Ambulatório Municipal de Gestação de Alto Risco abre nesta terça, em Caxias do Sul

Ambulatório Municipal de Gestação de Alto Risco abre nesta terça, em Caxias do Sul

Serviço funcionará junto ao Centro Especializado de Saúde (CES) e contará com equipe multidisciplinar

Caxias do Sul passa a contar, a partir desta terça -feira (/), com um Ambulatório Municipal de Gestação de Alto Risco. O serviço vai funcionar junto ao Centro Especializado de Saúde (CES) e contará com equipe multidisciplinar. Serão ofertadas, em média, 30 consultas obstétricas por semana, além de outros atendimentos realizados pelos demais profissionais da equipe.

O Ambulatório contará com obstetra, enfermeira, nutricionista e endocrinologista, além da retaguarda das demais especialidades médicas que atendem CES e das maternidades dos hospitais Geral e Pompéia. O serviço atenderá segundas, terças e sextas-feiras, com horário nas agendas gerais, reforçando o trabalho já realizado no pré-natal de alto risco do Hospital de Caxias do Sul regional.

Forma uma secretária municipal da Saúde, Daniele Meneguzzi, além de ser uma conquista importante para a comunidade, o ambulatório vai atender a uma lacuna de grande nível de complexidade de atendimento, que é um nascimento de alto risco. A secretária reforça que a equipe está preparada para prestar um serviço de excelente qualidade, fortalecendo a saúde da mulher no município.

A gravidez é considerada um período fisiológico da vida da mulher, que naturalmente pode apresentar complicações. O médico ginecologista e obstetra Dino de Lorenzi, diretor-executivo da SMS, explica que em 15 a 20% dos casos de gestante e/ou o feto podem desenvolver intercorrências gravidade relacionada a doenças maternas de antecipação ou a complicações próprias da gestação (hiper arterial, diabetes e outras), que põem em situação desfavorável a da gestação.

O diretor ainda requer um acompanhamento especializado/grupo de gestantes que contemple cuidados além dos disponíveis na Atenção Primária, com uma identificação precoce e adequado dos problemas às condições clínicas que podem ter a saúde materna, exigindo procedimentos diagnósticos e terapêuticos de maior complexidade e suporte tecnológico com vistas a um bom desfecho da gestação.

As pacientes serão aceitas por suas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de referência.