Após casos de Covid-19, retomada das aulas presenciais na escola Arnaldo Ballvê gera incertezas na equipe escolar

apos-casos-de-covid-19,-retomada-das-aulas-presenciais-na-escola-arnaldo-ballve-gera-incertezas-na-equipe-escolar

Fonte de dentro da escola, que preferiu não se identificar e gravar entrevista, forneceu informações à Tua Rádio São Francisco sobre a retomada do ensino presencial na instituição

A escola municipal Arnaldo Ballvê retomou o ensino presencial na segunda-feira (31 / 05), em Caxias do Sul. A instituição retorna com as aulas após confirmar oito casos positivos de Covid – 19, segundo os dados da Secretaria Municipal da Educação (Smed) fornecido à Tua Rádio São Francisco no dia 17 de maio. O registro inicial, repassado pela equipe escolar, era de 12 positivados.

A escola possui aproximadamente 640 alunos matriculados. A retomada se deu por separação de dois grupos por sala de aula, idealizado antes dos casos confirmados. Uma parte vai para a aula presencial e o outro efetua atividades à distância. Nos dois primeiros dias foi vista a adesão de 75% dos estudantes presencialmente. As informações foram repassadas por uma fonte de dentro da escola, que preferiu não se identificar ou gravar entrevista para a reportagem. Segundo ela, a volta teve uma retomada dos protocolos sanitários, como uma medição de temperatura, disponibilização de álcool em gel, distanciamento e horário para entrar e sair das salas de aulas, um fim de evitar aglomerações.

Mesmo com os cuidados contra a Covid – 19, uma fonte afirma que há incertezas da equipe escolar em relação à retomada do ensino presencial. O temor não se referiria ao plano de contingência organizado pela escola antes dos casos, mas a eficácia de todos estes protocolos frente a uma doença desconhecida por todos. Uma das diretoras da instituição positivou para o coronavírus e foi internada no dia 13 de maio. Ficou dias no hospital e teria matança alta na semana passada. Não há prazo para a volta da diretora, pois está em fase de recuperação. A falta de segurança também impacta na decisão das famílias. A fonte ressalta que uma parte de pais ou responsáveis ​​preferiu não permitir o retorno de seus filhos, por medo da doença.

Conforme a fonte, o processo de volta de professores e funcionários está sendo difícil. O motivo é o recebimento com o que chamou de “desconhecido” e o “novo”, para tratar de algo que aconteceu pela primeira vez na instituição. Mesmo com o afastamento de professores e da equipe diretiva, é relatado que houve um apoio da equipe para o seguimento das aulas. Os professores afastados conseguiram ser substituídos e os estudantes não perderam as atividades.

A fonte reforça que não houve negligência da instituição e todos os protocolos sanitários eram cumpridos antes dos casos positivos. Ela ainda afirma que há um suporte da Prefeitura para manter a escola aberta.

A reportagem da Tua Rádio São Francisco aguarda a Secretaria Municipal da Educação (Smed) para saber se houve mais casos de Covid – 19 na escola Arnaldo Ballvê. Até o final desta matéria, uma massa não retornou ao pedido da reportagem.