Profissional dá dicas sobre alimentação de animais de estimação

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

É correto dar itens da alimentação humana para os animais de estimação? Essa é uma pergunta comum entre tutores e recorrentes nas clínicas. Para esclarecer a questão, conversamos com a médica veterinária Mariana Rizzo. Ela explicou que a alimentação ideal para cães e gatos, os animais mais comuns como pets, ainda é a ração. As marcas de ração que estão no mercado, embora com diferenças, atendem às necessidades nutricionais do animal.

Conforme a veterinária, as rações são classificadas em três categorias: padrão, as que possuem base em proteína vegetal; premiun, as que mesclam proteína vegetal e animal e as super premium, que possuem em sua fórmula a maior parte das proteínas de origem animal. Quanto maior para a presença de carne na ração, menos o pet precisa comer para estar alimentado.

Mariana também comenta que existem casos em que os tutores optam pela alimentação natural, por não quererem alimentar seus pets com produtos industrializados. Isso está bastante em alta neste momento e tem uma linha que defende este tipo de alimentos, conta a veterinária. Porém, ela reforça que caso, a indicação é para que antes de iniciar a dieta, seja buscada a orientação profissional de um médico veterinário nutricionista. Isso porque, existem alimentos que podem ser tóxicos para os animais.

Os restos do nosso almoço, por exemplo, não são indicados principalmente pelo uso dos temperos. Mas, de qualquer forma, segundo Mariana, existem alguns alimentos – especialmente frutas e legumes, que podem ser oferecidos aos cães, por exemplo. Nesta lista estão uma cenoura, o brócolis, uma banana, uma maçã, o mamão, uma pêra, uma laranja e até o kiwi que podem ser administrados em pequenas quantidades, em forma de petiscos.

intranet/userfiles/noticias/8000be89b01c7ca1bfe465e8a2182981.mp3