“A alimentação é a porta de entrada para diversas políticas públicas”, afirma diretora técnica da Segurança Alimentar e Nutricional de Caxias do Sul

“A alimentação é a porta de entrada para diversas políticas públicas”, afirma diretora técnica da Segurança Alimentar e Nutricional de Caxias do Sul

Neste sábado (16), é lembrado o Dia Mundial da Alimentação. Confira a entrevista com Cristina Fabian Gregoletto que falou sobre as ações de combate à fome no município.

Neste sábado ( ) é celebrado o Dia Mundial da Alimentação. A data escolhida para lembrar a criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em 1945. O objetivo da ação é também conscientizar a sociedade e os governos sobre a importância do acesso à alimentação saudável.

Em Caxias do Sul, uma Diretoria de Segurança Alimentar e Nutricional mantém diversos projetos que buscam promover o acesso a alimentos de qualidade, principalmente, às populações mais vulneráveis. Para isto, a diretoria mantém cozinhas comunitárias, a Cozinha Experimental, o Restaurante Popular, o Banco de Alimentos, o Banco de Refeições Coletivas além da distribuição de alimentos para as entidades por meio de parcerias com firmadas com instituições privadas e com a sociedade civil.

Atualmente, somente através do Banco de Alimentos, são complementadas cerca de mil refeições por dia. Outro dado significativo divulgado pela Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA), por meio da Diretoria de Segurança Alimentar e Nutricional, é que, desde o início da pandemia, o Banco de Alimentos já destinou 1. 420. 18 quilos de gêneros alimentícios a entidades cadastradas. O total de doações corresponde a 1. 420 toneladas, representações de 18 de março de 2020 a 14 de outubro de 2021.

Durante entrevista à Tua Rádio São Francisco, a diretora técnica de Segurança Alimentar e Nutricional, Cristina Fabian Gregoletto, destacou a importância da alimentação na promoção de melhorias nas áreas da saúde, nutricional e econômica. “A gente sabe que o alimento é a porta de entrada. É por ali que a gente consegue chamar aquela família, resgatar aquelas pessoas para começar a incluir elas em outras políticas, em outras ações. Um programa que nós estamos desenvolvendo, e pretendemos abrir uma turma ainda neste ano, é um curso para colocação no mercado de trabalho na área de auxiliar de cozinha. Então, a gente entra com o combate à fome que é o mais urgente, mas tentando inserir outras ações e atividades pra tentar melhorar a qualidade de vida dessas famílias que nós atendemos ”, explicou. Confira a entrevista completa AQUI.

Todas as ações são mantidas com doações de alimentos de produtores e agricultores que participam do Ceasa Serra e das feiras do município, bem como com doações da comunidade e da iniciativa privada.