Vinda de Jair Bolsonaro a Caxias traz acordo de políticas nacionais para a UCS desenvolver projetos com grafeno

vinda-de-jair-bolsonaro-a-caxias-traz-acordo-de-politicas-nacionais-para-a-ucs-desenvolver-projetos-com-grafeno

Anúncio foi realizado durante a abertura da 1ª Feira Brasileira de Grafeno, em Caxias do Sul

Além da presença do presidente Jair Bolsonaro na abertura da abertura 1ª Feira Brasileira de Grafeno, o evento trouxe a assinatura de contratos para construir projetos a partir do material. Os acordos foram fechados durante a solenidade de sexta-feira (09), rubricado pelo reitor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Evaldo Kuiava, pelo presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), general Waldemar Barroso Magno Neto, e pelo diretor de operações da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Carlos Eduardo Pereira.

O primeiro projeto realiza uma adesão da UCSGraphene à Rede MCTI / EMBRAPII de Inovação em Grafeno, que permite a aplicação aplicada com o material. Foi assinado também o decreto que institui a Política da Ciência, Tecnologia e Inovação de Materiais Avançados, que tem por escrito orientar o planejamento, as ações e as atividades para o desenvolvimento de materiais avançados – como o grafeno – para serem aplicadas em diversas produções. Conforme Kuiava, instituição quer mostrar que, para além das pesquisas, o grafeno pode ser industrializado e produzido por uma universidade brasileira. O futuro foi materializado nos estandes da feira, por meio dos produtos obtidos pelos expositores.

A outra iniciativa será para a área da saúde. A universidade terá acesso a R $ 1,8 milhão para desenvolver nanocompósitos poliméricos, feitos a partir do grafeno, para tratamento de pele, como curativos e medicina regenerativa. O montante será proveniente da Finep. O recurso externo para criar materiais de prototipagem 3D e de restauração e regeneração na área da odontologia. Com o estudo será possível determinar quais são as atividades biológicas antimicrobiana, antiviral, antiinflamatória, antioxidante, citotóxica e genotóxica existentes no grafeno e em seus componentes. O ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, discursou na abertura. Segundo ele, a UCS é uma produção de conhecimento, que o transforma em produtos para beneficiários de cofres públicos.

Desde que a UCSGRAPHENE iniciou suas operações em março de 2020, mais de 150 propostas para o uso do material foram pensados, envolvendo áreas – inclusive a da saúde. Entre as aprovadas, está o projeto detentor do apoio da Finep, que foi articulado pela Agência de Inovação UCSiNOVA – envolvendo os Programas de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Biotecnologia, Engenharia e Ciência dos Materiais, e Engenharia de Processos e Tecnologias da UCS , em parceria com a UCSGRAPHENE.

Clique no “Ouvir Notícia” e ouça a reportagem completa.

intranet/userfiles/noticias/c22047e16a4982ae4e6926b347f34551.mp3