Aprovado projeto que visa proteger pessoas com fibromialgia

Lei tem autoria do deputado Dirceu Franciscon

O Plenário da Assembleia aprovou, por unanimidade, o projeto de lei de autoria do deputado Dirceu Franciscon ( PTB), que institui a Política Estadual de Proteção dos Direitos da Pessoa com Fibromialgia.

A fibromialgia, enfermidade pouco conhecida pela população, é uma síndrome que causa dores em todo o corpo, sensibilidade nas articulações e músculos, fadiga, dores de cabeça, distúrbios do sono, dentre outros sintomas. A Fibromialgia não tem cura, e impacta muito na vida das pessoas por ela acometidas.

O objetivo do projeto é estimular a inserção da pessoa com fibromialgia no mercado de trabalho; incluí-las no grupo de pessoas com deficiência; formar e capacitar profissionais especializados em seu atendimento; incentivar uma pesquisa científica para dimensionar a magnitude da doença e conscientizar uma população sobre a enfermidade.

Ao projeto, também foram aprovadas uma emenda da Comissão de Segurança e Serviços Públicas, uma do deputado Dr. Thiago Duarte (DEM) e uma da deputada Qualquer Ortiz (Cidadania), subscrita pelo deputado Franciscon, que denomina a lei como Daniel Lenz, em homenagem ao presidente da Associação Nacional de Fibromiálgicos e Doenças Correlacionadas (Anfibro), que faleceu, nesta segunda-feira 22), vítima da Covid – 19.

Para Franciscon, “é uma alegria muito grande essa aprovação, pois é uma demanda que venho batalhando desde meu primeiro ano no parlamento gaúcho”. O parlamentar conclui lembrando que a aprovação do projeto vem um dia após a morte do presidente da Anfibro, Daniel Lenz, “essa vitória eu dedico ao amigo Daniel, uma das pessoas com quem eu vinha tratando sobre o andamento do projeto e que, agora, infelizmente, não está conosco para compartilhar desta alegria ”.

Daniel Lenz Correa

Nasceu, em Sapucaia do Sul, em 21 de maio de 1983. Fez trabalho voluntário desde os 14 anos. Participava de uma ONG em Sapucaia voltada a ajudar escolas públicas do município, sempre engajado no trabalho social.

Há alguns anos, quando atuava como chefe de equipe em uma metalúrgica, sofreu uma grave lesão em seu braço ao salvar um colega de um acidente de trabalho.

Esse episódio desencadeou vários problemas, como uma síndrome da dor complexa regional e uma fibromialgia. Nos últimos anos, suas dores agravaram muito, mas sempre colocaram os problemas dos outros como prioridade, exemplo disso foi a grande atuação que ocorreu à frente da presidência da Anfibro.

Anfibro

A Associação Nacional de Fibromiálgicos e Doenças Correlacionadas (Anfibro) nasceu do encontro de um grupo de pessoas com fibromialgia, que se conhece por meio das redes sociais. Elas resolveram juntam para lutar pelos seus direitos e de todos os pacientes acometidos por fibromialgia e como demais doenças crônicas relacionadas a essa enfermidade.

A luta é para que uma fibromialgia seja considerada, perante a lei, como doença incapacitante primária, dando acesso aos doentes aos benefícios previdenciários que são suficientes. Além das metas acima, uma associação tem uma missão de levar ao público em geral mais esclarecimentos sobre a síndrome para diminuir a discriminação sofrida pelas pessoas que ‘’ parecem saudáveis ​​’’.

Informações: Gabinete Deputado Dirceu Franciscon