Caxias adere a projeto para destinação sustentável de resíduos sólidos

caxias-adere-a-projeto-para-destinacao-sustentavel-de-residuos-solidos

Iniciativa envolve 34 municípios das regiões Uva e Vinho, Hortênsias e Campos de Cima da Serra

A Prefeitura de Caxias do Sul aderiu, nesta sexta-feira (17), ao projeto Resíduos Serra, que terá como meta o desenvolvimento de alternativas tecnológicas que buscam a destinação sustentável de resíduos sólidos urbanos (RSUs), transformando-os em energia e produtos. O Executivo Caxiense ingressou na iniciativa que conta com outros 33 municípios participantes.

O projeto é desenvolvido pelo Conselho Regional de Desenvolvimento da Serra (Corede Serra), pelo Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável da Serra Gaúcha (Cisga) e pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne). A pesquisa é desenvolvida pela Universidade de Caxias do Sul, por meio do Laboratório de Energia e Bioprocessos (Lebio), do Laboratório de Análises Ambientais (Latam), da Fazenda Escola e da Agência de Inovação (UCS iNOVA).

Durante sua ao vivo semanal, o prefeito Adiló Didomenico definiu o momento como um marco histórico para Caxias do Sul e região. “É a primeira vez que se desenvolver uma tentativa que, há vários anos, vínhamos lutando pra chegar a esse ponto. Nó estamos marcando um dia histórico para Caxias do Sul, para questão ambiental e para a independência vila para a destinação dos seus resíduos ”, salienteou.

Desde 2010, Caxias do Sul mantém o aterro sanitário como principal destino de resíduos sólidos não reciclados. Mesmo aprovado e fiscalizado pelos organismos ambientais, o aterro é considerado uma forma de resíduos tratados ultrapassada. “O aterro sanitário de Caxias do Sul é modelo no País, com sistema de tratamento muito bom. Mas, é um aterro sanitários. Na Europa, já desde 2006, é proibido ter aterro sanitário, que é uma verdadeira prática de enterrar dinheiro. Material que poderia ser aproveitado de várias formas, inclusive na geração de energia, na geração de adubo, que nós precisamos devolver para a natureza através da compostagem, nós continuamos nesse método já ultrapassado de enterrar resíduos ”.

De acordo com o prefeito, cada um dos 34 municípios investirá valores para manter a pesquisa em andamento pela Universidade de Caxias do Sul .

O projeto Resíduos Serra consiste na aplicação de duas técnicas de processamento: um processo bioquímico (digestão anaeróbia) e outro termoquímico (pirólise), que serão competentes ao chorume e à parte sólida formada na prensagem dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSUs). O projeto será desenvolvido em três fases.

Na primeira fase, haverá caracterização dos RSUs gerados pelos municípios integrantes do projeto, ensaios em escala de laboratório das propostas no projeto e ensaios em escala piloto de ambas as técnicas.

Na segunda fase, está prevista a instalação e operação de uma unidade de teste com o objetivo de atender a legislação ambiental da Fepam-RS e validar os resultados obtidos na fase um.

Já na fase terceira, será feita a instalação de uma unidade regional, em escala industrial, de geração de energia e produtos de valor agregado a partir dos RSUs.

intranet/userfiles/noticias/419cb8f57a21ffce26ee057856a3750e.mp3