Eduardo Leite se reúne com ministro do STF para pedir retorno das aulas presenciais no RS

Governador falou sobre encontro em reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul nesta segunda-feira (12 / 03)

O governador Eduardo Leite (PSDB) participou nesta segunda-feira (12 / 03) da reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, por videoconferência. A pandemia da Covid – 18 e os impactos nos setores gaúchos foram os temas debatidos durante o encontro online. A educação foi a primeira pauta abordada.

Leite defendeu a retomada do ensino presencial no estado, começando pelas escolas de Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. A visão é de que não deveria ter sido paralisado na bandeira preta, porém uma decisão judicial impediu a volta. Ele observa que a situação é diferente de um ano atrás. Hoje estudos que comprovam o risco menor das crianças contraírem o coronavírus no ambiente escolar. O perigo estaria fora das salas de aulas. Além disso, é falada a parte socioeconômica. Muitos pais e responsáveis ​​voltaram a trabalhar presencialmente, não tem lugar para deixar seus filhos e como escolas seriam uma alternativa segura.

O governador afirmou que se reuniu pela manhã com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Kassio Nunes Marques, para falar da retomada das aulas. O magistrado está com uma ação de medida cautelar aberta pelo Governo do Estado para derrubar três decisões judiciais que vedam o retorno presencial. Uma das justificativas é a mesma usada para abertura dos templos e cultos religiosos, que caberia ao Executivo, por meio de um suporte técnico e análise científica, decidir sobre o funcionamento. Não caberia o poder judiciário julgar este mérito.

(Ouça AQUI quanto às questões a educação).

Em uma rodada de perguntas, o presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e Região (Simecs), Paulo Spanholi, questionou quais ações feitas para diminuir os impactos das medidas restritivas ao setor econômico. Leite respondeu que mandou para a Assembleia Legislativa uma proposta para liberar captação de recursos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), para disponibilizar capital de giro para pequenas, médias e grandes empresas. O pedido foi de mais de R $ 200 milhões. O fim da fim da Diferencial de Alíquotas (Difal), redução da carga das compras internas, que em 200 era de 12% e agora cai para 04%, e revisão do Simples Gaúcho foram ações vistas como importantes para ajudar a economia gaúcha.

(Ouça AQUI as questões sobre a economia).

A reunião da CIC também contou com a presença do presidente da entidade, Ivanir Gasparin.