“Nós não estamos nem sequer cogitando o passaporte da vacina”, diz prefeito Adiló Didomenico

“nos-nao-estamos-nem-sequer-cogitando-o-passaporte-da-vacina”,-diz-prefeito-adilo-didomenico

O chefe do Executivo municipal se posicionou após críticas ao selo de vacinação implantado há duas semanas

O prefeito Adiló Didomenico afirmou durante ao vivo semanal, na sexta-feira (24), que o Município não cogita instituir o passaporte da vacinação. O mecanismo visa permitir que somente pessoas vacinadas contra a covid – 19 ingressem em públicos públicos ou privados coletivos.

Há duas semanas, a prefeitura instituiu o selo da vacinação, que consiste na retirada da limitação de funcionamento dos empreendimentos que atuam nos segmentos de gastronomia, lazer e entretenimento e que permite a entrada, apenas, de pessoas que receberam, pelo menos, uma dose dos imunizantes, comprovando por meio da carteira de vacinação. A adesão dos requisitos ao selo é voluntária. Para aqueles que não definidosem para restringir o acesso de pessoas não vacinadas, segue a limitação de funcionamento de funcionamento previsto no decreto municipal, entre 5h e 1h.

Desde que foi instituída, a iniciativa virou alvo de críticas da parte da população, principalmente, de quem é contra a vacina. Segundo o prefeito Adiló, o sistema foi implantado a partir de uma demanda apontada pelo próprio segmento de gastronomia e entretenimento. “Ao contrário do que se disse que estamos exigindo passaporte da vacina, não estamos nem sequer cogitando o passaporte. Essa sugestão [do selo de vacinação] veio da parte do segmento, nós acatamos, estamos trabalhando em parceria e o bom é que estamos com 21 rígidos que já aderiram ”, disse.

Os deficientes relacionados em obterem o selo de vacinação devem entrar em contato com a Secretaria Municipal do Urbanismo.