BRF amplia escola de formação que qualifica novos colaboradores

No Rio Grande do Sul, o processo ocorre somente em Marau

Uma das maiores empresas de alimentos do mundo, a BRF está ampliando um projeto criado em formato piloto em 2019: a Escola de Formação. O programa, destinado a qualificar os colaboradores recém-contratados pela Companhia para a função de operador de produção, começou nas unidades de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, Toledo, no Paraná, e Videira, em Santa Catarina. Hoje, além das três primeiros, existem escolas em operação em Campos Novos, Capinzal, Chapecó, Concórdia, em Santa Catarina, Dois Vizinhos e Francisco Beltrão, no Paraná, Mineiros, em Goiás, e Marau, no Rio Grande do Sul.

Outras unidades estão em processo de implantação: Concórdia (produção de suínos), e Herval d'Oeste, em Santa Catarina, Buriti Alegre e Rio Verde, em Goiás, Carambeí, no Paraná, Nova Mutum, em Mato Grosso, e Uberlândia, em Minas Gerais. Mais duas escolas pilotos em áreas de produtos industriais devem ser instaladas: Videira (SC) e Seropédica (RJ). As escolas são divididas pelas áreas de frango, suínos e industrializados, e têm atuação de forma independente em cada planta da BRF.

As aulas têm duração de 30 dias, sendo que os professores são os supervisores e os monitores de formação, profissionais que foram promovidos internamente e se destacaram em relação ao perfil da função . Apenas após esse período, o colaborador é transferido para a linha de trabalho. Os conteúdos das aulas são intercalados em partes práticas e outras teóricas para o aprendizado das tarefas que surgem no dia a dia.

Como medida protetiva em razão da pandemia de coronavírus, as aulas foram suspensas de março do ano passado e retomadas em outubro em novo formato, com ações preventivas processamento pelo protocolo de combate à doença, incluindo redução nas turmas a 50% da capacidade. Desde 2019, 1,3 mil colaboradores já passaram pelas salas de aula da Escola de Formação.

Além das lições teóricas e práticas, os colaboradores apresentam um exemplar do Manual de Transparência, que conta com uma mensagem do CEO da BRF, Lorival Luz. Pelo documento, o trabalhador terá uma compreensão clara e objetiva sobre as condutas e princípios éticos que orientam o negócio, além dos compromissos inegociáveis ​​da Companhia – segurança, qualidade e integridade.

“Seguimos fortalecendo a nossa cultura, com o objetivo de criar uma gestão robusta para que tenhamos a quantidade de talentos necessária na Companhia”, saliente o vice-presidente global de Gente, Gestão e Transformação Digital, Alessandro Bonorino.