Rede pública de saúde vai seguir com 34 leitos abertos durante a pandemia, em Caxias

Rede pública de saúde vai seguir com 34 leitos abertos durante a pandemia, em Caxias

Leitos foram criados para atender pacientes com covid-19. Crescimento da demanda justificou a manutenção de alguns dos espaços

A rede pública de saúde vai continuar com 34 leitos criados para atender demandas de casos de covid-19, em Caxias do Sul. Serão 16 correspondentes a Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 18 clínicos ou cirúrgicos. A manutenção será feita pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com apoio do governo federal.

Dos 16 leitos de UTI, 10 estão no Hospital Geral (HG) e seis no Virvi Ramos. Já os 18 leitos clínico/cirúrgicos ficam no Virvi Ramos. Os leitos clínicos serão totalmente custeados com recursos municipais; os de UTI terão recurso federal e complemento pago pelo Município. Com o acréscimo, Caxias do Sul passa a contar com 226 leitos clínico/cirúrgicos e 50 leitos de UTI SUS.

O Município não tinha a incorporação de novos leitos de UTI à rede SUS desde 2015. Em relação aos de internação, os últimos antes da pandemia haviam sido criados em 2019. O sistema de saúde pública de Caxias do Sul é referência, ainda, para mais 48 municípios da região.

Conforme o prefeito Adiló Didomenico, será desembolsado R$ 900 mil por mês, para manter esses leitos abertos durante a pandemia, que servirão para outras demandas. Ele afirma que a decisão foi tomada pela grave fila para atendimentos especializados, que, durante a pandemia, aumentou, porque os leitos tiveram que ficar à disposição por causa da covid-19.