Nutrição: mitos e verdades sobre alimentos do dia a dia

nutricao:-mitos-e-verdades-sobre-alimentos-do-dia-a-dia

Este conteúdo está disponível, também, sem áudio da matéria

Os cuidados com a saúde e com a estética do corpo normalmente estão ligados a alguma mudança na alimentação, algumas pessoas optam por restringir alimentos e outras por reduzir o consumo. As complicações surgem quando essas mudanças são feitas sem a orientação de um profissional da saúde ou baseada em senso comum. Como explica a nutricionista Carla Camargo, hoje existem muitos mitos que fazem com que alimentos importantes são cortados, entre eles, estão os ovos, leite, sal e glúten:

Ovo – O mito em torno dos ovos está ligado ao aumento do colesterol. De acordo com Carla, essa só é uma preocupação quando o consumo para exagerado ou quando a pessoa já possui o colesterol alterado. O consumo do ovo é muito indicado, principalmente, pelo fato de ser um dos alimentos mais completos que possuímos. Se consumido diariamente em porções comuns, explica um nutricionista, o ovo auxilia na prevenção de diversas doenças, isso porque, ele é rico em vitaminas e minerais.

Leite – O leite também tem papel importante na rotina alimentar, principalmente, para prevenção de doenças como a osteoporose. A principal recuperação dos pacientes é em relação à quantidade de gordura presente no leite, porém, a bebida só irá prejudicar a pessoa em casos de intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite.

Glúten – O glúten é uma proteína presente nas farinhas, necessária para o crescimento e a fermentação dos alimentos. Ele não costuma fazer mal, explica um nutricionista, o cuidado deve ser apenas para quem tem algum tipo de intolerância à proteína ou propensão a desenvolver alguma doença cardiovascular e diabetes.

Sal – Quando consumido em quantidade determinada e sem exagero, o sal não representa um risco à saúde. No caso da substituição do sal, um nutricionista chama a atenção para os produtos que serão comprados, muitos mercados, explica ela, vendem produtos falsificados, além disso, trocar o sal mas continuar consumindo em excesso não trará resultados.

Uma entrevista completa com Carla Camargo está disponível no áudio da matéria.

intranet/userfiles/noticias/5759c73f561c00276a6ccff328d4ba8a.mp3