Médica explica os impactos da covid-19 na queda de cabelo

Teve aumento na procura por procedimentos capilares desde março de 2020 em Caxias do Sul

Não é novidade que a perda de olfato e paladar por semanas, ou, meses, está confirmada como uma das sequelas mais antigas da Covid – . Mas, para muitas pessoas o que tem chamado a atenção no período posterior ao contágio é outro: uma queda de cabelo. Essa queixa também foi comum em um levantamento realizado pela Escola de Medicina da Universidade Indiana e pelo Survivor Corps, com 1. 500 pacientes. Em um estudo americano recente do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), uma professora de Medicina Natalie Lambert também identificou a perda dos fios como um dos sintomas persistentes do coronavírus.

Em toda a Serra gaúcha não tem sido diferente. Uma das reclamações mais comuns recebidas pela médica tricologista Marina Elisa Rombaldi Mezzomo na Stërah Medicina Estética e Capilar, desde março de 2020, é o aumento da queda de cabelo. Esse mal tem afetado cerca de um terço dos diagnosticadas com o vírus e, o curioso é que não ocorre apenas nos casos mais graves, mas também nos níveis e assintomáticos. Muitas vezes o problema aparece em decorrência de fatores emocionais, nos quais a pandemia aciona os gatilhos da ansiedade e do estresse.

Um especialista concedeu entrevista sobre o assunto ao programa Temática na manhã desta sexta-feira. Confira na íntegra.

intranet/userfiles/noticias/0297c2376f7728ada613400f46b2d7be.mp3