Projeto Abuso não é Brincadeira foi lançado em Gentil

projeto-abuso-nao-e-brincadeira-foi-lancado-em-gentil

Proposta é trabalhar questões voltadas ao abuso sexual em crianças e adolescentes

O projeto Abuso não é Brincadeira foi lançado nesta semana pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Gentil, com apoio e participação do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselho Tutelar, Secretaria Municipal de Assistência Social, Secretaria Municipal de Saúde, Brigada Militar e Polícia Civil. A aplicação será nas escolas da rede municipal e estadual que, a partir de então, passarão a orientar sobre o abuso na infância e adolescência, o como ele ocorre, quais são as formas de buscar apoio e denunciar os casos.

Conforme a coordenadora do projeto, Janine de Oliveira, ainda existem mitos e tabus com respeito a este assunto e a intenção é informar cada vez mais, uma vez que este é um problema silencioso com consequências sérias para as vítimas. “Somente unindo janela, conhecimento e trabalhando em rede poderemos atender como tratado e fazer os encaminhamentos '', explica ela.

Segundo dados do Conselho Tutelar de Gentil, foram registrados sete casos de abuso em crianças e adolescentes 2016 em junho de 2021 sendo que destes apenas um foi confirmado. “Considerando o fato de que pesquisas afirmam que apenas 10% dos casos são notificados às autoridades, podemos considerar que não mesmo período quando acontecido 70 casos de abuso a crianças ou adolescentes ”, afirma Janine.

Na ocasião do lançamento, estiveram presentes os representantes das entidades e responsável envolvido para debater o formato e as ações do projeto. Serão feitos panfletos explicativos para serem entregues aos alunos, conforme o nível de ensino. Conforme titular da Secretaria Municipal da Saúde, Rejane Borça de Oliveira, é preciso adequar a linguagem para os diversos públicos. Segundo ela, o material informativo também pode ser entregue pelos agentes de saúde, que vão em todas as casas. “Quanto mais pessoas atingirmos com as informações melhor”, acrescenta.

Dentre as principais ações do projeto são palestras para os alunos das escolas municipais e estadual, formação para os professores e em um momento oportuno, uma conversa com os pais e familiares, considerando evitar a aglomeração durante uma pandemia. Para a Gestora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Primavera, Saionara Moterle Tonin, é importante que os professores saibam como identificar e encaminhar como suspeitas, pois é na escola que muitas coisas são percebidas.

O comandante da Brigada Militar de Gentil, Renato Gomes da Rosa, que também participou da reunião, disse que a corporação apoia o projeto e se dispõe a fazer um trabalho educativo e preventivo. “Queremos que a comunidade confie em nosso trabalho e que os alunos determinados mais próximos da polícia. Sempre que houver alguma suspeita nos comuniquem para que atuemos conforme cada caso requer”, enfatizou

Já a Banda Jovens Gentis, projeto da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Gentil, também irá dar a sua contribuição com o projeto. Isso porque foi lançado um desafio aos alunos e professores da banda, para ensaiar uma música que será tema do projeto.