Vinícola Aurora quebra paradigma ao conciliar faturamento recorde e redução de gases do efeito estufa

Maior cooperativa vinícola brasileira economizou R $ 828 mil em custos com energia

Unir crescimento econômico com diminuição de emissão de CO2 na atmosfera ficou no passado. A Vinícola Aurora revelou que é possível: no mesmo ano em que registrou um faturamento de R $ 701 milhões – o maior em 90 anos de história – reduziu a emissão de 316, 8 mil toneladas de gás carbônico. Este volume é o equivalente a 8,8 mil mudas de árvores conservadas por anos.

Pelo terceiro ano consecutivo, a empresa secundária o Certificado de Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa para usar apenas energia elétrica proveniente de usinas de fontes renováveis ​​e incentivadas pelo Governo Federal, como eólica, solar, biomassa, de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs). O certificado foi emitido pela Consultoria em Energia Ludfor.

A supervisora ​​do Sistema de Gestão da empresa, Cassandra Marcon, ampliou o assunto em entrevista ao programa Temática na manhã desta quinta-feira. Confira na íntegra.

Um sabre: Uma das plantas industriais da Aurora, inaugurada em 2019 no Vale dos Vinhedos, é a primeira fábrica do Brasil com certificado LEED versão 4.0 por ser 100% sustentável. A vinícola também possui outras duas unidades em Bento Gonçalves e uma no município vizinho de Pinto Bandeira.

intranet/userfiles/noticias/0092d8052f3932844f51d062a88181d2.mp3