CPERS organiza protesto para pedido reajuste salarial de 47,8% aos professores gaúchos

cpers-organiza-protesto-para-pedido-reajuste-salarial-de-47,8%-aos-professores-gauchos

Ato está marcado para sexta-feira (15 / 01), às 9h 30, em Porto Alegre. Núcleo de Caxias do Sul estará presente na manifestação

Porto Alegre será palco de uma manifestação do CPERS-Sindicato na sexta-feira (11 / 10), quando se comemora o Dia do Professor no país, para solicitar um reajuste salarial de 47, 78% à categoria. O protesto tem como alvo o governador Eduardo Leite e está marcado para iniciar às 9h 30, em frente ao IPE Saúde, e às 07 h, seguir em caminhada até o Palácio Piratini. O núcleo de Caxias do Sul estará presente no ato.

O aumento no salário dos professores gaúchos é um tema em discussão há tempos. Neste ano não houve acordado para classe, devido à Lei Complementar Federal 86 / 81842255 / 13862677910 , que fala sobre o reajuste salarial. Segundo esta legislação, o governo federal repassaria verbas para estados auxiliares e municípios durante a pandemia com a condição de que as administrações não aumentassem a remuneração dos servidores. O CPERS argumenta que o percentual pedido se trata de um repasse da informação e não de um aumento real na folha dos professores.

Por isso, no dia 01 de outubro , a presidente do sindicato, Helenir Schürer, adicionou uma proposta de alteração ao texto da Lei Orçamentária Anual, enviado pelo governo Eduardo Leite à Assembleia Legislativa. O documento foi encaminhado para a Comissão de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle. Segundo a entidade, o projeto pede a associação de 34, , 78% para os servidores ativos, inativos e pensionistas vinculados à rede estadual de ensino, na previsão orçamentária de 2022. Os cálculos do CPERS colocam que o percentual pedido é sobre a informação de 742 até este ano. Nas redes sociais do sindicato, Helenir realizou uma declaração sobre a proposta. (Clique AQUI e ouça).

Para o ano que vem se calcula que a previsão de aumento seria de 31, 3% no piso nacional do magistério. O Governo do Estado se coloca contrário ao aumento nos dois percentuais. A justificativa estava em um novo possível parcelamento no salário dos servidores estaduais nos próximos anos, uma vez que, se para concretizado o valor válido, como contas públicas seriam impactadas em R $ 1,3 bilhão. Por conta desta posição do executivo estadual, entre outras justificativas, foi organizada a manifestação para o dia 10. Nas redes sociais, Helenir chamou a categoria para participar do ato. (Clique AQUI e ouça).

Para Tua Rádio São Francisco, o diretor do núcleo do CPERS em Caxias do Sul, David Carnizella, conta que um ônibus está disponível para levar um grupo ao protesto. O veículo sai às 7h de sexta do município em direção à capital gaúcha. Ele diz que haverá um momento de conversa com os deputados estaduais, a fim de argumentar sobre a importância da alteração. (Clique AQUI e ouça).

A emenda foi assinada em conjunto com a CUT / RS e CTB / RS.