Endocrinologista alerta para o impacto da pandemia sem aumento da obesidade infantil

endocrinologista-alerta-para-o-impacto-da-pandemia-sem-aumento-da-obesidade-infantil

Isolamento social, fome emocional e falta de acesso à alimentos de maior valor nutricional estão entre as causas

O Ministério da Saúde recentemente recentemente uma campanha de enfrentamento à obesidade infantil e anunciou uma destinação de R $ 90 milhões para ações de combate à doença. Um estudo do governo federal revela que 7% das crianças brasileiras menores de cinco anos estão com excesso de peso e 3% estão obesas. Incentivar a alimentação saudável, a diminuição do sedentarismo e ações voltadas para a saúde das crianças e o papel de toda a sociedade.

O Grupo de Pesquisa Alimento para Justiça: Poder, Política e Desigualdades Alimentares na Bioeconomia divulgou uma pesquisa em abril de 2021, avaliando o impacto da Covid- 19 na segurança alimentar. Cerca de 126 milhões de brasileiros tiveram acesso limitado ou não tiveram acesso à alimentação adequada para se nutrir. Representam cerca de 55% da população brasileira. Inclusive, as casas com crianças de até 4 anos são as mais afetadas. Superando a média nacional, cerca de 71% essas famílias enfrentaram algum grau de insegurança alimentar desde a chegada do vírus.

A Sociedade Brasileira de Pediatria já havia feito o alerta para o fato de que o isolamento social acabou aumentando os índices de obesidade infantil. As características da entidade foram publicadas em artigo na revista Jornal de Pediatria, que apontou que os aspectos desencadeados pela Covid – 19, principalmente relacionado ao isolamento social e suspensão das aulas presenciais, propiciam a obesidade infantil. Especialistas afirmam que é preciso melhorar a Atenção Primária em Saúde, estabelecer uma vigilância alimentar e nutricional, garantir o diagnóstico precoce e o cuidado adequado às crianças, além de promover a saúde nas escolas para torná-los espaços que estimulem o consumo de alimentos saudáveis ​​e a prática de exercícios físicos.

A endocrinologista Salma Ali El Chab Parolin, do ambulatório do Hospital Universitário Cajuru, amplia o assunto em entrevista ao programa Temática na manhã desta segunda-feira. Confira o áudio na íntegra.

intranet/userfiles/noticias/561f25f8cf9adb55b61706fa66759eee.mp3