“Quase 96% da comunidade entende a necessidade”, relata prefeito de Flores da Cunha sobre toque de recolher

Determinação foi instituída no decreto de Calamidade Pública do governo municipal, divulgado no último sábado (21), devido ao novo coronavírus (Covid-19)

Em entrevista aos repórteres Rodrigo Fischer e Isadora Martins, no programa Em Alta, da Tua Rádio São Francisco, o prefeito de Flores da Cunha, Lídio Scortegagna, falou como está os primeiros dias da cidade com o decreto de Calamidade    Pública, expedido no último sábado (21/03). O tema foi o toque de recolher, instituído no documento, das 21h ás 06h em todo o município. Na Serra Gaúcha, Flores da Cunha foi um dos primeiros locais a promulgar essa determinação.

“Atendemos uma demanda da nossa comunidade e das lideranças de Flores da Cunha para que instituíssemos esse regramento um pouco rígido. O objetivo é que as pessoas, de fato, obedeçam à decisão. No sábado à noite, tivemos fiscalização para que se cumprisse o que colocamos no decreto. No domingo, os fiscais, com apoio da Brigada Militar, fizeram que as pessoas cumprissem o regramento.”, explica Lídio sobre o impacto inicial da decisão.

Ele relata a quantidade de abordagens e de como está o comportamento da população florense com o novo regramento. “Estamos apenas fazendo a orientação. Felizmente, tivemos poucos casos em que precisou ser dado o toque de recolher. Quero agradecer a comunidade que tem sido compreensiva, quase 96% da comunidade entende a necessidade. A grande maioria entendeu perfeitamente e todos têm obedecido à risca.”

O prefeito ainda falou como a cidade se prepara a fim de evitar uma possível disseminação do coronavírus.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA

Link para notícia no site Tua Rádio