Prefeito de São Borja assume presidência da Famurs

prefeito-de-sao-borja-assume-presidencia-da-famurs

Eduardo Bonotto (PP) substitui Maneco Hassen (PT)

O prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto (PP), foi empossado nesta quinta -feira (8/7) como presidente da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs). Recebendo o cargo do ex-prefeito de Taquari, Maneco Hassen, Bonotto irá comandar a entidade durante a gestão 2021 / 2022, iniciando o rodízio entre as legendas da última eleição, acordo firmado entre os partidos com mais prefeitos eleitos no estado. A solenidade contou com a presença de presidentes das Associações de Municípios do RS, das diretorias atual e eleita, de autoridades e representantes de entidades e órgãos estaduais e federais, além de familiares.

Em seu primeiro discurso já empossado, Eduardo Bonotto destacou a importância pública de assumir a Famurs, sendo seu maior compromisso na vida e política, tendo em vista o trabalho que a entidade realiza sendo uma ferramenta que leva a bandeira do municipalismo aos mais diversos setores da sociedade.

O novo presidente destacou que nos dias atuais as responsabilidades são redobradas, os desafios são imensos e que a sociedade precisa de um norte firme e concreto. Ele afirmou que a pandemia tem como encontrar dificuldades enfrentadas e que o momento exige protagonismo, trabalho com resultados. Em seu discurso, Bonotto afirmou que é momento de buscarmos equilíbrio, colocar a saúde pública em primeiro lugar, mas sem deixar de dar atenção para temas como economia e educação. Ele requer que seu trabalho à frente da Famurs será marcado pela união e respeito na defesa do municipalismo, no bom debate e na busca de soluções para a sociedade, além do diálogo para ampliar o encaminhamento positivo das demandas, tanto com a sociedade com todos os poderes. “Esperem de nós um trabalho sério com respeito e responsabilidade”, afirmou.

Bonotto ainda manifestou que sua gestão estará à frente das pautas importantes que atingem diretamente os municípios e automaticamente os cidadãos. Ele enfatizou que quer tornar a Escola Família a mais importante ferramenta de apoio, qualificação e capacitação das gestões municipais.

Outra ação será a criação de Câmaras Municipais temáticas – com temas sobre saúde, pandemia, turismo, cidades de fronteira, finanças, retomada da economia, pequenos municípios – para discutir e buscar promover o desenvolvimento econômico e social das regiões e municípios gaúchos, através de um plano de desenvolvimento regional setorizado.

Negociação com a Famurs

O governador Eduardo Leite anunciou durante a solenidade um possível pagamento do passivo da saúde aos municípios, hoje atualizado em R $ 430 milhões. Segundo Leite, o governo está avaliado o quadro fiscal do estado, que está melhorando, a possibilidade de pagamento em dinheiro. “Sequer foi empenhado em outros governos. São dívidas de 2014 até 2018. O nosso governo não deixa criar novos passivos, não tem nada que não esteja sendo empenhado e pago aos municípios da nossa competência e do nosso exercício, e ainda vamos buscar liquidar e limpar esse passivo, deixar a saúde em dia com os nossos municípios ”,

Leite afirmou que, somados aos R $ 804 milhões da dívida do ICMS da CEEE, será cerca de R $ 1,3 bi em receitas que não estavam previsão no orçamento dos municípios, além dos investimentos que o governo estadual fará em infraestrutura nos municípios, como estradas, pavimentação urbana e rural, na segurança pública, na atenção básica em saúde em hospitais regionais.

Despedida Maneco Hassen

Em seu último discurso como presidente da Famurs, Maneco Hassen frisou ser um dos períodos mais difíceis já enfrentado, sendo necessário se reinventar em plena pandemia, em um ano de anteriores municipais e de troca de gestores. “Mesmo assim, com muito eficaz, de todos os temas que surgiram na pausa durante este ano”, destacou. “Mesmo assim, com muito diálogo e responsabilidade, o saldo é extremamente positivo e nossa entidade se tornado ainda mais reconhecida e participado, de maneira muito efetiva, de todos os temas que surgiram na pausa durante este ano”, destacou.

“Se eu tivo o desafio de liderar a entidade durante a pandemia, o prefeito Bonotto tem um desafio talvez maior: liderar a entidade na saída desta pandemia. Graças a Deus ela está chegando ao fim, a vacinação avançando, mesmo com todos os percalços, mas que agora, logo em seguida, sairemos dessa. O desafio é enorme, mas o prefeito Bonotto, pelo que notei, já está empolgado, preparado e cheio de vontade de liderar os nossos 497) neste municípios um ano que vem pela frente ”, Explanou.