Executivo e Comissão vão realizar Reunião Pública sobre a Maesa

Executivo e Comissão vão realizar Reunião Pública sobre a Maesa

Grupo esteve reunido nesta quinta na Prefeitura

Uma Reunião Pública com o objetivo de apresentar à comunidade os encaminhamentos realizados até agora sobre a Maesa deverá ser realizada ainda no mês de abril. A decisão foi tomada conjuntamente entre o executivo e a Comissão da Maesa, em reunião realizada nesta quinta (31.03). A Reunião Pública ainda não tem data agendada. 

“Como cidadã, sempre tive interesse em saber o que seria feito ali na Maesa. Acredito que a comunidade também tenha. Será mais uma forma de tratar o tema com transparência e dar oportunidade de participação a toda sociedade”, disse a vice-prefeita, Paula Ioris.

Durante a reunião, a arquiteta da Secretaria do Planejamento (Seplan), Maristela Guareschi, apresentou a etapa de diretrizes do trabalho elaborado pelo escritório Vazquez Arquitetos. Foram apontados no documento os danos constatados em diversas áreas, bem como indicações de como e onde recuperar as estruturas. Maristela ressaltou a complexidade e profundidade do trabalho apresentado.

“Foram abordadas questões como circulação, acessibilidade, carga e descarga dentro da Maesa, acesso a veículos de segurança, questões como fuligem, umidade, estruturas que precisam de reforço e recuperação. Enfim, é um trabalho muito completo”, ilustrou.

Após, foi apresentado na reunião o escopo do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), pela diretora de parcerias da Secretaria de Gestão, Bruna Dumke. 

O objetivo com o PMI é obter material técnico que auxilie na estruturação do projeto, de modo a subsidiar a elaboração do futuro edital de licitação pública e o respectivo contrato. Estão previstos no PMI a obtenção, por exemplo, de estudos de demanda, da modelagem operacional (ocupação, operação e manutenção), da modelagem de engenharia para obtenção de estimativas de investimentos, da modelagem econômico-financeira e jurídica. 

“Com estes estudos será possível identificar o volume de investimentos necessários e o potencial de receitas do complexo, e dessa forma verificar o modelo contratual mais adequado para avançar na requalificação do espaço”, explicou Bruna.

“Sabemos que muitas pessoas têm ideias sobre como e o que deve ser feito na Maesa, e sabemos que todas essas ideias têm as melhores intenções. Porém, precisamos desses estudos técnicos para poder viabilizar o que vai ser feito. Muitos tem o entendimento que a Maesa deve ter um Mercado Público, mas onde ele vai ser, que tamanho vai ter e qual o investimento necessário ninguém sabe. É por isso que precisamos desses estudos”, argumentou o secretário de Gestão, Maurício Batista da Silva.