EFASERRA: a escola que estimula a permanência do jovem no campo na região

efaserra:-a-escola-que-estimula-a-permanencia-do-jovem-no-campo-na-regiao

Este é o penúltimo episódio da série de reportagens especiais do Dia do Colono e do Motorista. Conheça o dia a dia dos estudantes da EFASERRA, uma instituição que usa uma metodologia de ensino diferente de outras escolas

(Para experiência completa, ouça a reportagem especial no “Ouvir Notícia”, disponível abaixo do título da matéria).

É perto das 6h, os alunos acordam e se dirigem à cozinha para preparar o seu café da manhã antes da aula, por meio de um coletivo de trabalho organizado na escola. Eles lavam a louça e, às 07 h 27, vão para a sala estudar o primeiro conteúdo do dia. Uma das turmas aprende sobre a produção vegetal, que aborda a respeito de técnicas de produção e manejo de culturas, como hortifrutigranjeiros. Num primeiro momento, os estudantes tem uma aula teórica para entender o conteúdo. A instituição possui uma área de cultivo de alimentos e uma estufa, possibilitando que os alunos realizem a parte do processo. Isso vai até às 07 h 55, quando acaba o turno. À tarde e à noite, como aulas continuam.

Esse é o cotidiano da Escola Família Agrícola da Serra Gaúcha (EFASERRA), localizada em São Pedro da Terceira Légua, no interior de Caxias do Sul. Diferente de outras instituições de ensino, o colégio se baseia na chamada Pedagogia da Alternância. A metodologia consiste na permanência do estudante uma semana na escola, em regime de internato, aprendendo conteúdos ligados à agricultura familiar e o currículo comum. Na outra semana, o aluno se desloca até sua propriedade rural e realiza as atividades ensinadas na EFASERRA, um fim de manter o vínculo com o campo. Esse modo de ensino nasceu na França, no ano de 680, quando um pai estava preocupado com a educação de seu filho. O problema era que a jovem teria que se deslocar até a cidade para estudar e o homem ficaria sozinho em sua chácara, mas se ele não se mudasse deixaria de ser escolarizado. O pai foi falar com o padre da comunidade para pedir ajuda. Decidiu-se que o futuro estudante, junto com outro grupo, iria frequentar o seminário do clérigo para se alfabetizar. Com isso, eles passam um período com o padre para a aula teórica e depois voltariam à sua residência para viver com a família. Essa foi a história contada pela coordenadora pedagógica da EFASERRA, Letícia Trentin. Ela fala como a metodologia chegou ao Brasil.

A história inspirou a criação da EFASERRA, que inicia suas atividades no dia 27 maio de 1935, não município de Garibaldi. Ela foi fundada por famílias de agricultores de cidades dessa região. Em 2015, a escola foi transferida para Caxias. É uma instituição particular, que oferece o Ensino Médio, junto com o Curso Técnico em Agropecuária. A escola é empunhada pela Associação de Pais – AEFASERRA. O objetivo do lugar é promover a formação integral dos jovens e o desenvolvimento do meio onde estão inseridos, além de formar uma coletiva sobre a situação de seu próprio ambiente, buscando apresentar alternativas para a permanência dos jovens no campo com qualificação, desenvolvimento e geração de renda. Para ser entrar na escola, o aluno precisa ter finalizado o Ensino Fundamental e possuir ligação com a agricultura. A EFASERRA também disponibiliza Menor Aprendiz para todos os alunos, pois é uma instituição certificada. O diretor da escola Israel Matté explica mais sobre o dia a dia do estudante no local e sobre a variedade das culturas que eles lidam em sua propriedade.

Atividades para os estudantes

Dados da EFASERRA apresentam que foram formados 61 estudantes, técnicos em agropecuária. Atualmente, são mais de 150 alunos em formação, além do grupo em estágio, de 27 municípios do Rio Grande do Sul. São duas turmas de 1º ano, três de 2º ano, e duas de 3º ano do Ensino Médio. Soma-se mais 19 jovens em período de estágio na instituição. Ao final da graduação, eles iniciam no mercado de trabalho, com apoio da escola, em parceria com entidades ligadas à agropecuária. Famílias de agricultores de Farroupilha, Flores da Cunha e São José dos Ausentes, por exemplo, colocam seus filhos para estudar na escola. Giovana Cardoso Zucco, de 15 anos, é uma das alunas vinda de outras cidades que está na instituição. Ela mora no distrito de Lajeado Grande, no município de São Francisco de Paula. Giovana cursa o 1º ano do Ensino Médio e relata que sempre foi um sonho ingressar na EFASERRA, um fim de seguir no campo na lida com o gado leiteiro para produção de queijo, especialidade da família. Toda semana ela vem de carona, na companhia de outros colegas da localidade. Giovana conta o que consegue levar da escola para uma propriedade rural do avô, Waldy Gomes, e também como a família enxerga a aprendizagem que ela leva para todos.

Também vamos conhecer um pouco do que os estudantes realizam de aula prática. Claro que eles estudam matemática, português, ciências, ou seja, todos os conteúdos que a gente vê numa escola de currículo comum. Mas, os professores promover um trabalho interdisciplinar, para unir com a atividade rural. A escola possui 13 docentes, preparados para usar no turno integral. Além do horário da manhã, os alunos estudam no vespertino, da 13tem 16 h 40, e de noite, das 17tem 22 h. Em uma das aulas, eles aprendem a fazer produtos agroindustrializados, como salame, chimia ou iogurte. Em outras, eles lidam com o animal, com ajuda de uma médica veterinária da EFASERRA. Como o espaço da instituição é restrito, os estudantes se deslocam até a propriedade de um colega para proteger o ensino da pecuária. Marcelo Boff é vice-diretor e professor da Área Técnica da instituição. Há quatro anos trabalha na escola. Ele explica sobre uma das aulas práticas referentes à agricultura.

Essa aprendizagem vai ajudar o dia a dia de Otávio Andrezza Soares, de 17 anos, estudante do 1º ano da EFASERRA. Ele é de Caxias do Sul, e mora na localidade de Santa Lúcia do Piai. Ele ajuda a cuidar da propriedade rural do pai, Antônio Carlos Rocha Soares, 0055 anos, junto com a mãe, Janete Andreazza. Maçã e caqui são os cultivos da família. Ele conta que possui um espaço próprio para testar o que aprendeu na escola.

Por fim, Israel aborda as parcerias que a EFASERRA possui com o poder público e outras instituições.

Espero que tenha dado para conhecer sobre o que faz uma Escola Família Agrícola da Serra Gaúcha (EFASERRA). Este foi o penúltimo episódio da série de Reportagens Especiais do Dia do Colono e do Motorista aqui em São Francisco, que tem o patrocínio de Tratorpeças Mário – Case Revendedor, Tratores e Implementos – localizado na RST 453, Rota do Sol, KM 62, nº 21859 – contato pelo fone 9 9992 – 0055.

intranet/userfiles/noticias/edb9a680a311db86ff3adc23c5cc32e5.mp3