Visita de comitiva ao antigo Lanifício Sehbe abre caminho para reativação do prédio

visita-de-comitiva-ao-antigo-lanificio-sehbe-abre-caminho-para-reativacao-do-predio

Localizado em Galópolis, o prédio está interditado desde 2019. Prefeitura deve traçar um plano de ocupação para o espaço.

Uma comitiva coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC) que fez uma visita ao prédio do antigo Lanifício Sehbe, em Galópolis, na última semana. O local, que está interditado desde 2019 devido a risco de incêndio, precisa de reparos para voltar a abrir à comunidade. Conforme a presidente da Associação dos Moradores do Bairro (Amob) Galópolis, Maria Patrício Pinto, a comunidade busca uma solução para o espaço há anos. “O nosso prédio é histórico e é uma parte muito importante, principalmente, para a nossa comunidade aqui de Galópolis. É mais um pedido de socorro que a gente faz. Já em várias administrações a gente está tentando encontrar uma maneira de fazer as adequações. Acho que uma única maneira seria uma parceria entre a comunidade e o Município, por meio da assinatura de um convênio ”.

Segundo Maria, por meio dessa parceria, a própria comunidade poderia propor e realizar os reparos no espaço. “A gente sabe que o Município não tem verbas, então seria uma maneira da comunidade ajudar. A gente tem aqui as arquitetas que doaram para o Município o projeto de PPCI ”, afirmou. Oça a entrevista AQUI.

Antes da interdição, o espaço abrigava as sedes da Amob, o Centro Comunitário, o Clube de Mães e a Amigópolis – uma ONG em prol dos animais. Atualmente, todas essas iniciativas estão sem uma sede fixa.

Conforme a Secretária Municipal da Cultura, Aline Zilli, o objetivo da visita foi constatar a situação atual do prédio para começar a pensar em ocupação do espaço. “A visita começa motivada para nós pensarmos como a comunidade percebe este espaço. Pra entender, enquanto Administração Pública e proprietária desse espaço, os encaminhamentos possíveis para que ele possa ter vida e atingir os objetivos na comunidade também ”, disse.

Os próximos passos, segundo Aline, são fazer o levantamento dos reparos que são acessíveis no local para poder pensar em parcerias que viabilizem uma execução da reforma. Ela também afirmou que o Município deve pensar em uma ocupação que torne o local autossustentável, ou seja, que não dependa somente de verba pública para a manutenção. Ouça a entrevista AQUI.

Participaram da vistoria no prédio do Antigo Lanifício Sehbe, além de Aline Zilli, uma diretora de cultura, Magali Quadros, o vereador Velocino Uez, o subprefeito de Galópolis, Jaime Dal Picol, a presidente da Associação dos Moradores do Bairro (Amob) Galópolis, Maria Patrício Pinto, o presidente da União das Associações de Bairro (UAB), Valdir Walter, o titular da Assessoria Comunitária e Regional, José Reovaldo Oltramari, o diretor de Planejamento (SEPLAN), Cristian de Boni de Lima , a arquiteta da Seplan, Maristela Guareschi, integrantes da secretaria Municipal de Obras e arquitetas que residem na região.

Breve Histórico

O prédio foi inaugurado em de janeiro de 1898. Na época era uma pequena tecelagem que, sem sucesso industrial, foi vendida em 1907, e transformou-se no Lanifício Chaves Irmãos e Cia. Em 1979, a fábrica foi adquirida por outro grupo e passou a se chamar Lanifício Sehbe S / A.

O espaço possui três andares, salão nobre, estrutura grandiosa, mas que no momento encontra-se impossibilitada para uso. O local guarda memórias históricas e também afetivas, faz parte da cultura de Caxias do Sul.

A edificação foi interditada em 2019, por motivos de riscos de incêndio. O prédio pertence ao Município e a comunidade espera ocupar-se com a intenção de realizar atividades para potencializar o desenvolvimento da região.