Simecs propõe que Vila Oliva seja um novo distrito industrial para que empresas permaneçam em Caxias do Sul

simecs-propoe-que-vila-oliva-seja-um-novo-distrito-industrial-para-que-empresas-permanecam-em-caxias-do-sul

Uma série de fornecidos foi entregue ao Município nesta semana pela entidade, durante a reunião com o prefeito Adiló Didomenico

O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs) entregou um documento com o nome da categoria para a Prefeitura de Caxias do Sul nesta semana. As indicações possuem quatro pontos que visam aumentar a parte das empresas do setor, por meio de mudanças na infraestrutura para uma expansão do ramo. A pauta foi discutida em uma reunião entre a entidade empresarial e o Município.

O Simecs foi representado no encontro pelo presidente Paulo Spanholi e o vice-presidente de relações institucionais, Ruben Bisi. O prefeito Adiló Didomenico (PSDB) falou pelo Executivo municipal. Uma das proposições pretende criar um novo distrito industrial em Vila Oliva, no interior de Caxias. A ideia é tornar a cidade afetada para que os empreendimentos do setor permaneçam no município. Para a Tua Rádio São Francisco, Paulo Spanholi explica que a região traria vantagens às indústrias. Não teria gasto com bacia de captação, pouca irregularidade do solo, que encarece a construção de empreendimentos, e o preço do aluguel poderia ser mais barato. Futuramente, ele vislumbra que o distrito seria fomentado com a instalação do Aeroporto Regional da Serra Gaúcha.

Spanholi também alega que a cidade vem perdendo ao longo dos anos. Muitas indústrias se mudaram para Flores da Cunha e Farroupilha. Mais um motivo é em nível estadual, com a alta carga tributária no Rio Grande do Sul que dificultaria a manutenção das empresas. Ele acredita que o governador Eduardo Leite (PSDB) vem modificando a parte fiscal, beneficiando uma categoria. Mesmo assim, já há uma perda grande e se necessita de uma capacidade industrial no estado.

Outra preocupação do sindicato é com a reciclagem e destino dos resíduos industriais. Os padrões acompanham, atualmente, para o aterro sanitário. O setor defende alternativas para evitar a exaustão do local. Em relação aos industriais, como óleos e panos, hoje enviados para fora da cidade, a sugestão é de implantar um sistema de incineração. O Simecs reforçou a especificação de melhoria na infraestrutura, com objetivo de melhorar a logística. Como obras, foram citadas a duplicação dos acessos à cidade, roçadas mais frequentes a fim de melhorar a visibilidade dos trajetos e operações consistentes de tapa-buracos nas estradas e vias. A entidade ainda definiu como preocupante a demora na ligação de energia elétrica pela RGE. Segundo relatos de empresários que estão abrindo novas plantas, a concessionária tem demorado de 90 a 120 dias para fazer novos pontos de energia.

O Executivo estuda firmar parceria com a Universidade de Caxias do Sul (UCS) para elaborar um projeto com planejamento para o futuro da cidade, contemplando uma série de situações. Conforme Spanholi, o Município pretende formar uma comissão, junto com a Câmara de Vereadores e a iniciativa privada, para discutir as características e propostas para a cidade.

Clique AQUI e confira uma entrevista completa.