Poder público de Marau vai criar o Centro de Atendimento da Mulher

poder-publico-de-marau-vai-criar-o-centro-de-atendimento-da-mulher

Projeto enviado para a Câmara de Vereadores

O município de Marau deve contar com um Centro Especializado de Atendimento da Mulher. O prefeito municipal, Iura Kurtz, encaminhou para a Câmara de Vereadores o projeto de lei que cria o espaço de acolhimento e proteção, especialmente para as vítimas de violência. O local funcionará na rua Nicandro Oltramari, junto ao prédio do CREAS – Centro de Referência Especializada em Assistência Social, ao lado do Fórum.

“Essa é uma ação importante para proteger as mulheres que são vítimas de violência, tanto física como verbal. Além disso, o espaço também vai proporcionar programas de capacitação para inserção no mercado de trabalho, bem como a orientação para que elas possam ter acesso aos projetos sociais do município ”, esclarece Kurtz.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Social, Paulo César Dal Paz, explicou que a unidade se propõe a fazer um atendimento às mulheres causadas pela violência com serviços psicológicos e jurídicos, entre outras atividades. “Será um local para que as mulheres tenham as orientações e apoios pousados ​​para saírem do ciclo de violência, no sentido de ser ouvida e encaminhada para fazer o registro de ocorrência”, disse Paulo.

O Centro de Atendimento da Mulher que tem como avaliados, assistir, apoiar, articular e acompanhamento ações, programas e projetos voltados à mulher, terá a competência também de acompanhamento como mulheres em situação de violência, orientando-as sobre os diferentes serviços disponíveis para a prevenção, apoio e assistência em cada caso particular; promover o atendimento especializado e continuado às mulheres em situação de violência; articular os meios que favoreçam a inserção da mulher no mercado de trabalho e em programas de capacitação para o trabalho, quando couber;

IV – Garantir à mulher assistida como condições de acesso aos Programas e projetos existentes no município;

V – Propiciar, à mulher assistida, os meios para obter o apoio jurídico necessário a cada caso específico;

VI – Prestar informação e orientação por meio de atendimento telefônico às mulheres.

VII- Articular a rede de atendimento e otimização de levantamento dos dados / notificações referentes a violência contra a mulher

Após a aprovação a aprovação dos vereadores, o projeto será regulamentado pela Prefeitura através da Secretaria de Desenvolvimento Social.