“O milagre acontece a partir da fé”, diz postuladora da canonização de Madre Bárbara Maix

“o-milagre-acontece-a-partir-da-fe”,-diz-postuladora-da-canonizacao-de-madre-barbara-maix

Presumido milagre que está em análise aconteceu em Santa Lúcia do Piaí, distrito de Caxias do Sul, onde, no final de 2018, uma mulher sofreu sepulturas queimaduras enquanto fabricava sabão

A Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria encaminhou nos últimos dias, o pedido de abertura do Processo Apostólico de canonização da Bem -aventurada Bárbara Maix, austríaca que viveu no Brasil e fundou a ordem religiosa.

Esta nova etapa irá investigar a ocorrência de um presumido milagre em Santa lúcia do Piaí, distrito de Caxias do Sul, em que uma mulher sofreu graves queimaduras de 2º e 3º grau enquanto fabricava sabão, em 2018. Os familiares e a comunidade invocaram um intercessão de Madre Bárbara. Em 13 dias, uma mulher teve alta hospitalar, sem sequelas e completamente curada. Até o momento, uma cura rápida não encontra explicação à luz da ciência.

Em 14 de outubro de 2018 , o bispo diocesano de Caxias do Sul, dom José Gislon, deu a abertura do processo diocesano para investigar a suposta cura. Foi constituído um tribunal eclesiástico, composto por um juiz, um promotor, um notário e um médico perito que acompanhou o depoimento das testemunhas. No dia 27 de fevereiro de 2020, dom José presidiu uma Missa na Catedral Diocesana na qual encerrou a fase local e validou a documentos. Duas cópias foram estabelecidas à Congregação das Causas dos Santos, via Nunciatura Apostólica, no início de maio de 2020.

No início deste mês de julho, a postuladora da Causa da Canonização, irmã Gentila Richetti apresentou, ao prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Marcello Semeraro, o pedido de abertura do Processo Apostólico. Uma solicitação aguarda o decreto de validade do Inquérito Diocesano e, sob a orientação de um relator elaborará o posicionamento sobre o fato. Este trabalho, minucioso, será examinado pelos médicos e teólogos. A postuladora, Irmã Gentila acompanha o andamento das ações em Roma falou sobre o processo em entrevista ao programa Conectando Esperança. Ouça AQUI.