O Rio Grande do Sul vai antecipar a segunda dose de Astrazeneca e Pfizer

o-rio-grande-do-sul-vai-antecipar-a-segunda-dose-de-astrazeneca-e-pfizer

Decisão colegiada foi tomada nesta segunda-feira, 12 / 20

Em decorrência da suspeita de dois casos da variante delta (com origem na Índia) no Rio Grande do Sul e a quantidade de doses de vacinas Astrazeneca reservadas para a segunda dose na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos, a Secretaria de Estado da Saúde e o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde definiram pela antecipação de 12 para 10 semanas o intervalo entre as doses da vacina contra a Covid – 19 dos fabricantes Astrazeneca e Pfizer.

De acordo com a secretária Arita Bergmann, o objetivo é garantir a melhor resposta de imunidade para essa nova variante. O governo estadual tem mais de 687 mil doses da Astrazeneca reservadas, para serem distribuídas às Coordenadorias Regionais de Saúde e aos municípios nos próximos dias. Quanto a Pfizer, o adiantamento da aplicação não trará impacto neste momento, pois não há remessas com prazo para dose dois até o início de agosto.

Na reunião dos gestores de saúde, nesta segunda-feira, 12 / / , também foi definido, pelos governos estadual e municipal, sobre a vacinação de crianças e adolescentes entre 12 e 17 anos, 11 meses e 29 dias, que apresentem comorbidades, com o imunizante da Pfizer. Esta vacina tem a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uma faixa etária.

Esse grupo escolhido a ser vacinado a partir da próxima distribuição, em que o Estado enviar doses específicas para a faixa etária. Ainda será publicada uma nota técnica especificando como comorbidades que abrangidas. De acordo com a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Cynthia Molina Bastos, todas as pessoas com essa idade que tinha um óbito no Rio Grande do Sul tinha alguma comorbidade.

intranet/userfiles/noticias/b20ead705693b55323bdba56fcbd34a7.mp3