Cerca de 30 médicos pediram exoneração da Prefeitura de Caxias desde o final de fevereiro

Profissionais atuavam nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Município

O sistema público de saúde de Caxias do Sul perdeu 32 médicos desde o final de fevereiro deste ano. Os profissionais pediram exoneração da Prefeitura e alteração do quadro funcional de algumas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). As informações foram repassadas pelo parlamentar Rafael Bueno (PDT), por meio da tribuna virtual da Câmara de Vereadores, nesta terça-feira (09 / 03).

O dado foi confirmado pelo diretor-executivo da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Dino de Lorenzi, em entrevista à Tua Rádio São Francisco. Bueno e representantes da pasta realizaram uma reunião na última sexta-feira (03) para tratar do combate à pandemia da Covid – 19, quando foi revelado o indicador. Segundo Lorenzi, a maioria dos profissionais era jovem, com faixa etária abaixo dos 30 anos. Como justificativas para as causas envolvem aprovação para curso de residência médica, opção pela área privada, devido aos custos mais altos, e alguns trabalhos temporários com menor carga horária. Grande parte atuava no atendimento clínico ou participavam das equipes da Estratégia da Saúde da Família (ESF).

Lorenzi afirma que o Município se esforça para substituir os profissionais, através de editais de nomeação e contratos emergenciais, que possuem uma duração de dois anos. O obstáculo está na falta de interesse em atuar na saúde pública da cidade. Dados da SMS colocam que, até esta terça-feira (09 / 03 / 03), apenas três médicos procuraram o Executivo municipal para relatar as perdas.

A pasta da Saúde não soube precisar de quais UBSs foram afetadas com as circunstâncias. Até o momento, nenhuma unidade apresentada surto de coronavírus neste ano.

Clique AQUI e confira uma entrevista completa.