Iniciada a colheita do trigo no Rio Grande do Sul

Geada procovou pedidos de Proagro em cultivares do cedo
A colheita do trigo já iniciou no Rio Grande do Sul, a partir da região de Santa Rosa. Pouco mais de 1% da área cultivada em todo o Estado, está colhida. O restante das lavouras encontra-se em germinação e desenvolvimento vegetativo (2%); floração (20%); maturação (22%) e enchimento de grãos (55%). De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido pela Emater, os últimos dias foram ensolarados, de grande amplitude térmica e precipitações com intensidade variável, contribuindo para o desenvolvimento da cultura. Os grãos das primeiras lavouras colhidas de trigo apresentaram pH abaixo de 78, considerado de baixa qualidade.

As fortes geadas de agosto promoveram danos que reduziram a estimativa de produtividade. A dimensão do dano real está sendo avaliada com maior precisão durante as vistorias de Proagro, que já chegam a mais de 700 solicitações. As áreas afetadas correspondem às lavouras com variedades mais precoces e às implantadas na abertura do período de zoneamento agrícola de risco climático. A produção, segundo a Emater, ainda está indefinida. Nas áreas que estavam em desenvolvimento vegetativo no momento das geadas, a recuperação evidencia um bom aspecto.

Geada procovou pedidos de Proagro em cultivares do cedo

A colheita do trigo já iniciou no Rio Grande do Sul, a partir da região de Santa Rosa. Pouco mais de 1% da área cultivada em todo o Estado, está colhida. O restante das lavouras encontra-se em germinação e desenvolvimento vegetativo (2%); floração (20%); maturação (22%) e enchimento de grãos (55%). De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido pela Emater, os últimos dias foram ensolarados, de grande amplitude térmica e precipitações com intensidade variável, contribuindo para o desenvolvimento da cultura. Os grãos das primeiras lavouras colhidas de trigo apresentaram pH abaixo de 78, considerado de baixa qualidade.

As fortes geadas de agosto promoveram danos que reduziram a estimativa de produtividade. A dimensão do dano real está sendo avaliada com maior precisão durante as vistorias de Proagro, que já chegam a mais de 700 solicitações. As áreas afetadas correspondem às lavouras com variedades mais precoces e às implantadas na abertura do período de zoneamento agrícola de risco climático. A produção, segundo a Emater, ainda está indefinida. Nas áreas que estavam em desenvolvimento vegetativo no momento das geadas, a recuperação evidencia um bom aspecto.

Link para notícia no site Tua Rádio