Rádio Sarandi é campeã na categoria “Rádio” do 8º Prêmio ADPERGS de Jornalismo

Rádio Sarandi é campeã na categoria “Rádio” do 8º Prêmio ADPERGS de Jornalismo

A Rádio Sarandi é a campeã do Prêmio ADPERGS de Jornalismo, na categoria Rádio. O prêmio é uma promoção da Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Rio Grande do Sul (ADPERGS) e reconheceu trabalhos obtidos durante a pandemia do coronavírus.As finalistas na Categoria “Rádio” são os rádios Gaúcha e Rádio Sarandi. A emissora Sarandiense concorreu com uma reportagem “Decisão da Defensoria Pública em Carazinho mantém o bom senso e preserva a vida”, aplicável pelo Jornalista Márcio Frozza e pelo Radialista José Leal. A outra concorrente foi a Rádio Gaúcha com a reportagem “Prisão sem guardas: uma oportunidade real para ressocialização de presos”, por Eduardo Matos.

A divulgação e entrega da premiação informando em ocorrida na tarde desta sexta-feira, 03 de dezembro, no Centro de Eventos do Barra Shopping Sul, em Porto Alegre. Estiveram apresenta no evento, o Jornalista Márcio Frozza, o Radialista José Leal e o Diretor da Rede Scalabriniana de Comunicação, Pe. Alexandre De Nardi Biolchi.

Ao receber a premiação, Márcio Frozza, Gerente da Rádio Sarandi AM e Maisnova FM de Sarandi, destacou os desafios de fazer jornalismo em uma emissora do interior do estado, bem como valorizou o propósito das emissoras em dar espaço à comunidade. “Muitas vezes a gente perde contrato comercial, mas jamais a dignidade de dar voz; vez, e oportunidade à toda a nossa comunidade. ” Disse ele.

Para o Radialista José Leal, a premiação aumenta ainda mais a responsabilidade de um trabalho sério e comprometido. “Premiação de nível nacional, concorrendo com toda a estrutura que tem a Rádio Gaúcha. Nos últimos 3 anos aumentamos muito mais o nosso jornalismo, aumento o seu potencial e a sua qualidade”. Pontua José Leal.

Já para o Padre Alexandre Biolchi, Coordenador da Rede Scalabriniana de Comunicação, a premiação representa os frutos de um trabalho sério e árduo, realizada a um bom tempo. “O sentimento é de dever cumprido, mas também de responsabilidade que aumenta sempre mais, devido à credibilidade que as nossas emissoras, todas elas tem”. Ressalta Pe. Alexandre.

A reportagem campeã abordou o contexto humano e social, após a Defensoria Pública Estadual reverter a decisão de um corte de energia elétrica na residência de uma idosa, em Carazinho. A idosa, em pleno tratamento pós Covid – 19, e fazendo uso contínuo de aparelho de oxigênio para respirar, foi surpreendida com um aumento aumentado em sua fatura de energia. Não tendo condições de pagar a fatura, e com uma inadimplência, indicar o aviso de corte de energia elétrica, o que foi evitado pela ação da Defensoria Pública que obteve liminar garantindo energia para a residência e para a manutenção dos equipamentos essenciais para a vida da idosa .

No total, foram 130 inscrições. Participaram do prêmio, profissionais e estudantes de vários estados do país: do Rio Grande do Sul ao Ceará.