Setores agropecuário e industrial basearam a economia gaúcha em 2021, aponta FIERGS

Setores agropecuário e industrial basearam a economia gaúcha em 2021, aponta FIERGS

Federação apresentou um balanço econômico deste ano e perspectivas para 2022 durante transmissão pelo YouTube nesta terça-feira 14 / 12)

Os setores da Indústria e da Agropecuária foram os responsáveis ​​pela recuperação da economia gaúcha neste ano. É o que aponta o balanço econômico divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) nesta terça-feira 14 / 12), durante transmissão pelo YouTube. De janeiro a abril, o impacto foi um aumento de 12, 6% na economia, já de maio a setembro, o reflexo positivo foi de 4,6%.

Em seu pronunciamento, o economista-chefe da FIERGS, André Francisco Nunes de Nunes, destaca a seqüência fa dois setores. Na agropecuária, o Rio Grande do Sul teve uma retomada influenciada pela soja. Foi constatado um crescimento de 80, 8% na produção em relação a 2020, recolhendo cerca de 36, 5 milhões de toneladas do grão neste ano. É a maior colheita de safra na história do estado. Já o ramo industrial, o crescimento se deu por heranças de 2020, devido a uma base baixa deixada pela pandemia da Covid – 19 e recuperada intensamente ao longo do ano passado e deste ano. As dificuldades com insumos, tantos nacionais como importados, fizeram com que a Indústria baixasse a margem de alta. A segunda onda da pandemia, a instabilidade política e o aumento de preços em produtos industriais também afetaram a estabilização.

Durante a transmissão também foram encontrados como perspectivas para 2022. A FIERGS acredita em um forte recuperação industrial ainda no primeiro trimestre, além de uma produção agrícola positiva para o ano que vem. O desempenho da Indústria depende da diminuição dos custos de produção e também a retomada do fornecimento dos insumos para o ramo. Mesmo assim, uma projeção de crescimento é de 0,6%, resultado tímido apontado pela federação. Nunes crê que o Produto Interno Bruto (PIB) vai crescer somente 1,6%.

Ele visualiza que é uma alta decepcionante, mas é o que o estado está conseguindo ultimamente em longo prazo. Outro dado trazido por Nunes é a elevação do PIB neste ano em 9,6%, frente ao desempenho negativo no ano de 2020, de 7%.

Participou também da apresentação do balanço da economia gaúcha, o presidente da FIERGS, Gilberto Petry.

intranet/userfiles/noticias/156a10768bef82caaddf25f5df8f7c41.mp3