Serra Gaúcha tem registro da variante amazônica do coronavírus

Este é o primeiro caso da nova cepa identificado no RS. A informação foi divulgada pelo governo estadual junto com o mapa preliminar do Distanciamento Controlado.

O Governo do Rio Grande do Sul divulgou na tarde desta sexta-feira (12) os dados sobre a 41 ª rodada do Distanciamento Controlado. A Serra Gaúcha foi mantida na bandeira laranja, mas o cenário da pandemia na região é classificado como preocupante. Isso se deve à identificação da variante P1, encontrada no Amazonas.

O novo Boletim Genômico que busca identificar como cepas de coronavírus no Rio Grande do Sul, finalizado nesta sexta-feira (12), registrou o primeiro caso da linhagem P1 no Estado. O caso foi notificado em um morador de 88 anos da região da Serra, que apresentou os primeiros sintomas da doença no final de janeiro.

O P1 é uma variante da Covid que tem como característica já conhecida a maior capacidade de transmissão, ou seja, transmite mais rapidamente o vírus de uma pessoa para outra.

Uma variante predominante no Estado é a P2, ainda em estudos. As sequenciadas que geram as informações do boletim fazem parte da estratégia de vigilância genômica que busca o perfil das variantes do Estado.

RS tem piora nos indicadores

De forma geral o Estado apresentam uma piora nos indicadores. O mapa preliminar do modelo de Distanciamento Controlado traz 16 regiões em bandeira vermelha e apenas cinco em laranja. Segundo a equipe de monitoramento, o cenário considerado o alto risco para esgotamento da capacidade hospitalar e aumento na velocidade de propagação do vírus no estado.

Entre os indicadores monitorados pelo sistema de enfrentamento à pandemia, chamam a atenção a forte elevação no número de confirmados em leitos clínicos ( 23%), o aumento nos registros de hospitalização ( 32%) e também no número de óbitos ( 16%). As internações em UTI se mantiveram estáveis ​​( 1%).

Feriado de Carnaval preocupa autoridades

O governo do Estado também se manifestou na nota de divulgação dos dados do mapa do Distanciamento Controlado a preocupação com aglomerações durante o feriado de carnaval. O Gabinete de Crise chama a atenção para que os gaúchos sigam respeitando os protocolos, principalmente quanto à higienização constante das mãos, cumprimento do distanciamento social e o uso obrigatório de máscara em todas as bandeiras.

As festas de carnaval estão proibidas no RS, por não atenderem aos acordos de segurança sanitária.