Rede Municipal de Ensino de Caxias do Sul contará com biblioteca virtual no segundo semestre

rede-municipal-de-ensino-de-caxias-do-sul-contara-com-biblioteca-virtual-no-segundo-semestre

Estudantes e alunos de acesso aos títulos por meio de smartphones, tablets e computadores

Com o objetivo de incentivo o hábito da leitura e complementar a formação dos estudantes da rede municipal de ensino, a Prefeitura de Caxias do Sul assinou o contrato que garantira uma biblioteca gratuita virtual para a comunidade escolar.

O serviço será oferecido pelas empresas Árvore de Livros e Elefante Letrado e o valor aportado pelo Município é de R $ 2. 605, 605, 920. A implementação e customização do serviço ocorrerão em até 24 dias e a licença de software será pelo período de um ano.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, secretária Municipal da Educação Sandra Negrini, afirmou que o serviço não ficará limitado aos estudantes: “Esse projeto de leitura não é só destinado ao estudante. Como a biblioteca é aberta, o estudante e a família podem acessar os 31 mil títulos, exatamente para que a gente amplie o gosto pela leitura e que a gente pode estar , cada vez mais, aprimorando a aprendizagem, mas, principalmente, a leitura reflexiva e compreensiva ”destacou.

Utilizando-se das novas tecnologias digitais que permite o acesso e a visualização de conteúdo eletrônico em dispositivos variados, como computadores, notebooks, tablets e smartphones, uma plataforma Árvore de Livros possibilita que uma biblioteca digital funcione durante as 24 horas por dia e que os alunos não precisem esperar na fila para pegar um determinado livro. A plataforma também tem dispositivos que permitem que os professores façam um acompanhamento desse hábito de leitura dos estudantes. O espaço contém livros de todas as categorias, literatura e publicações de jornais e revistas. O acervo também está disponível para todas as faixas etárias de estudantes.

Já, uma plataforma de leitura digital Elefante Letrado possui acervo de literatura infantil com variados gêneros textuais de diversos autores. Além disso, permite a gravação da leitura dos estudantes. O acervo deve ser organizado na plataforma por classificação que atenda aos diferentes níveis de desenvolvimento de alunos do 1º ao 5º ano. A secretária da Educação também afirmou que as plataformas já devem entrar em operação até o início do segundo semestre. Ouça a entrevista completa AQUI.