Pesquisa revela que brasileiro bebeu mais, ficou mais preguiçoso e engordou na pandemia

Pesquisa revela que brasileiro bebeu mais, ficou mais preguiçoso e engordou na pandemia

O comportamento elevou a taxa de doenças crônicas como a obesidade

No ano de 2020, o O Brasil passou a ter tempo em isolamento social para frear o avanço do coronavírus e isso é a populaçãoau o coronavírus e a atividade abusiva de pessoas físicas e pessoas que sofrem de doenças e atividades abusivas de doenças, doenças crônicas, como a obesidade. Isso é que mostra a pesquisa Doenças Crônicas e Seus Fatores de Risco e Proteção: Tendências Recentes no Vigitel, realizada pelo Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS).

O índice chega a quase o dobro do que foi registrado 11 anos antes nacional, em 98, quando só , 8% da população era portadora desse tipo de comorbidade.

O ano marca a primeira vez que foi feito o levantamento de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) pelo Ministério da Saúde, de onde os dados do IEPS foram extraídos. Foram entrevistadas 27.077 pessoas nesta edição do estudo.

O médico César Pasqual, em medicina do trabalho, toxicologia sintergética, perseguindo o resultado da pesquisa e orientação sobre como reverter a situação. Ele falou em entrevista ao programa Temática na manhã desta sexta-feira.

Confira aqui