Governo do RS despende R$ 15 milhões em EPIs para retorno das aulas presenciais no dia 20 de outubro

Informação foi realizada pelo governador Eduardo Leite, em live pelas redes sociais nesta quarta-feira (14/10)
O governador Eduardo Leite confirmou a volta das aulas presenciais a partir do dia 20 de outubro no Rio Grande do Sul, começando pelo Ensino Médio e Técnico. O anúncio foi feito em uma live nas redes sociais nesta quarta-feira (14/10). O comunicado também aprova o retorno gradual dos Anos Finais do Ensino Fundamental no dia 28 de outubro e dos Anos Iniciais no dia 12 de novembro.

Em sua fala, o chefe do Executivo estadual afirma que foram investidos cerca de R$ 15 milhões em Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), destinados aos estudantes e profissionais. O valor corresponde a compra de 9,8 mil termômetros infravermelhos, 320 mil máscaras infantis, 1,9 milhão máscaras infanto-juvenil, 1,3 milhão máscaras adultas, além de materiais de desinfecção e higienização. Ao todo, o governo alega que gastou R$ 270 milhões, agregando ainda as capacitações e contratações de professores e profissionais de apoio.

Foram repassadas orientações para a comunidade escolar a respeito da retomada das aulas. As escolas serão responsáveis por identificar os alunos que necessitam de retorno prioritário, baseadas nas dificuldades de acesso a equipamentos de tecnologia, à internet e problemas de aprendizagem. Além disso, a retomada deve ter o consentimento de pais ou responsáveis, por meio da assinatura de um Termo de Responsabilidade. O documento será disponibilizado pela instituição de ensino e o mesmo deve ser entregue para autorizar a volta presencial do estudante.

As equipes diretivas terão que organizar o Centro de Operações de Emergência em Saúde para Educação (COE) da sua escola, a fim de garantir a segurança sanitária. Elaborar o Plano de Contingência local, assegurar que a capacidade de alunos em cada sala de aula seja de 50% do total, além de organizar a grade de trabalho dos docentes, identificar os de grupo de risco e garantir a logística de entrada, alimentação e saída dos colaboradores.

Já os professores devem elaborar um Plano de Ação Pedagógica Complementar da instituição e avaliar as carências de aprendizagem do aluno que estuda de forma remota ou presencial. Aos que estão no grupo de risco é necessária a apresentação de um atestado médico para a direção escolar, com finalidade de se manter em teletrabalho.

A videoconferência também contou com a presença do secretário de Educação (Seduc), Faisal Karam, e da titular da Saúde (SES), Arita Bergmann.

Na Serra Gaúcha, as aulas retornam no dia 28 de outubro. O Ensino Médio e Técnico serão os primeiros a voltar presencialmente. O Ensino Fundamental (Anos Iniciais e Finais) retomam como consta no calendário escolar da Secretaria Estadual da Educação.

Clique AQUI e confira as principais declarações do governador Eduardo Leite durante a live nas redes sociais.

Informação foi realizada pelo governador Eduardo Leite, em live pelas redes sociais nesta quarta-feira (14/10)

O governador Eduardo Leite confirmou a volta das aulas presenciais a partir do dia 20 de outubro no Rio Grande do Sul, começando pelo Ensino Médio e Técnico. O anúncio foi feito em uma live nas redes sociais nesta quarta-feira (14/10). O comunicado também aprova o retorno gradual dos Anos Finais do Ensino Fundamental no dia 28 de outubro e dos Anos Iniciais no dia 12 de novembro.

Em sua fala, o chefe do Executivo estadual afirma que foram investidos cerca de R$ 15 milhões em Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), destinados aos estudantes e profissionais. O valor corresponde a compra de 9,8 mil termômetros infravermelhos, 320 mil máscaras infantis, 1,9 milhão máscaras infanto-juvenil, 1,3 milhão máscaras adultas, além de materiais de desinfecção e higienização. Ao todo, o governo alega que gastou R$ 270 milhões, agregando ainda as capacitações e contratações de professores e profissionais de apoio.

Foram repassadas orientações para a comunidade escolar a respeito da retomada das aulas. As escolas serão responsáveis por identificar os alunos que necessitam de retorno prioritário, baseadas nas dificuldades de acesso a equipamentos de tecnologia, à internet e problemas de aprendizagem. Além disso, a retomada deve ter o consentimento de pais ou responsáveis, por meio da assinatura de um Termo de Responsabilidade. O documento será disponibilizado pela instituição de ensino e o mesmo deve ser entregue para autorizar a volta presencial do estudante.

As equipes diretivas terão que organizar o Centro de Operações de Emergência em Saúde para Educação (COE) da sua escola, a fim de garantir a segurança sanitária. Elaborar o Plano de Contingência local, assegurar que a capacidade de alunos em cada sala de aula seja de 50% do total, além de organizar a grade de trabalho dos docentes, identificar os de grupo de risco e garantir a logística de entrada, alimentação e saída dos colaboradores.

Já os professores devem elaborar um Plano de Ação Pedagógica Complementar da instituição e avaliar as carências de aprendizagem do aluno que estuda de forma remota ou presencial. Aos que estão no grupo de risco é necessária a apresentação de um atestado médico para a direção escolar, com finalidade de se manter em teletrabalho.

A videoconferência também contou com a presença do secretário de Educação (Seduc), Faisal Karam, e da titular da Saúde (SES), Arita Bergmann.

Na Serra Gaúcha, as aulas retornam no dia 28 de outubro. O Ensino Médio e Técnico serão os primeiros a voltar presencialmente. O Ensino Fundamental (Anos Iniciais e Finais) retomam como consta no calendário escolar da Secretaria Estadual da Educação.

Clique AQUI e confira as principais declarações do governador Eduardo Leite durante a live nas redes sociais.

Link para notícia no site Tua Rádio