicou que é feito um trabalho de rastreio do proprietário do local para que ocorra uma solução do problema. Caso persista a situação, o proprietário pode ser autuado e punido com multa ou outras medidas judiciais.

Ela também saliente durante a entrevista à Tua Rádio São Francisco, que é necessária a conscientização da população para a prevenção do alastramento do mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya. A forma de combater o inseto é eliminando os pontos de água parada. A comunidade também pode auxiliar na fiscalização e denunciar locais em que haja pontos propricios para a ciação do inseto por meio do Alô Caxias no 156.

Em caso de dúvidas ou para obter mais informações, também é possível entrar em contato com a Vigilância Ambiental por meio do (54 ) 3202 – 1438.

intranet/userfiles/noticias/e3ec49ccbb581b1ebd34d70463879f75.mp3