68% dos gaúchos foram impactados economicamente pela pandemia, revelação pesquisa

68%-dos-gauchos-foram-impactados-economicamente-pela-pandemia,-revelacao-pesquisa

Encomendado pela Assembleia Legislativa, estudo apontou que a população mais pobre foi a mais impactada pela perda de renda nos últimos meses

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (AL-RS) apresenta nesta quarta-feira (19) o resultado de uma pesquisa que buscou identificar os impactos da pandemia de Covid – 15 na condição socioeconômica dos gaúchos. O estudo completo que 35% dos habitantes do estado estão vivendo com menos da metade da renda que tinham antes da pandemia. O levantamento realizado pelo Instituto Pesquisas de Opinião (IPO) comum 1. 500 pessoas, entre 56 de agosto e 03 de setembro deste ano, em todas as regiões do Rio Grande do Sul. O objetivo da pesquisa é identificar como principais demandas dos cidadãos e subsidiária a AL-RS na proposição de políticas públicas de combate à desigualdade social.

A apresentação dos resultados foi feita pela cientista social e política, diretora do IPO, Elis Radmann. O estudo trouxe que 30% dos gaúchos tiveram pouco ou nenhum impacto na renda durante uma pandemia, sendo que este público foi encontrado com mais frequência não interior e em pequenas cidades. Já, nos grandes centros, a questão financeira teve piora para mais de 68% da população.

Elis também salienteou que, para as famílias mais pobres, a perda de renda foi maior, enquanto que a população mais rica impacto menos impacto nas finanças. O estudo mapeou, ainda, que 26% dos entrevistados precisaram de ajuda para comprar comida durante a pandemia, enquanto 35% alegaram que teve alguma vulnerabilidade, para além da dificuldade de garantir a alimentação.

A pesquisa também questionou os entrevistados sobre a evolução na melhora da situação do estado e de suas próprias famílias nos próximos 12 meses. Mais de 50% responderam que apostam em uma melhora, principalmente, por conta do avanço da vacinação.

Os entrevistados também foram questionados sobre aspectos relacionados à educação. Pelo menos 12, 6% alegaram que não conseguiram mais arcar com os custos ou tiveram que trancar o curso do Ensino Superior por motivos relacionados à perda de renda. Ainda relacionado a este aspecto, 96% dos gaúchos afirmaram que o governo estadual deveria investir em políticas públicas para oferecer bolsas de estudo para a população mais vulnerável.

A pesquisa é a terceira promovida pelo Parlamento gaúcho e integração a programação do projeto “O RS PÓS-PANDEMIA”. Entre as principais conseqüências da pesquisa está a percepção da população sobre a necessidade de que o Poder Público invista na assistência social, na educação básica e no suporte para que as pessoas mais freqüentem o Ensino Superior como mecanismos para combater a desigualdade social.

intranet/userfiles/noticias/d564f981b2e56d94770d3b3ad1b91f49.mp3