Pessoas físicas e jurídicas podem contribuir com a segunda etapa do Projeto de Videomonitoramento de Casca

Até o momento, dez pontos do município são monitorados

A segunda etapa do Projeto de Videomonitoramento do município de Casca já iniciou, e desta vez, com algumas mudanças. Na primeira etapa foram instaladas câmeras em locais estratégicos definidos pela Brigada Militar, utilizando recursos da Consulta Popular. Agora, além do investimento do Poder Público será possível que empresas privadas, associações e comunidade no geral  participem do processo de instalação dos equipamentos. Como explica Domingos Kujawa, prefeito do município de Casca, para que isso aconteça é necessário que as empresas solicitem locais de instalação, que serão analisados e devem ser autorizados pela Brigada Militar. Esta solicitação deve ser feita através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Após receber a autorização, o solicitante deve doar o equipamento para a prefeitura que irá investir na instalação elétrica e fibra óptica.

Até o momento, dez pontos do município são monitorados. De acordo com Kujawa, a ideia de levar o projeto até o meio rural já existe, mas, por questões econômicas não será possível iniciar esse processo no momento. Segundo ele, mesmo que não hajam câmeras instaladas nas comunidades rurais o território não está sem cuidados, já que os acessos ao interior são monitorados através das câmeras instaladas na cidade. Além disso, nesta segunda etapa, através de agroindústrias, serão instalados os equipamentos de monitoramento em dois pontos do meio rural. 

As imagens captadas pelas novas câmeras instaladas irão diretamente para o sistema da Brigada Militar, permitindo a fiscalização as vias de acesso, acompanhamento de movimentação suspeita, redução do número de ocorrências e consequentemente um aumento na qualidade de vida dos casquenses. 

A entrevista completa com Domingos Kujawa está disponível no áudio da matéria.

Link para notícia no site Tua Rádio