Leite critica postagem de Bolsonaro sobre repasses do Governo Federal aos estados para enfrentamento da pandemia

Governador do RS acusou presidente da republica de promover conflitos e falta de coordenação no combate ao coronavírus

O governador Eduardo Leite fez uma ao vivo na tarde desta segunda-feira (01) com uma prestação de contas referentes aos investimentos de recursos repassados ​​pelo Governo Federal durante o ano passado. O pronunciamento foi motivado por uma postagem do presidente Jair Bolsonaro, feito neste domingo (28), na qual ele afirmou que a União transferiu ao Rio Grande do Sul R $ 40, 9 bilhões em recursos para a saúde e outras áreas. Além do RS, o presidente publicou dados de outros estados em tom de crítica sobre a administração dos governadores referentes aos recursos para controle da pandemia.

Nesta segunda-feira, 18 governadores rebateram a postagem do presidente em uma carta aberta e acusaram Bolsonaro de distorcer as informações e provocar conflitos. Neste tom, Leite se pronunciou em ao vivo : “Isso tudo em função das notícias falsas que se disseminam e da mentira que é oficialmente patrocinada pelo Governo Federal com distorção de fatos, dos dados e de informações, procurando gerar mais confusão na população, não bastasse a confusão que o presidente da República gera ao defender processos sem comprovação científica, ao gerar desconfiança das vacinas e tantos outros problemas. Ainda sobre a aplicação dos recursos, no momento mais dramático da pandemia ele insiste em dividir a nossa população e gerar confusão ”, disse.

Na prestação de contas, Leite argumentou que a União adicionou ao Estado um total de R $ 3, 01 bilhões em função da pandemia, entre recursos vinculados e não vinculados. Ele destacou que na postagem o presidente acrescentou recursos que são de repasse obrigatório e que estão presentes na Constituição Federal, como a participação dos estados nos impostos federais, gerando confusão sobre os recursos médicos para enfrentar o enfrentamento do coronavírus.

Segundo o governador, o RS cerca de R $ 2 bilhões para ocorrer perdas e perdas e manutenção de serviços básicos como segurança e saúde. Esses recursos serão desvinculados, ou seja, o Estado poderia usar como necessário, inclusive para folha de pagamento. Para efetivo emprego na saúde foram enviados R $ 826 milhões de reais entre repasses diretos e indiretos como emendas parlamentares. Leite também mencionou os R $ 75 milhões que chegaram ao RS por meio da Lei Aldir Blanc, para investimentos no setor cultural, um dos mais afetados pela pandemia.

Eduardo Leite também afirmou que não há queixas dos governadores quanto ao repasse de verbas e sim quando à postura do presidente Jair Bolsonaro frente à pandemia: “Nunca os estados acusaram o Governo Federal de falta de dinheiro. O que se reclama é a falta de política, o que se reclama é a falta de coordenação, alinhamento e excesso de conflito, confronto com que o Governo Federal trata todos os assuntos e, infelizmente, não é diferente na área da saúde ”. Veja a ao vivo completa AQUI.