ONU diz a governadores que anteciparão doses de vacina para o Brasil

Reunião aconteceu nesta sexta-feira, 16 / 04

Em reunião com governadores de estados brasileiros, nesta sexta-feira, 16 / 04, uma Organização das Nações Unidas – ONU, e a Organização Mundial de Saúde – OMS, anunciaram uma antecipação de doses de vacinas contra o coronavírus para o Brasil. Serão oito milhões de doses do consórcio Covax Facility, dos quais quatro milhões serão entregues em abril e como outras quatro milhões, em maio.

Em São Paulo, o governador Eduardo Leite participou da reunião e se manifestou representando os três estados da Região Sul. Ele explicou que a proximidade do inverno é mais um motivo que causa preocupação aos governadores do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná, uma vez que a queda das alterações faz surgir uma série de outras doenças respiratórias.

“É muito importante que ouvir vocês sobre assuntos que nos desafiam, como a ampliação da vacinação, quebra de patentes e produção de medicamentos e vacinas. Meu compromisso com vocês é de que uma ONU vai redobrar os esforços para auxiliar o Brasil na ampliação da imunização e aquisição de equipamentos e medicamentos. Mas sabemos que isso não é suficiente. A resposta para o coronavírus depende não apenas da vacinação, mas principalmente de cuidados sanitários ”, observou a quinta secretária-geral adjunta das Nações Unidas, Amina Mohammed.

O Rio Grande do Sul é líder no ranking de agilidade na vacinação entre os estados brasileiros. Das 3. 604. 700 Doses recebidas pelo Estado, 3. 313. 279 já foram distribuídos aos municípios gaúchos. Quase dois milhões de pessoas já receberam a primeira dose, o que equivale a 36% da população pertencente aos grupos prioritários. A segunda já aplicada em mas de 480 mil pessoas, ou 9% dos grupos prioritários.

Além disso, o RS utiliza um sistema chamado de modelo de Distanciamento Controlado que analisa, semanalmente, 11 indicadores de propagação do vírus e capacidade hospitalar . O modelo propõe protocolos sanitários que devem ser adotados pelas regiões, conforme a classificação da rodada. Nesta sexta-feira, 16 / 04, ele chegou à 50 ª rodada e traz, pela oitava semana consecutiva, todo o Estado em bandeira preta, o que significa risco altíssimo – alta propagação do vírus e alta pressão hospitalar.

O consultor sênior do diretor-geral da OMS, Bruce Alyward, destacou que a organização está ciente da gravidade da situação enfrentada pelo Brasil. “Trabalhamos para, além da antecipação de vacinas, que o Brasil pode acessar doses extras de países da Europa e da América do Norte. Também queremos melhorar a importação dos insumos corrigidos para a produção de doses. Estamos cientes e fazendo o possível, mas reforçamos a importância de medidas de distanciamento social e testagem. Por maiores que sejam os efeitos econômicos, essas medidas são necessárias ”, explicado.