Informações sobre o pedágio na ERS 324 e previsão de arrecadação com a nova praça são noticiados em audiência pública

informacoes-sobre-o-pedagio-na-ers-324-e-previsao-de-arrecadacao-com-a-nova-praca-sao-noticiados-em-audiencia-publica

Números estão respaldados em estudos e médias orçamentárias incluindo Marau e Passo Fundo

Em audiência Pública realizada na noite de quinta-feira, / 07, o Poder Público Municipal de Marau apresenta números e dados referentes ao trecho da ERS 324 que, conforme designado pelo Programa Avançar do Governo gaúcho, será concedido à iniciativa privada. Com a desestatização da via, uma nova praça de pedágio será instalada no Km 195 da rodovia, entre Marau e Passo Fundo.

Não total, são 20, 93 milhas, compreendidos entre o Trevo Norte em Marau e o Trevo dos Ricci, em Passo Fundo. Para tanto, como empresas que aderirem à licitação devem manter tarifa entre R $ 7, 02 e 9, 36. O valor médio seria de R $ 8, 16. O edital do Governo do Estado não previsões isenções. Há, sim, uma tabela de descontos progressivos que vão de 5% a 19% conforme o número de viagens mensais.

De acordo com o Governo do Estado, o VDMA – Volume Diário Médio Anual de veículos que transitam no trecho é de 10 mil. A contagem foi realizada entre outubro e novembro de 2020. Em 2017, o mesmo índice foi auferido e era de 10. 951 veículos / dia. A diferença, provavelmente, refere-se à pandemia, período em que houve suspensão de atividades e, consequentemente, muitos usuários utilizaram de utilizar a estrada.

De acordo com estudo viabilizado pelo Estado, 55% dos veículos que passam pelo trecho são de pessoas que viajam para trabalhar diariamente, em Passo Fundo ou Marau. Calcula os números básicos pelo Governo estadual, a previsão de arrecadação média, diária, seria seria superior a R $ 143, 7 mil, ou seja, nos 30 anos de concessão, com a manutenção das médias atuais, o lucro da empresa detentora seria de R $ 1,5 bi. O investimento previsto para a duplicação do trecho é de R $ 131 milhões.

O prefeito de Marau e presidente da AMPLA – Associação dos Municípios do Planalto, Iura Kurtz se manifesta contrário à instalação do pedágio. Entre os argumentos levantados pelo prefeito, também incluem-se os valores de ICMS arrecadados pelos contribuintes de Marau e Passo Fundo. “O município recebe a menor fatia de arrecadação e já assumimos muitas responsabilidades que seriam do Estado. Mas só de ICMS, esses dois municípios devem arrecadar mais de 4 bilhões de reais, nos próximos cinco anos, o mesmo tempo em que temos para que o pedágio seja instalado. Se a obra é de R $ 131 milhões, esse valor corresponde a 3, 25% desta arrecadação. E estamos falando apenas de ICMS ”, argumentou Iura Kurtz na audiência.

Lideranças locais e regionais estiveram presentes na reunião. O vídeo, com a íntegra dos depoimentos está disponível no Facebook da Tua Rádio Alvorada. Em opinião unânime, todos se manifestam contrários aos valores tarifários sugeridos. “Mas a importância da obra é incontestável”, diz o deputado Sérgio Turra. “Duplicação sim, pedágio, não”, respaldou o deputado Vilmar Zanchin.

Não região, em 81 milhas haverá três faixas de pedágios. Os outros dois postos de cobrança serão implantados entre Casca e Serafina Corrêa, na ERS 129, Km 160 e , também na ERS 324, Km 277, em Nova Araçá.